Diferenças entre bisões, gnus e búfalos

· março 1, 2019

Apesar de seu tamanho grande e chifres poderosos, há divergências entre bisões, gnus e búfalos. A primeira delas é que nenhum deles pertence à mesma família.

Embora muitas vezes sejam confundidos, há várias diferenças entre bisões, gnus e búfalos. Entretanto, como podem esses animais impressionantes serem tão semelhantes?

Na origem dos termos, os primeiros colonos da América deram ao bisão o nome de “búfalo” e, assim, confundiram os dois animais. No entanto, são espécies diferentes, até em relação ao habitat em que vivem.

Diferentes áreas do mundo

O bisão americano vive na América do Norte. No entanto, em relação aos búfalos, as duas espécies mais conhecidas desses animais estão na Ásia e na África.

Devemos lembrar também que o bisão europeu vive em algumas áreas da Polônia, integrado em pequenas comunidades. Além disso, a presença do bisão no continente europeu é muito pequena.

Algumas diferenças entre bisões, gnus e búfalos

Na verdade, a família de origem dos bisontes e búfalos é comum. São os chamados Bovidae, com mais de 100 espécies diferentes de mamíferos.

Se olharmos para as imagens desses animais, veremos que existem diferenças entre bisões, gnus e búfalos. O bisão americano tem uma espécie de corcunda, que nasce de seus ombros. Além disso, sua cabeça é grande.

No caso do búfalo, pode-se dizer que ele tem uma espécie de peruca na cabeça. Daí nascem seus conhecidos chifres. Além disso, a distância entre as pontas dos chifres do búfalo é enorme.

Esse chifre impressionante não só cumpre uma função de exposição, mas também serve para o animal remover a lama dos pântanos em que vive, e depois jogá-la nas costas.

Diferenças em relação a bisões, gnus e búfalos

Diferenças importantes entre bisões, gnus e búfalos

Aparência física

O comprimento do manto é uma das diferenças mais importantes. O bisão é caracterizado por um manto com lã abundante, especialmente durante a temporada de inverno. Seus chifres são curtos e se estendem para ambos os lados e para a parte de trás de sua cabeça.

No caso dos búfalos, o pelo é brilhante, mas curto. Os chifres de alguns búfalos crescem e se alongam, chegando a ficar com o mesmo comprimento do animal.

Habitat e localização

Como vimos, o habitat natural do bisão se estende por grande parte dos Estados Unidos, sul do Canadá e norte do México. Você pode ver comunidades desses animais em áreas planas, embora também vivam nas montanhas.

O búfalo vive na Ásia e no norte da África. Algumas pequenas populações de búfalos podem ser encontradas no sul da Europa, América do Sul e até na Austrália.

Coexistência com os seres humanos

O bisão sempre foi caçado maciçamente por seres humanos. No século 19, e após a expansão norte-americana para o oeste, o bisão estava em vias de extinção devido à caça ilegal.

A situação do búfalo é muito diferente. Búfalos sempre foram domesticados como uma boa fonte de produtos lácteos, e também para trabalhar nas plantações. O consumo de sua carne não é frequente.

Cultura

O bisão tem sido o protagonista de alguns filmes relacionados ao oeste americano. Foi uma espécie de símbolo daquela era, daquele tipo de cinema e do palco histórico.

Há muitas áreas protegidas e fazendas nos Estados Unidos, onde a criação de bisões é mais uma atração turística.

Os búfalos são animais sagrados na religião hindu e seu consumo é proibido. Esse tabu não é seguido por todas as comunidades religiosas na Ásia e na África.

Em um aspecto mais lúdico, no sul da Ásia, diferentes celebrações são realizadas anualmente, que incluem touradas e corridas com búfalos, infelizmente.

E o gnu?

Esse animal pertence à família dos antílopes e é muito diferente das espécies anteriores. Sua grande cabeça é escura e seus chifres são afiados e para cima.

bisões, gnus e búfalos: diferenças

O corpo do gnu tem um manto cinza curto e seu rosto parece ter uma barba. Seu grande focinho dá a possibilidade de cortar e comer a grama curta.

Os gnus habitam o continente africano, especialmente no centro, leste e sul. Geralmente vivem em planícies, savanas e florestas cheias de grama, bem como áreas agrícolas, prados, etc. Além disso, eles convivem em grupos e se reúnem em comunidades maiores quando necessário.