Dicas para fazer um safári

· dezembro 28, 2018

Quando você decide fazer um safári, precisa seguir uma série de diretrizes de segurança. Lembre-se de que você estará muito perto de animais selvagens.

Além disso, você deve imortalizar suas lembranças da fauna com a maior quantidade possível de fotos e vídeos.

Fazer um safári é o sonho de muitas pessoas. É uma experiência inesquecível, onde você pode aprender sobre a vida selvagem de perto.

No entanto, naturalmente, é essencial cumprir certas regras para evitar problemas. Neste artigo, vamos falar mais sobre isso.

Dicas para visitar um safári

A África é o lugar por excelência para um safári. Se você quiser encontrar ‘cara a cara’ um animal selvagem em seu habitat natural, este continente oferece dezenas de opções e parques nacionais.

Algumas dicas que podem ser muito úteis são as seguintes:

1. Escolha o lugar e a hora

A Tanzânia e o Quênia – especificamente o Serengeti e Masai Mara – são os dois típicos locais de safári, embora também possamos ir ao Parque Nacional Kruger, na África do Sul. Há muitas empresas que oferecem visitas guiadas.

Qualquer época do ano é boa para realizar esse sonho, mas há meses mais recomendáveis ​​do que outros.

Por exemplo, entre os meses de junho e agosto, quando os animais migram. A desvantagem é que é alta temporada (e feriados), então os preços são mais altos e a disponibilidade é menor.

2. Acorde bem cedo

A maior parte da fauna africana possui hábitos noturnos. Os grandes predadores esperam o sol se pôr para caçar, já que durante o dia é bastante quente.

Portanto, os melhores momentos para ver animais como o búfalo são de madrugada, antes do amanhecer. Também é aconselhável fazer um passeio ao entardecer, quando a fauna está “acordando” da sua sesta.

No resto do dia você pode aproveitar a oportunidade para descansar, nadar na piscina ou fazer alguma atividade que não precise de muita energia. Assim, não esqueça de usar protetor solar e óculos de sol!

Leões e carro de safári na África

3. Contrate um guia

Embora isso seja obrigatório em parques naturais, a verdade é que, em muitos casos, os turistas querem “ficar livres” sem saber nada sobre a vida selvagem. Isso é realmente perigoso!

Além disso, os guias conhecem muito bem os locais escolhidos por certos animais, os traços deixados em seu caminho ou o que fazer em caso de encontrar um grande felino ou um predador.

E é bom dizer que em todos os momentos o guia é quem dá as ordens que devemos cumprir.

4. Seja paciente

Todos aqueles que querem fazer um safári estão ansiosos para ver os chamados “5 grandes”. Mas atenção, porque a África é o lar de centenas de outras espécies que também merecem ser observadas.

Não faz sentido incomodar o guia porque não conseguimos ver mais do que uma girafa ou um impala.

O silêncio é o nosso melhor aliado, assim como o respeito pelos animais. Aqui não há agendas ou algo assim: eles vão sair se quiserem e quando quiserem.

Talvez você deva passar vários minutos sem dizer uma palavra para ouvir o som de um elefante ou a melodia de um pássaro.

Rinoceronte durante um safári

5. Nenhum ruído estranho

Pode-se dizer que os animais estão “acostumados” à presença de humanos nessas regiões, mas isso não significa que possamos perturbá-los. Lembre-se de que nós – as pessoas – somos os visitantes e eles são os donos da casa.

Não provoque ruídos que possam incomodá-los ou alterar sua atividade. Além disso, não ofereça comida para que eles possam se aproximar e você possa tirar as melhores fotos. Você nunca sabe como eles podem reagir!

Provavelmente, se um bando de leões passar perto do veículo onde estamos, não se incomodarão em entrar em contato conosco.

Mas para isso devemos ficar quietos e calmos. Se fizermos barulho e sairmos do jipe, é mais provável que eles tentem nos atacar.

6. Leve uma boa câmera

Fazer um safári é uma experiência inesquecível, que ficará gravada em nossa memória para sempre. Mas, além disso, vamos querer guardá-la em outros formatos, como em fotos.

Mesmo que você não seja um fotógrafo profissional, tente comprar uma boa câmera, com um zoom que permita chegar o mais perto possível dos animais.

A câmera do celular não nos dará o resultado esperado e, como a viagem é um pouco cara, é melhor ter o equipamento certo para tirar as fotos e fazer os vídeos.

Finalmente, não esqueça de usar a roupa certa: confortável, que pode ser removida por “camadas”, já que a temperatura é muito variável. No entanto, deve ser uma roupa que possa nos proteger do sol, do calor e de insetos.