12 sinais que seu gato não ama você

Os felinos são conhecidos por sua individualidade. Mas da introversão até o ódio há um grande passo. Conheça os possíveis sinais de que seu gato não ama você.
12 sinais que seu gato não ama você

Última atualização: 17 Setembro, 2021

Os gatos domésticos são famosos por seus comportamentos evasivos e individualidade. Como muitos tutores dizem: “Meu gato interage comigo quando quer, não quando eu procuro por ele”. É normal que esses animais precisem de um espaço próprio e requeiram uma atenção muito limitada, mas sua natureza não deve ser confundida com sinais de que seu gato não ama você.

Algo diferente acontece quando tutor não consegue de jeito nenhum se aproximar do felino sem que ele mie, erice os pelos, fuja ou até se machuque para tentar escapar do seu campo de visão. São sinais de que algo está errado, pois mais do que “não amar você”, é possível que o gato o associe a um acontecimento traumático ou tema por sua vida se você estiver por perto. Aqui estão 12 sinais que indicam uma relação disfuncional entre gato e tutor.

1. Assobio ou hissing

Os felinos usam vocalizações para evocar muitas emoções positivas, mas os assobios ou hissing  costumam ser uma indicação de angústia no animal. Esse som se caracteriza pela súbita expulsão de ar pela boca acompanhada por um tom (hiss) que indica falta de confiança, raiva, aborrecimento, incerteza, dor ou uma combinação de todos os anteriores.

O hissing é um dos poucos registros vocais inequívocos do gato, pois só tem um significado: “Fique longe de mim”. O problema de comportamento pode ser resolvido no momento em que o animal estiver mais calmo, pois se você continuar a insistir, é mais provável que sofra um ataque.

2. Piloereção ou puff up

A piloereção ou  puff up ocorre quando os pequenos músculos na base de cada pelo se contraem e os deixam eriçados. Os gatos eriçam o pelo para parecerem maiores do que são, o que indica que estão com medo e devem parecer intimidadores para que sua ameaça reconsidere um possível ataque.

Se o seu gato incha constantemente perto de você, essa “ameaça” é você.

3. Outros sinais de medo

Se você estiver lendo essas linhas, o mais provável é que não haja sinais de que seu gato não ame você, e sim de que ele apresenta comportamentos típicos de medo, herdados de uma experiência traumática anterior. Além dos 2 já citados, os seguintes sinais também são indicativos de medo no animal:

  • Orelhas para trás.
  • Movimento congelado quando não há rota de fuga óbvia.
  • Olhos bem abertos, com pupilas dilatadas.
  • Cauda localizada abaixo do ventre.
  • “Alongamento” das patas, ou seja, o gato fica na ponta dos pés para parecer maior.

4. O gato não para de se esconder

É normal que os gatos precisem de espaço próprio, mas se ele se esconder assim que você abrir a porta da casa e não aparecer mais, esse é um dos sinais de que seu gato não ama você. Também pode ser um sinal de alguma patologia, uma vez que os felinos são mais esquivos se tiverem que esconder sua vulnerabilidade devido à doença.

Os gatos são animais muito instintivos. Se sentirem que não podem enfrentar uma ameaça (por medo ou doença), permanecerão nas sombras.

5. Mordidas

Os filhotes felinos costumam morder durante as brincadeiras, pois estão desenvolvendo a dentição e os instintos. No entanto, um espécime adulto afundando seus dentes no braço do tutor nunca é um sinal de diversão ou estímulo positivo. Se o seu gato morde você, ou ele tem medo de você ou está com alguma dor, mas não está feliz no momento que realiza essa ação.

6. Arranhões

Quando se convive com um animal há muito tempo, qualquer tutor sabe diferenciar um arranhão acidental durante a interação com seu gato de uma cravada de unha maliciosa. Esse rápido ataque costuma ser precedido da já mencionada piloereção e hissing, pois o animal está indicando que não deseja que o ser humano se aproxime dele em hipótese alguma.

Arranhões de gatos podem levar a possíveis doenças infecciosas. Não deixe o animal atacá-lo assim de novo e procure ajuda profissional.

 

7. Evitar contato com os olhos

No mundo animal, os comportamentos normais entre os humanos assumem conotações completamente diferentes. O contato visual constante entre dois competidores em uma hierarquia pode facilmente se traduzir em uma briga, então às vezes o “subordinado” desvia o olhar para evitar conflito. Portanto, olhar fixamente para um mamífero zangado nunca é uma boa ideia.

