Encontrado no Canadá um filhote de lobo mumificado

· novembro 25, 2018
Um lobo e um caribu mumificados foram encontrados perto de uma camada vulcânica e datam de 80 mil anos atrás.

O território de Yukon, no Canadá, é famoso por suas minas de ouro e, a partir de agora, será reconhecido por outros tesouros encontrados no subsolo. 

Um filhote de lobo mumificado e perfeitamente preservado foi descoberto. Restos de um caribu mumificados também foram encontrados a poucos metros de distância.

Os dois animais mumificados foram encontrados por mineiros enquanto procuravam ouro.

Descoberto em 2016, o filhote de lobo mumificado e o caribu (rena) foram submetidos a vários testes.

As equipes de pesquisa trabalharam incansavelmente nos dois animais. Neste momento, após dois anos, as múmias podem ser observadas no centro cultural de Tr’ondëk Hwëch’in, na cidade de Dawson.

Embora atualmente o território do Yukon esteja coberto por florestas densas, a situação era muito diferente na antiguidade.

Durante as eras glaciais, a área de Yukon era inóspita, congelada e muito seca. Além do caribu e dos lobos, na tundra habitavam animais como mamutes, tigres-dentes-de-sabre e ursos.

Um filhote de lobo mumificado

Perto de Dawson, existem muitas empresas de mineração explorando o solo em busca de ouro, mas esse território esconde muitos tesouros sob sua superfície.

Ao longo dos anos, esta área provou ser um cemitério de fósseis pré-históricos.

Consistentemente, as equipes de mineração encontram enormes ossos de megafauna. Por essa razão, os mineiros que encontraram os animais mumificados não ficaram particularmente surpresos.

As equipes de mineração que encontram fósseis sabem que devem reportá-los aos especialistas: paleontólogos.

O primeiro espécime que encontraram foi o caribu. Algumas semanas depois, a mesma equipe de mineração fez outra descoberta.

A poucos metros do primeiro achado, encontraram o filhote de lobo mumificado. Ambos os animais mantêm sua pele, músculos e pelagem intactos.

rena mumificada (caribu)

O filhote de lobo está quase completamente preservado. A condição é tão perfeita que ainda é possível ver detalhes na cabeça, cauda e pernas.

E, é claro, a pele e os pelos do lobinho estão perfeitamente preservados. Por outro lado, o caribu manteve intacto apenas o tronco, as duas patas dianteiras e, claro, a cabeça.

Um membro da equipe local de paleontologistas, Grant Zazula, explicou vários detalhes da descoberta.

Este foi o único espécime de lobo mumificado encontrado no mundo que data de uma era glacial.

Todos os cientistas que trabalham nesta pesquisa estão muito animados e surpresos com a descoberta. Os paleontólogos estão acostumados a trabalhar apenas com ossos fossilizados.

Para esses cientistas, ter a oportunidade de trabalhar com pele e pelos reais é única.

Experimentos posteriores

A equipe de especialistas que realiza a pesquisa quer, principalmente, fazer uma análise de DNA.

Isso os permitirá entender como ele está relacionado aos seus descendentes lobos. Para fazer testes de radiocarbono, pequenas partes da pele foram extraídas de ambos os corpos.

Estes exames produziram resultados surpreendentes: ambos os fósseis datam de 50 mil anos atrás. Esta é a data mais antiga que uma análise de radiocarbono pode gerar.

No entanto, o caribu foi encontrado perto de uma camada de terra vulcânica que data de 80 mil anos atrás. Alguns especialistas acham que essa é uma indicação melhor da idade real do lobo e do caribu.

filhote de lobo mumificado

Zuzula indicou que ainda há muita pesquisa a ser feita com base nesses dois animais mumificados.

Pelo carbono e nitrogênio na pele e pelagem deles é possível, por exemplo, saber o que esses animais comiam na época.

Além disso, Zuzula comentou que é curioso que esses dois espécimes tenham sido encontrados dessa maneira.

Embora atualmente existam lobos e caribus, estes dois animais não eram muito abundantes nas eras glaciais. Por causa de seu tamanho, os pequenos animais não costumavam sobreviver ao frio.

Sua sobrevivência é um mistério para os pesquisadores, mas muitos esperam que o DNA das múmias revele o segredo.

Amostras pré-históricas de DNA poderiam ajudar a construir uma genealogia animal. Deste modo, pode-se determinar como a evolução genética dos lobos pré-históricos ocorreu até os lobos modernos.

“Os restos deste lobo são muito importantes. Eles nos permitem fazer uma conexão real com animais que viveram há milhares de anos. Quando olhamos para eles, temos a vontade de estender a mão e acariciá-los”, diz a paleontologista Elsa Panciroli.

A importância do fóssil

Para o povo de Tr’ondëk Hwëch’in a descoberta destes animais representa muito mais do que apenas uma descoberta arqueológica.

Ambos os animais são símbolos da vida original desse território. O caribu alimentou e vestiu os homens e mulheres do território de Yukon durante séculos.

Por outro lado, o lobo mantém o equilíbrio na natureza. Ambos os animais, juntos, são um símbolo de equilíbrio. Encontrá-los significa a união da natureza através do tempo.

Para a aldeia de Tr’ondëk Hwëch’in, o filhote de lobo representa a permanência do equilíbrio através do tempo.