Macaco gelada: características, comportamento e habitat

· novembro 8, 2018

Existem centenas de espécies de primatas, mas poucas tão incríveis como o macaco gelada (Theropithecus gelada). Essa espécie vive nos campos mais altos da Etiópia, e é conhecida como o macaco-do-coração-de-sangue, devido à coloração única de seu peito.

O macaco gelada é o último membro do gênero Theropithecus, ao qual pertenciam os babuínos gigantes.

Um deles, o Theropithecus oswaldi, habitou na Espanha e outros países europeus, e tinha o peso de primatas enormes, como o gorila atual.

Características do macaco gelada

Os geladas são primatas de tamanho médio e pelo castanho, que chegam a 30 quilos, mas geralmente variam entre os 12 e 20 quilos.

Tanto machos quanto fêmeas apresentam um peito avermelhado, que parece formar um coração nos dois gêneros.

Esses macacos têm um rabo não preensil, presente apenas nos primatas americanos, como o Cebus.

A espécie tem uma esperança de vida de 14 anos, seu ciclo reprodutivo dura pouco mais de um mês e a gestação leva seis meses.

Vale ressaltar que já foram descritas subespécies desta espécie, como o T. gelada gelada e o T. gelada obscurus, cujo pelo é mais escuro.

Essa espécie de primata africano apresenta uma grande diferença entre os sexos: os machos têm um volume maior de pelo, especialmente nos ombros, cabeça e bochechas.

Suas pálpebras de tonalidade pálida e suas presas enormes fazem com que os gestos ameaçadores desses animais sejam aterrorizantes.

Essa espécie de primata africano apresenta uma grande diferença entre os sexos: os machos têm um volume maior de pelo, especialmente nos ombros, cabeça e bochechas. 

Comportamento

Diferente de boa parte dos primatas, o gelada é exclusivamente terrestre.

Esse primata diurno vive em sociedades onde um macho líder conta com um grupo de fêmeas e mais algum macho conhecido como seguidor.

Essas colônias geralmente são compostas por grupos de 300 indivíduos.

Macaco gelada

O macaco gelada passa a maioria do tempo consumindo folhas e ervas. Passam grande parte do dia manipulando o alimento, o que lhes permitiu desenvolver bastante o polegar opositor.

Além de investirem grande parte do seu tempo na manipulação do alimento, costumam se comunicar através de vocalizações em forma de murmúrios.

As vocalizações lhe tornam o único primata não humano que pode modular o volume e o tom de sua voz de forma rápida e adaptável, de forma muito parecida com o ser humano. Faz isso através de seus lábios.

Esses animais têm uma relação muito especial com o lobo etíope. Essa espécie se encontra em perigo de extinção, e os geladas lhes permitem caçar juntos, o que aumenta as chances de captura.

Isso acontece porque as presas desses animais carnívoros são roedores. O gelada não parece ter nenhuma vantagem com essa relação, e isso parece indicar altruísmo ou simplesmente indiferença.

O macaco gelada passa a maioria do tempo consumindo folhas e ervas, e passam boa parte do dia manipulando o alimento, o que lhes permitiu desenvolver muito o polegar opositor.

Habitat

Os geladas vivem somente nos prados no alto das montanhas, entre 1,4 mil e 4,4 mil metros de altura.

A distribuição de suas subespécies, T.gelada gelada e T.gelada obscurus, se reduz às proximidades do lago Tana e do lado Takezé, na Etiópia.

Considera-se que nenhuma das subespécies esteja em perigo, pois existem mais de 50 mil exemplares.

Apesar disso, sua população é muito ameaçada pela caça furtiva, que tem como objetivo a elaboração de perucas e de seu uso em testes. A fragmentação de seu habitat é outra de suas ameaças.

No entanto, sua maior ameaça é a mudança de clima. Seu habitat elevado oferece as temperaturas adequadas para a espécie e seu alimento.

O aumento das temperaturas faz com que o gelada precise procurar locais mais altos, ano após ano.

O problema é que ele já não tem para onde subir, e portanto seu habitat tem se reduzido. Isso torna o gelada um autêntico refugiado climático.