A impressionante rã-dourada-do-Panamá

maio 15, 2019
Apesar de seu nome, a rã-dourada-do-Panamá é, na verdade, um sapo cuja cor marcante avisa sobre a sua toxicidade.

A rã-dourada-do-Panamá é pequena, tem cores muito marcantes e está criticamente em perigo. Hoje, nós contaremos qual foi a última vez em que ela foi vista em liberdade e compartilharemos todas as suas características incríveis.

Características da rã-dourada-do-Panamá

Apesar de seu nome e do que parece à primeira vista, a rã-dourada-do-Panamá é um sapo, e não uma rã. Este pequeno anfíbio tem um corpo muito pequeno e um leve dimorfismo sexual: as fêmeas são um pouco maiores do que os machos. Elas pesam até 15 gramas e medem até 65 milímetros.

A rã-dourada-do-Panamá é um belo animal com cores vibrantes: a maioria deles tem uma cor que varia de amarelo esverdeado a completamente dourado. Alguns podem ter manchas pretas nas costas e nas pernas.

Como bem anunciam as suas cores marcantes, este animal é tóxico. Não é tão venenoso quanto as rãs-dardo, mas sua pele está coberta de toxinas destinadas a envenenar qualquer um que a tocar. Felizmente, os efeitos desse veneno em humanos não são muito significativos, mas ele é considerado letal em grandes doses.

Se compararmos a rã-dourada-do-Panamá com o resto dos sapos da sua família, ela tem um corpo fino e estilizado, com membros longos. Sua pele parece lisa, mas olhando de perto você pode ver que ela é áspera.

Habitat da rã-dourada-do-Panamá

O habitat natural deste animal é muito pequeno: é uma espécie endêmica do Panamá, que só pode ser encontrada no Vale do Antón e no Parque Nacional Campana. No entanto, eles não são vistos em liberdade há bastante tempo, e teme-se que sejam extintos do seu habitat natural.

Habitat da rã-dourada-do-Panamá

A rã-dourada-do-Panamá prospera em ambientes úmidos, nas margens dos rios montanhosos. Perdeu muito habitat nas últimas décadas, o que é uma das causas do declínio de sua população.

Alimentação

A rã-dourada-do-Panamá, como muitos outros animais de sua família, começa a sua vida como um girino e depois desenvolve pernas e pulmões e adquire sua forma adulta. Quando são girinos, alimentam-se principalmente de algas.

Quando eles se tornam adultos, não só mudam seu corpo, mas também sua dieta. A rã-dourada-do-Panamá é um animal carnívoro que se alimenta principalmente de insetos. Eles não são animais que viajam longas distâncias em busca de comida: eles caçam o que encontram.

Assim, eles podem se alimentar de mosquitos, formigas, moscas… tudo o que tiver por perto e ao seu alcance.

Conservação da rã-dourada-do-Panamá

Há quase uma década, uma rã-dourada-do-Panamá foi filmada pela última vez. Acredita-se que elas estejam extintas de seu habitat natural: há apenas um registro de espécimes vivos em vários zoológicos e instalações de recuperação da vida selvagem.

Alimentação das rãs

Você pode encontrar várias causas que levaram a esta situação: a primeira, a perda de seu habitat natural. A rã-dourada-do-Panamá é um ser territorial que não pode viver em grupos e não tolera compartilhar seu espaço com outros espécimes.

Seu habitat não era muito extenso, e nas últimas décadas as fazendas, madeireiras e outros negócios passaram a ocupá-lo.

A outra ameaça, talvez mais importante porque não se sabe como controlar, é um fungo. A partir da década de 2000, esses sapos foram afetados pela quitridiomicose, uma doença mortal causada por um fungo que também apareceu em outras populações de anfíbios na América.

Os últimos espécimes que foram localizados na natureza foram levados para os centros de recuperação para que pudessem se reproduzir e depois ser devolvidos à natureza. Atualmente essa espécie existe em mais de 50 centros na América do Norte e do Sul.

Este sapo conseguiu se reproduzir com sucesso em cativeiro. Seus números sob a supervisão de cientistas são bons, mas eles não podem ser devolvidos ao seu habitat: a cura para a quitridiomicose ainda não foi encontrada, então eles morreriam de qualquer maneira.

A rã-dourada-do-Panamá é um símbolo nacional do Panamá. De fato, foi declarado que o dia 14 de agosto é o Dia Nacional da Rã-Dourada. Ela aparece representada em selos e notas de dinheiro, mas, apesar do reconhecimento desta espécie e dos esforços para salvá-la, ainda há muito trabalho a ser feito para que ela possa voltar a ocupar o Vale de Antón.