Desviar o olhar é um dos sinais de que o seu gato não ama você ou tem medo de você.

8. Os comportamentos citados servem apenas para você

Todos os comportamentos citados podem ser generalizados no animal, o que indica um claro problema de socialização ou um trauma que deve ser superado. Em qualquer caso, se o gato se deixa apanhar e interage com os visitantes e não com você, é possível que o problema seja você. Isso não significa que você fez algo errado, mas o felino pode associá-lo a uma experiência nada positiva ou a um odor desagradável.

9. Falta de relaxamento

Um gato relaxado tende a se deitar em posições vulneráveis, como de barriga para cima ou enrolado, e pode até começar a se limpar com a língua na frente dos membros da família. Ele também ficará com as orelhas “pontudas”, mas os olhos fechados e nenhum sinal de pelos eriçados. Se o seu gato não ama você, ele não realizará nenhum desses comportamentos na sua frente, porque não sente confiança em você.

10. Defecar fora da caixa

Curiosamente, outro dos sinais de que o seu gato não ama você se manifesta na forma de defecações fora do local escolhido pelo tutor (a caixa de areia). Seja porque deseja marcar seu território em outra área devido ao sentimento de ameaça que percebe ou porque simplesmente não está bem, esse sinal é comum nos problemas de comportamento felino.

11. Defecar e urinar nos pertences do tutor

Embora possa ser acidental em alguns casos, se seu gato urinar e defecar em seus pertences, ele pode estar indicando uma necessidade de marcação de território ou um claro problema de comportamento. Não é que o animal odeie você e faça xixi nas suas coisas para deixá-lo com raiva, mas que se sente estressado e adquire comportamentos atípicos.

12. Na realidade, seu gato nunca deixou de amar você

Por mais que tenhamos utilizado esse conceito, como nota final é necessário enfatizar que estes não são sinais de que seu gato não ama você, mas de que ele não está bem física ou psicologicamente. Um animal com esses comportamentos não mostra falta de afeto, mas alguma dor ou uma experiência traumática não permite que ele goste de conviver com os humanos.

Algumas das situações vitais que podem desencadear esse problema de relutância e medo estão resumidas na seguinte lista:

  • O gato passou muito tempo sozinho e perdeu o hábito de interagir com humanos. Isso fica ainda mais evidente se a falta de contato ocorrer no período de socialização.
  • O tutor usa reforço negativo para punir seu gato, como gritar, sacudir e até bater. Mais do que algo antiético, práticas como essa incorrem em abuso de animais e são passíveis de denúncia.
  • O gato teve uma experiência traumática com humanos na rua e geralmente fica desconfiado.

 

Um gato bravo olhando para a câmera.

Como você pode ver, esses sinais indicam mais medo do que falta de amor. Seu felino pode recuperar a confiança em você ou no ser humano em geral, apesar dos desentendimentos e experiências anteriores, mas saiba que todos esses comportamentos indicam a necessidade de buscar ajuda profissional. Não significa que o seu gato não ame você: o animal está passando por dificuldades físicas ou psicológicas e precisa de tratamento.

Pode interessar a você...
Os gatos podem comer queijo?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Os gatos podem comer queijo?

É comum se perguntar se os gatos podem comer queijo. A resposta é simples: sim. Mas alguns aspectos devem ser levados em consideração. Veja!



  • Understanding Your Cat’s Body Language, Purina. Recogido a 16 de agosto en https://www.purina.co.uk/articles/cats/behaviour/understanding-cats/cat-body-language
  • MALTRATO Y CRUELDAD EN ANIMALES, colvema.org. Recogido a 16 de agosto en http://www.colvema.org/PDF/Maltrato.pdf
  • Stoddard-Apter, S. L., & MacDonnell, M. F. (1980). Septal and amygdalar efferents to the hypothalamus which facilitate hypothalamically elicited intraspecific aggression and associated hissing in the cat. An autoradiographic study. Brain research, 193(1), 19-32.
  • Tateo, A., Zappaterra, M., Covella, A., & Padalino, B. (2021). Factors influencing stress and fear-related behaviour of cats during veterinary examinations. Italian Journal of Animal Science, 20(1), 46-58.