Gato mancando: causas comuns e tratamento

dezembro 8, 2019
Ao ver um gato mancando, ficamos imaginando o que deve ser levado em consideração e como podemos ajudá-lo. É bom que você saiba que certas condições requerem atenção médica imediata, porque se você deixar uma condição grave e dolorosa avançar, a situação vai piorar rapidamente.

Muitas condições médicas que afetam articulações, músculos, ossos, nervos ou a pele podem ser a razão pela qual um gato está mancando. Dentre a lista de possíveis problemas, alguns são mais graves do que outros. Por isso, é importante ficar atento.

Sem dúvida, se o seu gatinho foi atropelado por um veículo em movimento ou caiu de uma janela, não é nenhuma surpresa que ele não consiga andar normalmente. No entanto, às vezes a causa pela qual o gato está mancando não é tão dramática ou tão óbvia.

Portanto, é interessante aprender mais sobre as causas que fazem com que os gatos fiquem mancando, os sintomas que devem ser levados em consideração e também sobre como ajudar o seu gatinho.

Por si só, mancar não é uma doença, mas pode indicar um problema no sistema musculoesquelético ou nervoso.

Mancar como um sintoma

Um gato que não consegue andar, correr ou pular normalmente pode ser considerado manco. Mas pode ser que, mesmo que o gato sinta uma dor evidente, o membro afetado continue parecendo anormal.

É importante lembrar que mancar é um sinal clínico de outra doença e, portanto, não é um diagnóstico em si. Assim, muitas condições podem fazer um gato mancar e os gatos afetados podem mostrar uma variedade de sinais, além de estarem mancando.

Por esse motivo, é importante observar se há perda de apetite, aumento da vocalização, letargia, vômitos, emagrecimento, aumento do consumo de água ou maior volume de urina.

Causas que podem explicar por que um gato está mancando

Geralmente, os gatos começam a mancar como resultado de um processo de lesão ou doença que afeta o sistema musculoesquelético ou nervoso. Alterações nos ossos, músculos, tendões, ligamentos e nervos podem fazer um gato mancar.

Além disso, um gato também pode mancar por causa de outras doenças sistêmicas, como as condições que afetam o sistema imunológico, por exemplo. Sem dúvida, algumas doenças infecciosas, a má nutrição, o câncer ou o diabetes também podem fazer um gato mancar.

Radiografia de gato

Aqui está uma lista das causas mais comuns para um gato começar a mancar:

1. Trauma ou lesão

  • Entorse ou distensão muscular.
  • Contusão.
  • Tendinite.
  • Miosite.
  • Picadas de cobras ou de outros animais.
  • Fratura.
  • Unha quebrada.
  • Laceração da almofadinha da pata.
  • Corpo estranho na almofadinha da pata (espinhos, farpas, vidro, etc..).
  • Congelamento ou queimaduras na almofadinha da pata.

2. Transtornos nervosos

  • Paralisia do nervo radial.
  • Discoespondilite.
  • Acidente vascular cerebral leve.

3. Doença articular

  • Displasia de quadril.
  • Doença articular degenerativa ou osteoartrite.
  • Luxação conjunta.

4. Doenças sistêmicas

  • Doenças imunomediadas, incluindo a poliartrite progressiva.
  • Câncer nos ossos.
  • Infecções virais, tais como o calicivírus.
  • Diabetes.
  • Doenças do desenvolvimento ou congênitas.

Procedimentos diagnósticos diante de um gato mancando

É necessário destacar a importância de obter o diagnóstico correto para que o gato não desenvolva distúrbios musculares ou nervosos permanentes. O seu veterinário fará um exame físico completo do seu gato para ajudar a determinar a localização exata do problema.

A idade do seu gato, o histórico de qualquer trauma, o início do problema (agudo ou crônico), a gravidade com que ele está mancando e se há várias patas envolvidas são indicadores da possível fonte do problema.

O diagnóstico para os gatos que estão mancando pode exigir exames especiais. Isso geralmente inclui um ou mais dos seguintes exames:

  • Radiografias.
  • Biópsias.
  • Exames de sangue para detectar doenças infecciosas ou relacionadas ao sistema imunológico.
  • Coleta e exame de líquido articular.
  • Os exames de imagem mais abrangentes podem incluir ultrassom, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Como cuidar de um gato mancando

Além de tratar a causa subjacente que está fazendo o gato mancar, os veterinários buscam controlar a dor sentida por um gato que está mancando. Geralmente, eles começam com um tratamento menos invasivo e podem passar para um mais invasivo se o primeiro não funcionar.

Dar medicamento para gatos

A primeira opção é a medicação para a dor. Primeiramente, serão administrados medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, que reduzem a inflamação das articulações ou ligamentos.

Enquanto o gato estiver fazendo este tratamento, o veterinário irá monitorá-lo de perto. Isso é feito para garantir que ele não desenvolva danos renais, hepáticos ou gastrointestinais.

Juntamente com essa forma de tratamento, o veterinário também pode prescrever o repouso em uma gaiola.

Se os AINEs não funcionarem, o veterinário vai prescrever analgésicos opioides, tais como tramadol, buprenorfina ou butorfanol. Esses medicamentos são reservados para as dores mais fortes.

No caso da osteoartrite, os medicamentos que protegem a cartilagem ao redor da articulação podem ser úteis. Eles são usados ​​para retardar a degradação da cartilagem no membro afetado.

Além disso, os tratamentos que ajudam a controlar a dor também podem ser úteis. Estes incluem tratamentos de quiropraxia, acupuntura e fisioterapia, bem como a terapia a laser.

Finalmente, outros tratamentos podem incluir massagens e mudanças na dieta. Se o gato tiver uma condição congênita que limite o uso do membro ou cause dor significativa, o veterinário pode sugerir uma cirurgia.

O seu veterinário vai prescrever o tratamento mais conveniente para aliviar a dor do gato que estiver mancando, por isso é muito importante que você siga todas as suas instruções, exatamente conforme prescritas.

  • Garosi, L. (2012). Neurological lameness in the cat: Common causes and clinical approach. Journal of feline medicine and surgery, 14(1), 85-93.
  • Langley-Hobbs, S. (2017, April). Lame cats: if it’s not a fracture, then what could it be?. In BSAVA Congress Proceedings 2017 (pp. 224-225). BSAVA Library.
  • Perry, K. L. (2015). The lame cat: alternative causes of non-traumatic lameness. Companion Animal, 20(4), 196-201.