Doenças oncológicas em cães: tudo o que você precisa saber

As doenças oncológicas em cães variam em termos de sintomas, prognóstico e tratamento, dependendo de sua localização.
Doenças oncológicas em cães: tudo o que você precisa saber

Última atualização: 19 Março, 2021

As doenças oncológicas em cães abrangem todas as neoplasias (tumores), principalmente as malignas com potencial para metástases. Os cânceres são relativamente comuns nesses animais, pois estima-se que 99 em cada 1000 cães sejam diagnosticados anualmente com um tumor cancerígeno, especialmente na idade adulta.

O termo “câncer” abala a todos, pois engloba uma série de patologias que apresentam prognósticos reservados em muitos casos. Em todo caso, o aparecimento de um tumor maligno nunca é o fim do caminho, nem em cães nem em humanos. Aqui, vamos contar tudo o que você precisa saber sobre as doenças oncológicas em cães.

As doenças oncológicas mais comuns em cães

A palavra “câncer” não se refere a uma única patologia, mas a um conjunto de entidades clínicas com características comuns. Em um processo cancerígeno, uma linhagem de células mutantes para de responder aos períodos normais de divisão e morte e, portanto, acaba crescendo de forma descontrolada. É assim que o tumor surge.

No entanto, é importante destacar que nem todos os cânceres se manifestam com tumores, assim como nem todos os tumores são cancerígenos. Quando as células tumorais crescem de forma limitada e localizada e não se espalham para outras partes do corpo, estamos lidando com uma neoplasia benigna.

Por outro lado, existem cânceres que não formam tumores, já que células que se dividem de forma exagerada são liberadas na corrente sanguínea, por exemplo. Na leucemia, são produzidos corpos celulares disfuncionais (blastos) que se acumulam no sangue, o que desloca o resto das células funcionais e põe em risco a vida do animal.

Como você verá, existem muitos tipos de câncer – quase tantos quanto a variedade de tecidos em nosso corpo – e os sintomas são muito diferentes em cada um deles. Nas linhas a seguir, apresentaremos as peculiaridades das principais doenças oncológicas em cães.

Um cachorro no veterinário com problemas cardíacos.

1. Mastocitoma canino

Os mastocitomas caninos representam até 20% dos tumores cancerígenos localizados na pele, conforme indicado pelo portal Acta Veterinaria Scandinavica. É um câncer de etiologia bastante desconhecida, mas comumente está associado a fatores genéticos, inflamatórios e infecciosos.

Aparece principalmente em cães idosos, especialmente na superfície da pele perto da pélvis – em até 50% dos casos. Se essa lesão for detectada no cão, é fundamental atuar cirurgicamente. A capacidade metastática do mastocitoma é imprevisível, então cada segundo conta.

2. Melanoma

O melanoma é o tipo de câncer mais comum na região facial. Esse tumor é a causa de até 45% dos cânceres bucais em cães, pois se localiza principalmente na boca e nos lábios do animal, embora também possa ocorrer no restante da pele do corpo.

Esse tumor se manifesta como uma massa pigmentada que tende a ulcerar e sangrar à medida que aumenta de tamanho. Se detectado precocemente, a cirurgia e a radioterapia são as melhores aliadas, já que os melanomas são bastante resistentes ao tratamento quimioterápico.

3. Linfoma

O linfoma é um tipo de câncer do sistema linfático, que pode afetar diferentes áreas: gânglios, baço, timo e medula óssea. Existem cerca de 30 variantes de linfomas em cães, com sintomas e prognósticos muito diversos. No entanto, a maioria deles é tratada com quimioterapia.

É importante destacar que esse tipo de malignidade está associado à raça do cão e, portanto, à sua genética. Por exemplo, quase 20% dos golden retrievers morrem dessa doença. Essa raça é particularmente castigada pelo câncer, já que 7 em cada 10 cães morrem de um tumor maligno e seus efeitos.

4. Osteossarcoma

O osteossarcoma é o tumor ósseo mais comum em cães. Representa 85% dos tumores esqueléticos primários, que se manifestam com dor muito intensa e deficiência locomotora no cão. Essa patologia é causada pela produção excessiva das células responsáveis por manter o osso estável, os osteoblastos e os osteoclastos.

5. Hemangiossarcoma

O hemangiossarcoma é um tumor que se encontra em qualquer leito vascular, ou seja, veias, artérias e capilares sanguíneos. É muito maligno e agressivo, por isso o prognóstico – mesmo com tratamento – tão cauteloso. Corresponde a quase 5% de todos os tumores em cães, sendo talvez o câncer mais comum na espécie.

O hemangiossarcoma é 10 vezes mais comum do que o resto das neoplasias caninas. Novamente, os golden retrievers levam a pior, já que até 23% deles morrem por causa desse câncer.

Um golden retriever é deitado na natureza.

As doenças oncológicas em cães e a prevenção

Algumas das doenças oncológicas descritas aqui têm um prognóstico muito ruim, mas outras geralmente são tratadas de forma satisfatória se diagnosticadas precocemente. Por exemplo, os mastocitomas e os melanomas podem ser tratados com cirurgia e radioterapia, o que pode salvar o cão de um desfecho fatal quando a detecção é precoce.

Por outro lado, patologias como o hemangiossarcoma costumam ser detectadas quando o cão tem pouco mais de um mês de vida. Nesses casos, acompanhar o animal nos seus últimos momentos é a única opção.

Pode interessar a você...
O olfato do cachorro usado para detectar o câncer de mama
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O olfato do cachorro usado para detectar o câncer de mama

O olfato do cachorro torna possível detectar certos odores emanados de tumores de câncer muito antes de serem identificados pela medicina. Saiba mais!



  • Nishiya, A. T., Massoco, C. O., Felizzola, C. R., Perlmann, E., Batschinski, K., Tedardi, M. V., … & Zaidan Dagli, M. L. (2016). Comparative aspects of canine melanoma. Veterinary sciences, 3(1), 7.
  • Schneider, R., Dorn, C. R., & Taylor, D. O. N. (1969). Factors influencing canine mammary cancer development and postsurgical survival. Journal of the National Cancer Institute, 43(6), 1249-1261.
  • Baioni, E., Scanziani, E., Vincenti, M. C., Leschiera, M., Bozzetta, E., Pezzolato, M., … & Ru, G. (2017). Estimating canine cancer incidence: findings from a population-based tumour registry in northwestern Italy. BMC veterinary research, 13(1), 1-9.
  • Ostrander, E. A., Dreger, D. L., & Evans, J. M. (2019). Canine cancer genomics: lessons for canine and human health. Annual review of animal biosciences7, 449-472.