6 espécies exóticas invasoras que você deve conhecer

julho 29, 2018
Esses animais podem fazer desaparecer outros animais, em virtude dos desequilíbrios que provocam nos ecossistemas. Geralmente, são animais de estimação abandonados ou que fogem.

As espécies exóticas invasoras são animais muito importantes: lembramos que são animais ou plantas que não pertencem ao ecossistema no qual se encontram e que, geralmente, chegaram ali por obra do homem.

Essas espécies invasoras geralmente causam desequilíbrios na natureza e fomentam o desaparecimento de outras espécies em perigo de extinção, por isso é essencial conhecê-las.

Mesmo existindo em outros países histórias incríveis de espécies invasoras, como é o caso dos coelhos na Austrália, hoje vamos falar sobre as espécies invasoras mais populares da Espanha:

Tartaruga da Florida

As tartarugas pertencentes ao gênero Trachemys – imagem que abre este artigo – são um clássico entre as espécies exóticas invasoras: popularizadas como animal de estimação para crianças, muitas são jogadas no vaso sanitário ou soltas em rios e parques quando a criança se cansa do animal e os pais não se sentem responsáveis.

Essas tartarugas vivem mais de 20 anos e podem aumentar muito de tamanho, por isso muitos não querem mantê-las em casa. Isso faz com que elas se tornem um autêntico perigo para os rios e lagos espanhóis, pois movem-se até o galápago europeu e são bastante agressivas com outras espécies.

As caturrita argentinas e o papagaio Kramer 

A caturrita argentina e o papagaio Kramer são duas das espécies exóticas invasoras mais importantes em países como a Espanha. Esses pássaros exóticos são muito capazes de sobreviver na Europa e chegam à natureza através de donos irresponsáveis que abandonam esses animais ou com escapes acidentais.

catorra de kramer

Esses pássaros, ambos de cor verde, são um problema, especialmente nas cidades. Em geral, causam problemas de convivência por seu barulho, seus dejetos e seus ninhos, já que podem conviver em colônias de centenas de exemplares e, além disso, são uma ameaça para a natureza. Isso levou grupos de ecologistas a denunciar a situação. 

No caso do papagaio Kramer, trata-se de uma ave originária da África e do Sul da Ásia, que apareceu na Espanha pela primeira vez em 1971. Atualmente, há muitos exemplares desta espécie em cidades como Barcelona, Sevilha, Valência, Madri e Murcia. A caturrita argentina, no entanto, vem da América do Sul, e tem grandes populações na Catalunha, Murcia, Andaluzia e até em Galícia e na Zamora.

Quatis e guaxinins

O quati e o guaxinim são outras das espécies que são invasoras na Espanha. Os números mostram que há guaxinins na Europa em quantidades cada vez maiores, enquanto as populações de quati se expandem em vários núcleos na Espanha.

quati

A invasão desses animais também é fruto da posse deles como animais de estimação. O perigo que representam levou muitos compradores irresponsáveis a abandoná-los, e essas espécies se adaptaram muito bem ao entorno. O problema é que não são confiáveis, podem atacar e são animais selvagens que têm raiva, além de depredarem ovos de aves ameaçadas.

guaxinim na cidade

Vison Americano

A história do vison é trágica: foram exportados para a indústria de pele até a Europa, e grupos de animalistas os libertaram das fazendas. Ainda que essa ação pretendesse ajudar os animais, o certo é que acabou levando o vison europeu a uma provável extinção.

vison americano

O vison americano, com mais capacidade de expansão, está deslocando o vison europeu de seu habitat, o que está reduzindo cada vez mais sua capacidade de sobreviver. Calcula-se que, na Espanha, sobraram apenas 500 visons europeus.

O problema das espécies exóticas invasoras

Muitas dessas espécies foram declaradas invasoras após serem libertadas, e assim passaram a se propagar em determinadas regiões. Por isso, é importante que, ainda que nosso animal de estimação exótico não seja invasor, tenhamos cuidado com ele e sejamos responsáveis.

As espécies exóticas invasoras nos mostram que a posse de animais de estimação é uma responsabilidade muito grande. E não só pelo bem dos animais que acolhemos em nosso lar, mas também pelo bem-estar dos animais selvagens e de seus ecossistemas.

Recomendados para você