Mexilhões: tudo que você precisa saber

Os mexilhões são uma série de espécies de moluscos bivalves aquáticos, populares por serem um excelente alimento e indicarem a qualidade da água dos ecossistemas em que habitam.
Mexilhões: tudo que você precisa saber

Última atualização: 01 Maio, 2021

Os mexilhões ou mitilídeos (Mytilidae), são uma família de moluscos protegidos por uma concha de 2 partes e que vivem presos às costas rochosas do mar. Esse agrupamento taxonômico compreende 52 gêneros diferentes.

A família dos mexilhões é bastante antiga, pois muitos estudos confirmam a sua existência desde o período Devoniano. Em tempos pré-históricos, as conchas dos moluscos eram usadas pelos índios norte-americanos como ferramentas, diz Tom Suchanek – um doutor em peixes e biologia da conservação.

Atualmente, os mexilhões são de grande interesse como alimento e como biomonitores da qualidade das águas costeiras. Saiba mais sobre a vida desses moluscos bivalves nas linhas a seguir.

Características gerais

Os mexilhões machos (gênero Mytilus) são de cor laranja claro e as fêmeas são mais escuras. A cor das conchas que protegem o seu corpo é preta, com tonalidades púrpura, azul ou marrom, como indica a Junta de Andalucía.

Especialistas em frutos do mar dizem que esses invertebrados costumam formar colônias em todo o mundo, especialmente nos mares mais frios. Ainda assim, foram encontradas espécies que vivem em água doce e outras que preferem mares mais quentes.

Graças ao bisso – substância expelida pelo mexilhão que assume a forma de filamentos –, os mexilhões podem se fixar a rochas ou outras superfícies submersas no mar. Por isso, sempre os vemos presos ao fundo do mar, impassíveis diante das ondas e das correntes.

Uma população de mexilhões.

 

Alimentação e reprodução de mexilhões

As conchas que protegem os mexilhões ficam ligeiramente abertas, por isso há sempre um fluxo constante de água no interior do animal. As ondas promovem a renovação constante da água que os cerca, o que aumenta seu alimento e oxigênio, já que se nutrem de fitoplâncton e matéria orgânica, segundo o jornal El País.

Sua reprodução ocorre quando existem as condições certas em termos de alimentos e temperatura. Os mexilhões vivem amontoados nas rochas, muito próximos uns dos outros, e essa proximidade é muito importante quando se trata de reprodução.

Quando chega o momento, o macho libera seu esperma em forma de fio que, graças ao movimento do mar, é levado para dentro da fêmea. Em poucos minutos, a fêmea libera uma grande quantidade de óvulos fecundados em forma de esferas, que passam a fazer parte da vida planctônica e depois se fixam em outras superfícies, para se transformarem em mexilhões.

Consumo apreciado

Nos últimos anos – de acordo com a Associação Espanhola de História Econômica – os mexilhões passaram por um processo de globalização em sua produção. Desde a década de 1970, um dos principais países exportadores e produtores é a Espanha. Contudo, nas últimas décadas surgiram novos países que cultivam e exportam mexilhões, como o Chile.

Os mexilhões são apreciados por seu sabor e suas propriedades nutritivas, uma vez que o seu consumo favorece a saúde e previne doenças. São pobres em gorduras, ricos em proteínas e, além disso, são utilizados no preparo de uma grande variedade de deliciosos pratos.

Eles são uma fonte natural de ômega 3, vitamina B12, ferro, fósforo e zinco. Auxiliam no crescimento e desenvolvimento normal dos ossos das crianças, contribuem para o desenvolvimento cognitivo e promovem a fertilidade e a reprodução, segundo o jornal informativo Faro de Vigo. Com essas informações, fica claro para nós que os mexilhões são alimentos excelentes.

No entanto, é importante saber onde comprá-los, devido à alta poluição de algumas áreas de pesca.

Os mexilhões atualmente

O fitoplâncton – a dieta básica dos mexilhõespode, atualmente, vir acompanhado de resíduos plásticos devido à poluição e à grande quantidade de resíduos acumulados. A dieta desses moluscos está sendo contaminada e isso pode causar sua morte, afirmam os especialistas.

Antes era mais fácil encontrar mexilhões no mar, mas devido à poluição marinha, às espécies invasoras, à acidificação do mar e ao aquecimento global, a existência desses invertebrados tem diminuído em muitas águas do planeta.

Alguns mexilhões cozidos.

 

Os mexilhões não são apenas de grande valor gastronômico para os humanos, pois atuam como filtros de detritos e como purificadores universais das águas marinhas. É fundamental preservá-los, pois sem eles se perde uma parte inestimável da cadeia alimentar dos ecossistemas aquáticos.

Pode interessar a você...
Os plásticos nos oceanos matam 1,5 milhões de animais anualmente
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Os plásticos nos oceanos matam 1,5 milhões de animais anualmente

Em 1997 a 'ilha' de plásticos no Pacífico norte foi vista pela primeira vez, entre as costas da Califórnia e do Havaí. Desde aí momento, triplicou o tamanho