Fazendeiros e lobos: ordenando a convivência

· maio 6, 2018

Como é a relação entre fazendeiros e lobos? Não é só a importância da manutenção de uma espécie com perigo claro de extinção. Além disso há as reclamações contínuas dos fazendeiros que veem suas propriedades sendo atacadas.

Dados sobre proteção a fazendeiros e lobos

O censo sobre o lobo ibérico, segundo dados obtidos entre os anos de 2012 e 2014, traz informações interessantes. Os fazendeiros das regiões mais habitadas por esses animais reclamam que o número de lobos tem subido. E isso lhes traz prejuízos e perdas econômicas.

Apesar desse aumento no número de lobos desde o ano de 2005, a evolução não é o que parece. Os lobos passaram, segundo esses estudos, de 250 para 297 exemplares. Mas especialistas no tema afirmam que é preciso levar em conta alguns aspectos importantes. Um deles é o número de exemplares de cada manada.

lobos

Os censos oficiais feitos em cada região não parecem utilizar um mesmo método para todos os casos. Por tudo isso, não é simples saber qual o número real de lobos existentes no mundo.

Posturas diferentes: realidades dos fazendeiros

O comportamento predador natural do lobo ibérico representa desde sempre uma ameaça para o setor agrícola, que o considera um perigo para os fazendeiros e sua economia. Não por acaso, os maiores danos que essa espécie causa se apresentam em regiões onde o gado não se encontra devidamente protegido.

Neste contexto, a organização espanhola União dos Pequenos Agricultores e Fazendeiros sente que este fato vai contra seus interesses. Além disso, contra a prática dos fazendeiros. Pede, portanto, um debate conjunto de um plano de convivência sustentável para diversos setores. As autoridades concordam.

Como criar sinergia

Na Espanha, a proposição “No de Ley”, que tem caráter não vinculado a outra lei, debate sobre temas pouco visados. Além disso, pede uma nova estratégia de conservação, onde todos os lados participem. Em resumo, o caminho ideal para criar sinergias baseia-se fundamentalmente em:

  • Que as administrações fomentem informações e conscientização sobre a situação da espécie no território e o perigo de extinção.
  • Criar instâncias onde se possa debater as diversas posturas para gerar uma cooperação e acordos amplos e consensuais.
  • A elaboração de uma estratégia de conservação do lobo ibérico baseada em pesquisas científicas rigorosas.
  • Estabelecer critérios para que as compensações econômicas ao setor de fazendeiros das regiões com lobos sejam justas
  • Promover ajuda à população rural para garantir a coexistência do lobo com as práticas dos fazendeiros.
  • Conseguir uma convivência baseada na prevenção. De maneira que se implementem sistemas de proteção nas explorações, como o pastoreio, cães de vigilância, busca noturna, entre outros.

Zonas afetadas pelo gado: fazendeiros e lobos

Na Serra Norte de Guadalajara já se viu, nos últimos anos, diferentes exemplos de ataques de animais selvagens. Trata-se de uma situação difícil, na qual duas partes são afetadas. De um lado, estão os ecologistas e as associações de defesa do lobo ibérico. Do outro, os fazendeiros.

Para resolver esse problema, instituições como os Deputados de Guadalajara estão tentando ajudar.

O que faz com que os lobos ataquem o gado? Trata-se de um instinto inato, de sobrevivência? A verdade é que a natureza é uma cadeia alimentar. Tradicionalmente, os lobos se alimentam de diferentes presas, como o coelho e a lebre. Por diferentes motivos, doenças, caças, etc., esses animais estão desaparecendo. E os lobos se viram obrigados a buscar seu sustento em outros lugares.

lobos

Soluções planejadas

Entre as soluções planejadas, está a repovoamento do ambiente natural com animais pequenos de caça. Trata-se, em definitivo, de tentar manter o equilíbrio da cadeia. Essas opções já são utilizadas nos campos de caça. Ao invés de para o benefício humano, nesse caso será para os lobos. Outra solução planejada é ajudar os fazendeiros com a instalação de cercas elétricas. A compra e adestramento de cães mastins também é uma opção, ainda que exija mais tempo.

Uma solução curiosa, mas eficaz, são os burros. Esses animais detectam muito facilmente a presença de lobos e fazem muito barulho. Caso um lobo aproxime-se, os burros os espantam facilmente, dando coices.

O seguro privado também apareceu como uma via econômica. Mas os fazendeiros afirmam que não podem ter um gasto desses. Portanto, o conflito entre fazendeiros e lobos não têm solução fácil.

Fonte da imagem principal: Eric Kilby.