Espasmos musculares em cães: o que fazer?

junho 6, 2020
Embora os espasmos musculares em cães não sejam potencialmente letais, eles podem ser dolorosos. O seu aparecimento pode ser uma indicação de uma condição mais séria que exija uma intervenção médica.

Os espasmos musculares em cães podem ocorrer como consequência de um problema localizado. Geralmente, surgem como resultado do esforço excessivo, de danos neurológicos ou de uma lesão física.

Embora os espasmos em si não sejam perigosos, eles podem ser dolorosos. Principalmente se persistirem durante um longo período de tempo. Também podem ser uma indicação de uma condição mais séria, tais como um nervo comprimido, um disco vertebral deslocado ou uma lesão muscular.

Algumas condições que causam espasmos musculares em cães estão diretamente relacionadas a distúrbios neurológicos, que geralmente causam convulsões.

O que são os espasmos musculares?

É importante ter em mente que as convulsões em cães, tanto epilépticas quanto não epilépticas, são compostas por inúmeros espasmos musculares recorrentes. A origem desses espasmos está na atividade elétrica no cérebro.  

Além disso, os espasmos musculares em cães também podem ocorrer (e ocorrem) sem que estejam associados a convulsões. Quando ocorrem de forma isolada, geralmente se trata de um sintoma menos grave.

Assim, é importante conhecer a causa específica dos espasmos musculares do cachorro, antes de tentar tratá-los por conta própria.

A seguir, vamos comentar quais são os aspectos que você deve considerar ao levar seu cachorro ao veterinário por causa da suspeita de espasmos musculares.

Causas de espasmos musculares em cães

Em primeiro lugar, lembre-se de que não há uma razão única para o surgimento de espasmos musculares em cães. Cada causa tem o seu próprio conjunto de sintomas e formas de tratamento.

Espasmos musculares em cães

1. Contrações musculares durante o sono

Durante a fase de sono profundo, o cérebro canino experimenta um nível mais alto de atividade, o que poderia explicar porque alguns cães (e humanos) geralmente se contorcem enquanto dormem.

Se você suspeitar que o seu cachorro esteja tendo uma convulsão durante o sono, tente acordá-lo com cuidado. Se não estiver acontecendo nada, o cachorro vai se sacudir imediatamente, mas se ele estiver tendo uma convulsão não epiléptica, será muito mais difícil acordá-lo.

2. Lesões

Músculos, ossos, veias, nervos e cartilagens dos cães se unem para formar um sistema complexo. Por esse motivo, os problemas musculares geralmente coincidem ou causam problemas nas articulações.

Quando há uma lesão em uma articulação ou músculo do corpo do cachorro, os músculos à sua volta se encolhem ou se enrijecem, o que pode se parecer com espasmos. Essas lesões geralmente fazem o cachorro mancar ou mudar o padrão de marcha.

Em caso de traumatismo na cabeça, pode haver prejuízo à capacidade do cérebro para calcular o movimento dos membros, causando os espasmos musculares em cães.

3. Hipoglicemia

Embora seja um efeito colateral pouco frequente, baixos níveis de açúcar no sangue em cães hipoglicêmicos podem causar espasmos musculares e convulsões.

4. Esforço excessivo

Espasmos musculares em cães

Quando um cachorro brinca ou corre demais ou durante muito tempo, os seus músculos podem sofrer com a atividade intensaO tempo gasto ao ar livre sem água causará uma desidratação grave ou insolação nos cães, que também estão associadas a convulsões.

5. Envenenamento

O envenenamento é comum em cães, pois eles geralmente ingerem substâncias que não são destinadas ao consumo.

O ato de cambalear, que é uma característica definidora do envenenamento canino, é algo frequentemente confundido com os espasmos musculares. Se não tratado, o envenenamento em cães pode levar a insuficiência renal e complicações graves.

6. Cinomose

Trata-se de uma doença viral que afeta filhotes e cães sem vacinas atualizadas, e que pode causar sintomas como os espasmos musculares.

7. Síndrome do estresse canino

Trata-se de um distúrbio neurológico ao qual certas raças, tais como o Labrador Retriever, são suscetíveis. Estudos demonstraram que essa síndrome também pode ser induzida por exercícios excessivos em cães.

Cuidados veterinários para os espasmos musculares em cães

A menos que você tenha certeza de que os espasmos musculares do cachorro são algo isolado, entre em contato com o veterinário imediatamente. Isso é especialmente urgente se os espasmos forem constantes e ocorrerem acompanhados de vômitos ou letargia.

  • Se o veterinário suspeitar de uma intoxicação, o animal receberá injeções para induzir ao vômito, bem como hidratação intravenosa.
  • Sempre que houver espasmos musculares ou convulsões em cães, a equipe veterinária fará exames de sangue para verificar os níveis enzimáticos de importantes órgãos internos.
  • Se o cachorro estiver mancando ou se houver informações de uma queda recente ou outra lesão, serão feitos exames de raios-X ou tomografias computadorizadas.
  • Se o veterinário suspeitar de epilepsia ou de qualquer outro distúrbio neurológico, exames como o eletroencefalograma (EEG) são muito prováveis. Esses exames serão feitos para observar e registrar a atividade elétrica do cérebro do cachorro.
  • Se houver o diagnóstico de epilepsia, será aplicada a terapia com medicamentos antiepiléticos para estabilizar o cachorro. Essa medicação tem como objetivo diminuir o seu limiar convulsivo o máximo possível.
  • Outros exames laboratoriais podem incluir: exame de urina, fezes e líquido cefalorraquidiano.

Assistência em casa para os espasmos musculares em cães

Espasmos musculares em cães

Com um diagnóstico e o aconselhamento do veterinário, você poderá aplicar as medidas apropriadas para ajudar o animal. Essas medidas podem até mesmo impedir que o seu cachorro sofra espasmos musculares no futuro.

Dependendo da origem dos espasmos musculares, pode ser necessário um tratamento adicional para tratar a causa principal. Isso inclui sessões de fisioterapia, massagens ou cirurgia para remover o nervo afetado ou a fonte das cãibras.

O melhor método para tratar os espasmos musculares em cães é evitá-los. Por isso, tanto durante quanto após o exercício, certifique-se de que o seu cachorro tenha acesso a muito líquido e se mantenha hidratado, principalmente nos dias mais quentes.

  • Molina, V. M. (2014). Manejo terapéutico de la intoxicación con fluoracetato de sodio (guayaquil®) en caninos: reporte de cinco casos–2012-2013–. Revista de la Facultad de Medicina Veterinaria y de Zootecnia, 61(I), 83-96.
  • Waldorf Gewirtz, E., Herod Nuccio, J., (2009) The Everything Natural Health for Dogs Book: The healthy, affordable way to ensure a long, happy life for your pet. Simon and Schuster Editores ISBN1605507148,
  • Luengo, M., & Gutiérrez-Aragón, J. (2013). Tratamiento de urgencia de las intoxicaciones más frecuentes en perros y gatos parte I. VET-UY Agro y Veterinaria.
  • Thomas, WB (2017). “Chapter 31: Movement disorders”. In Ettinger, SJ; Feldman, EC; Cote, E (eds.). Textbook of Veterinary Internal Medicine (8th ed.). Elsevier Health Sciences. ISBN 9780323312394.