Meu cão pode participar de terapias?

· setembro 7, 2018
Com o treinamento adequado de certas raças, é possível realizar tarefas de assistência psicológica. Sua eficácia é comprovada para pessoas que precisam de ajuda emocional.

Terapias assistidas com animais são a ordem do dia, e muitos se dedicam de corpo e alma a esse tipo de ajuda. Há raças que são mais adequadas para essa tarefa do que outras, mas, dependendo da personalidade e do comportamento do animal, muitas outras podem ser viáveis. Talvez você se pergunte se seu cão pode participar de terapias.

Como um cão que participa de terapias deve ser

Embora não exista uma raça específica para um cão participar de terapias, muitas vezes são os labradores e os pastores alemães que realizam essa tarefa. Isso ocorre porque esses espécimes têm características ideais para isso. Quais são elas?

  • Nobreza. Essa é uma das virtudes mais notáveis, já que um animal que participa de terapias deve ser nobre, ou seja, ter um coração inclinado a fazer a coisa certa. Essa qualidade é para garantir que o cão não tenha comportamentos agressivos ou desordenados.
  • Inteligência. O animal que treina para terapias deve ser inteligente o suficiente para aprender certos comandos e saber como agir em várias situações. Nem todos os cães estão aptos para isso, porque não se trata de sentar ou dar a pata, mas de saber como se portar em qualquer hora e em qualquer lugar.
  • Sociável. Esta é outra das mais importantes qualidades a se destacar. O cão que treina para terapias passará muito tempo cercado de pessoas, e é possível que outros animais também participem como terapeutas. Portanto, ser sociável é essencial para os animais que querem trabalhar nessa tarefa. O objetivo é tranquilizar e melhorar a vida das pessoas que precisam, e um cão que briga com os outros ou que não seja gentil com os humanos não é adequado para esse tipo de trabalho.
cães de terapia

E, além disso…

  • Obediência. Não importa o que está ao redor, o que está acontecendo ou o que pode estar passando pela sua mente. Um cão treinado para terapias sempre, sempre, deve obedecer às ordens de seu treinador, que normalmente também é o dono do animal.
  • Calma. Além de todas essas qualidades, deve ser um cão calmo, que transmita paz, e não um nervoso ou brincalhão que possa se alterar com as pessoas com quem a terapia é realizada.
  • Paciência e tolerância. Muitas das terapias que são feitas com animais são realizadas com criançasÉ por isso que é importante que o animal que participa delas seja paciente com elas. Elas podem querer subir em cima ou puxar a cauda ou as orelhas do animal. A reação do cão vai determinar muito a ajuda ou falta dela para as pessoas afetadas.
cães terapeutas

Então, seu cão pode participar de terapias?

A resposta, se levarmos em conta todos os itens acima, é clara: sim, desde que atenda a essas qualidades. Se o seu cão atende a esses requisitos e é equilibrado, é provável que ele possa ser treinado para participar de terapias assistidas com animais.

Se você quiser que seja o caso, deve procurar um treinador profissional para transformar seu animal em um cão de terapia, já que o treinamento deve seguir um protocolo.

Caso ele seja treinável e seu cão possa participar de terapias, você deve sempre ir com ele, já que é com você que ele tem o vínculo mais forte. Pelo menos durante as primeiras sessões, até ele se acostumar a estar com o terapeuta e obedecê-lo.

Portanto, mesmo que seu cão não seja um labrador ou um pastor alemão, mas seu caráter é confiável, equilibrado e ele tiver outras qualidades, ele pode participar de terapias. Você se atreve a tentar?