12 doenças comuns na lagartixa-leopardo

A coloração do corpo das lagartixas costuma ser uma boa indicação de sua saúde, pois fica mais brilhante quando elas estão saudáveis. Aprenda junto com a gente a detectar os sinais de patologia nesses répteis.
12 doenças comuns na lagartixa-leopardo

Última atualização: 05 dezembro, 2021

A lagartixa-leopardo é um réptil com uma bela coloração que se tornou famoso como animal de estimação. É um animal bastante calmo e sob certas condições pode ser uma ótima opção para começar no mundo dos répteis. No entanto, a lagartixa-leopardo é afetada por uma série de doenças comuns que vale a pena conhecer.

Esse réptil é muito resistente às condições do seu habitat, por isso não é frequente que apresente doenças em cativeiro. No entanto, isso não garante que seja imune a qualquer tipo de patógeno. Continue lendo para aprender sobre 12 doenças comuns na lagartixa-leopardo.

Fatores que promovem doenças da lagartixa-leopardo

As doenças animais são causadas por vários motivos. No entanto, existem fatores que podem levar à sua presença na maioria dos animais de estimação. No caso das lagartixas-leopardo, algumas causas comuns de patologias incluem o seguinte:

  • Condições do habitat: esse réptil costuma ser muito adaptável a várias condições em seu ambiente. No entanto, quando os parâmetros do terrário não são ideais, o espécime se torna mais suscetível a doenças e infecções.
  • Dieta: embora sua dieta seja baseada no consumo de grilos, essa lagartixa precisa variar sua alimentação. Caso contrário, sofrerá complicações nutricionais.
  • Genética: esse réptil é bastante famoso pela grande variedade de cores que exibe. No entanto, os morfotipos são obtidos por cruzamentos seletivos que afetam a variabilidade genética de cada variante. Consequentemente, alguns espécimes podem ter patologias codificadas involuntariamente em seus genes.
  • Higiene: o habitat deve ser limpo para evitar o desenvolvimento de fungos ou bactérias nocivas à lagartixa. Também é importante que as mãos do tutor estejam limpas ao manusear seu animal de estimação, pois muitos patógenos são transmitidos por contato direto.
  • Acidentes: qualquer problema que machuque fisicamente o animal é capaz de causar uma patologia grave se não for resolvido a tempo.
O que fazer se minha lagartixa-leopardo perder a cauda?

Quais são as doenças comuns da lagartixa-leopardo?

Existe uma grande variedade de patologias que podem afetar a saúde desse lindo animal. Por isso, é necessário estar atento aos sinais de alerta. Lembre-se de que ao menor sinal de doença é melhor ir imediatamente ao veterinário. A seguir estão os problemas mais comuns da lagartixa-leopardo.

1. Disecdise

A disecdise refere-se aos problemas que os répteis apresentam durante a troca de pele, ou seja, quando certas partes do corpo ficam obstruídas ou retidas. Essa patologia geralmente é causada pela falta de umidade no habitat, o que impede a lagartixa de se desprender da camada de pele morta (muda). Por causa disso, pedaços opacos de epiderme são vistos na lagartixa.

As partes mais afetadas geralmente são cabeça, cauda e dedos, onde a muda acaba fazendo um efeito de torniquete, impedindo a circulação. Consequentemente, as extremidades (cauda e dedos) podem atrofiar e necrosar devido a esse problema. De acordo com uma pesquisa da Universidade da Califórnia (Davis), a disecdise na cabeça está associada a vários problemas oftálmicos na lagartixa.

2. Impactação intestinal

Essa patologia é muito comum em lagartixas que têm como substrato areia, cascalho ou serragem, por ingerirem esses elementos acidentalmente. Portanto, o intestino da lagartixa fica entupido e impede que seu sistema digestivo funcione bem. Os primeiros sinais desse problema são a perda de apetite e a incapacidade de defecar.

Para evitá-lo, é melhor usar substratos como papel ou alguma areia vegetal, pois podem passar pelo aparelho digestivo sem prejudicar o réptil. Antes de adquirir qualquer animal de estimação, lembre-se de pesquisar sobre as condições adequadas de seu habitat para evitar problemas como esse.

3. Diarreia

As lagartixas têm fezes bem firmes. Por isso, se estiverem com diarreia a qualquer momento, é um sinal de que a sua saúde está comprometida. Em geral, esse tipo de problema costuma estar associado à parasitose. No curto prazo, essa situação não traz riscos para o animal, mas se não for tratada logo pode se transformar em algo fatal.

4. Abscessos

Os abscessos geralmente são causados por uma infecção bacteriana, que se infiltra através de feridas superficiais. Para conter os patógenos, o corpo forma uma espécie de cápsula ou inflamação que deve ser removida por um veterinário qualificado. Qualquer tipo de arranhão é suficiente para que o problema apareça, por isso o animal deve ser verificado constantemente.

5. Problemas oculares

Os olhos das lagartixas-leopardo são suscetíveis à obstrução por qualquer material, o que causa diversas patologias oftálmicas. As mais comuns são úlceras ou infecções bacterianas, que podem ser facilmente curadas removendo o bloqueio, enxaguando o olho e administrando antibióticos. Lembre-se de que todo esse processo deve ser realizado por um profissional da saúde animal.

