É possível evitar o cheiro de cachorro molhado?

· agosto 2, 2018
O mau cheiro pode ser devido não só ao fato de que o cão ficou molhado, mas devido a uma série de doenças.

Um cão que acabou de passar a tarde correndo na lama pode chegar em casa exalando um cheiro que poucos suportam; o famoso e odiado cheiro de cachorro molhado tem uma origem principalmente natural e pode ser evitado.

Por que nossos animais de estimação cheiram mal?

Na epiderme de todos os mamíferos há uma série de bactérias e fungos que, no caso dos cães, passam por um “período de latência”, enquanto a pele está seca.

No entanto, uma vez que nossos animais se molham, as moléculas de água causam pequenos compostos voláteis que causam o cheiro de cachorro molhado. Estes microrganismos são totalmente inofensivos e acompanham o nosso cão durante toda a sua vida.

A oleosidade natural que cobre os pelo dos cães também participa da formação do fedor.

Esta substância deve ser mantida e cuidada; uma vez que impermeabiliza o nosso animal de estimação e proporciona a suavidade e o brilho característicos de sua pelagem.

Cão se sacodindo

Outras áreas em que também podemos notar que o cheiro é mais intenso são as orelhas, almofadas e ânus; onde uma série de glândulas secretoras estão localizadas.

Hábitos e dicas que podem minimizar o cheiro de cachorro molhado

Uma vez que o odor dos nossos animais de estimação depende das bactérias e fungos naturalmente presentes na sua pele, que já mencionamos, é muito difícil que o cheiro do cão desapareça completamente.

Uma série de hábitos de limpeza, no entanto, podem ajudar nossa casa ou nossas roupas a não sofrerem tanto.

  • Limpe as patas do seu cachorro. Assim, você irá minimizar o cheiro de cachorro molhado e manter sua casa seca e livre de lama e germes. Use um pano ou toalha que você tenha perto da entrada da sua casa; para evitar que o cachorro estrague tudo.
  • Coloque seu animal de estimação diretamente no chuveiro. No caso de ser uma raça pequena, bastará levar o animal, no colo, ao banheiro. Se for maior, limpe as patas primeiro. Recomenda-se a utilização de um xampu especializado; para evitar o desenvolvimento de problemas de pele.
  • Escove com frequência. Esta é outra maneira de manter a higiene da pele e da pelagem do animal. Não devemos banhar excessivamente o nosso cão, portanto, essa é uma boa maneira de remover a sujeira e os germes.
Cão tomando banho

Você pode usar, como um desinfetante completamente natural, uma forma diluída de vinagre de maçã. Uma xícara de vinagre misturado com o xampu habitual do seu animal de estimação irá minimizar o cheiro mais do que você pode imaginar.

Doenças que emitem um cheiro particular

Há uma série de aromas que podem não surgir naturalmente e são indicadores de que nosso animal está passando por algum tipo de infecção.

Se, além disso, notarmos um comportamento mais elusivo ou retraído do que o habitual; devemos levar nosso animal ao veterinário.

Entre as infecções mais comuns, podemos encontrar:

  • Otite. Como já dissemos, em torno das orelhas, os cães têm uma série de glândulas responsáveis ​​por parte de seu cheiro natural. Uma infecção no ouvido pode levar a novas secreções que intensificam esse cheiro, por isso mantenha os ouvidos limpos e controlados.
  • Infecção oral causada por tártaro ou por algum alimento em mau estado. A boca canina também produz um odor forte e característico. Um odor de acetona ou amônia pode indicar, no entanto, uma infecção oral que requer tratamento veterinário.
  • Qualquer corrimento fora do comum nas glândulas perto dos olhos, boca, nariz ou órgãos reprodutores tem consequências diretas sobre o cheiro de nosso animal. Monitoramentos, feito pelos donos, poderão prevenir doenças e infecções e manter o nosso cão limpo e saudável.