O escaravelho egípcio: um amuleto de vida e poder

Os antigos egípcios adoravam o escaravelho como um exemplo de vida eterna. Além de seu simbolismo, esses invertebrados desempenham papéis essenciais nos ecossistemas.
O escaravelho egípcio: um amuleto de vida e poder

Última atualização: 22 Abril, 2021

O escaravelho egípcio era um dos símbolos mais preciosos dos antigos faraós. Visto que era usado como um amuleto de vida e poder ou como um doador de boa sorte, podemos encontrar centenas de símbolos de escaravelhos nos lugares mais inesperados do Egito Antigo. Isso inclui pirâmides, templos de culto, tumbas de faraós e um longuíssimo etcétera.

Quais eram as razões pelas quais os egípcios adoravam esses pequenos besouros? Quais poderes eram atribuídos a eles? A qual deus na mitologia egípcia eles estavam associados? O que podemos dizer sobre a biologia desses animais? Vamos responder a todas essas perguntas e muitas outras nas linhas a seguir.

O poder de transformação

O escaravelho era um inseto sagrado para os egípcios por vários motivos. Para descobrir o porquê, podemos analisar as primeiras pistas em sua etimologia – a origem de seu nome. Isso nos revela que o apelido do besouro em linguagem hieroglífica se traduz como “converter” ou “transformar”.

Essa ideia nos leva diretamente a relacionar os coleópteros com um dos deuses mais importantes da mitologia egípcia. Jepri, o deus do Sol nascente, costuma ser descrito como um escaravelho.

A razão para isso é que Jepri era a forma de Rá, o deus do Sol, associado ao amanhecer. Acredita-se que os antigos egípcios vinculavam a bola de esterco que esses escaravelhos rolam ao sol nascente do amanhecer. Além disso, durante os tempos antigos, pensava-se que os esses escaravelhos eram apenas machos e se autofecundavam.

Isso coincidia com as histórias que eram contadas de que Jepri criou a si mesmo do nada.

Um escaravelho egípcio esculpido em pedra.

Os egípcios acreditavam que Jepri renovava o Sol todos os dias depois que ele desaparecia no horizonte. Esse ser divino o carregaria através do submundo, Duat, para renová-lo novamente no dia seguinte. Portanto, para os antigos egípcios, o escaravelho representava nada mais nada menos que o portador do disco solar.

O escaravelho egípcio: um amuleto de boa sorte

O escaravelho egípcio é, entre outras coisas, um amuleto de boa sorte. Foram encontradas peças em forma de besouro esculpidas em uma variedade de materiais, desde madeira simples à lápis-lazúli. É um dos símbolos mais reconhecidos do Antigo Egito, principalmente devido ao seu uso em sepulturas e nas conhecidas múmias egípcias.

Nas múmias do Antigo Egito, os amuletos em forma de escaravelho desempenham um papel central. É uma peça que se colocava no peito, como um coração. A função do escaravelho era basicamente proteger o coração e evitar que testemunhasse contra o falecido no julgamento dos mortos, garantindo assim a vida eterna.

Embora as múmias egípcias sejam um dos lugares onde mais amuletos de escaravelhos podem ser encontrados, é importante saber que os escaravelhos também oferecem proteção na vida – pelo menos de acordo com as crenças dos antigos egípcios. Assim, quem carregasse um desses símbolos estaria protegido contra doenças, pragas e outros males.

Sendo associado ao Sol, ao renascimento da manhã e ao retorno da luz, o amuleto significava vida eterna.

O valor dos escaravelhos nos ecossistemas

Agora que sabemos um pouco sobre o valor simbólico dos escaravelhos, podemos voltar um pouco à realidade da natureza e aprender um pouco sobre o valor dos coleópteros como animais.

A primeira coisa que devemos saber é que os coleópteros, a ordem à qual pertencem os escaravelhos, são o maior grupo de animais que existe. Cerca de 375 000 espécies estão incluídas nesse táxon, que representa quase um terço de todas as espécies animais descobertas.

Essa enorme diversidade está associada a uma função essencial para os ecossistemas: a reciclagem da matéria. Assim, os besouros se alimentam de restos de animais mortos. Isso é essencial para a reciclagem da matéria e dos nutrientes, que acabam indo para o solo e são usados novamente pelas plantas para a alimentação.

Esses escaravelhos eram animais que os egípcios adoravam.

Da mesma forma que o deus Jepri movia o sol ao redor do mundo desde a noite até um novo amanhecer, os escaravelhos transformam a matéria morta para ser aproveitada: seu trabalho é digno de uma divindade, pois transformam a morte em vida.

Pode interessar a você...
O curioso caso dos insetos controladores de pragas
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O curioso caso dos insetos controladores de pragas

Os rafidiópteros e crisopídeos são dois dos grupos considerados insetos controladores de pragas. Eles têm sido usados ​​há anos.