6. Retenção dos ovos (distocia)

A retenção de ovos é um problema frequente dos répteis em cativeiro e causa sérias complicações que colocam em risco a vida do animal. Essa situação é causada por uma incapacidade do corpo de dar à luz, que é causada por vários fatores.

Embora isso não pareça um perigo para espécimes solitários, é necessário mencionar que algumas fêmeas produzem ovos inférteis. Portanto, as lagartixas-leopardo chegam a apresentar esse problema mesmo se não tiverem um parceiro. Os sintomas nem sempre são óbvios: para qualquer mudança de comportamento incomum em sua lagartixa, consulte o veterinário.

7. Desnutrição

É normal pensar que as lagartixas-leopardo só precisam de grilos e vermes em sua dieta, pois são sua comida favorita. No entanto, os vermes (larvas de tenébrios) contêm uma grande quantidade de gordura, e a sua ingestão excessiva pode levar à lipidose hepática. Para evitar essa desnutrição, é melhor variar a dieta e usar suplementos em pó que ajudem a equilibrar a dieta.

8. Hipovitaminose A

Outro problema derivado de uma dieta pobre é a hipovitaminose A, que causa problemas oculares, letargia, anorexia e perda de peso. A deficiência de vitamina A é resolvida com o uso de suplementos, que são borrifados na comida do réptil.

9. Estomatite

A estomatite é definida como uma inflamação na boca de répteis que pode ser causada por infecções ou déficits alimentares. Embora esse problema seja raro em lagartixas-leopardo, ele aparece como resultado da hipovitaminose A.

10. Síndrome enigma

Como o próprio nome indica, é uma doença que só foi observada no morfotipo enigma da lagartixa-leopardo. Essa síndrome representa uma série de defeitos neurológicos hereditários e em muitos casos não é recomendável adquirir essa variedade do réptil. Por ser um distúrbio de origem genética, no momento não há cura para esse problema.

11. Doença óssea metabólica

A dieta das lagartixas-leopardo costuma ser a maior causa de problemas de saúde, já que a deficiência de nutrientes diminui as defesas e causa várias patologias. Nesse sentido, a doença óssea metabólica ocorre quando o réptil não consome cálcio e vitamina D suficientes. Como consequência, seus ossos são afetados e começam a apresentar malformações.

12. Infecções respiratórias

As condições normais de habitat para uma lagartixa-leopardo são ideais para o desenvolvimento de patógenos. Isso significa que, sem um regime de limpeza adequado, os exemplares ficam suscetíveis a várias infecções. As mais frequentes na lagartixa-leopardo são as do trato respiratório, pois a umidade permite a disseminação dos agentes causadores.

Os sintomas mais óbvios dessas infecções são coriza e falta de ar. Para evitar esses problemas, a melhor opção é manter as condições do habitat estáveis, bem como melhorar os processos de limpeza.

Uma lagartixa-leopardo comendo minhocas.

Embora a lagartixa-leopardo possa ser um animal de estimação fácil de manter, você precisa prestar atenção às suas necessidades básicas. Como se pode ver, a maioria das patologias comuns são resultantes de descuidos em sua manutenção. Se você se certificar de que seu animal de estimação conta com o necessário para ter uma excelente qualidade de vida, poderá evitar todos os problemas acima.

This might interest you...
A lagartixa-leopardo e sua criação em terrários
Meus Animais
Leia em Meus Animais
A lagartixa-leopardo e sua criação em terrários

Os animais exóticos estão em alta. Por isso, se você é um daqueles que gosta de répteis exóticos, vai querer ter uma lagartixa-leopardo em sua casa...



  • Wiggans, K. T., Sanchez-Migallon Guzman, D., Reilly, C. M., Vergneau-Grosset, C., Kass, P. H., & Hollingsworth, S. R. (2018). Diagnosis, treatment, and outcome of and risk factors for ophthalmic disease in leopard geckos (Eublepharis macularius) at a veterinary teaching hospital: 52 cases (1985–2013). Journal of the American Veterinary Medical Association, 252(3), 316-323.
  • Hall, A. J., & Lewbart, G. A. (2006). Treatment of dystocia in a leopard gecko (Eublepharis macularius) by percutaneous ovocentesis. The Veterinary Record, 158(21), 737.
  • Hedley, J., MacHale, J., Rendle, M., & Crawford, A. (2021). Neurological Examinations in Healthy Juvenile Bearded Dragons (Pogona vitticeps) and Adult Leopard Geckos (Eublepharis macularius). Journal of Herpetological Medicine and Surgery, 31(2), 141-146.
  • De Vosjoli, P., Klingenberg, R., Tremper, R., & Viets, B. (2011). The Leopard Gecko Manual: Includes African Fat-Tailed Geckos. Fox Chapel Publishing.
  • De Vosjoil, P., Mazorlig, T., Klingenberg, R., Tremper, R., & Viets, B. (2017). The leopard gecko manual: Expert advice for keeping and caring for a healthy leopard gecko. Fox Chapel Publishing.