Miopithecus: características, comportamento e habitat

abril 17, 2019
O miopithecus é o menor primata africano. Existem apenas duas espécies que vivem no centro da África.

O miopithecus é uma espécie de primata cuja biologia e características são pouco conhecidas. Infelizmente, este ainda é um animal vítima de tráfico ilegal cujos espécimes aparecem na Europa trazidos da África.

Características do miopithecus

O termo miopithecus inclui dois primatas do gênero Miopithecus que vivem no centro da África: o miopithecus de Angola e o miopithecus do Gabão. Ambos são caracterizados por serem pequenos primatas, que pesam cerca de um quilo e medem 40 centímetros de comprimento.

Isso faz dele o menor macaco africano, embora seja facilmente superado por várias espécies de saguis, encontradas na América do Sul.

Sua aparência assemelha-se ligeiramente à do macaco verde, embora muito menor, já que o macaco verde pode chegar a pesar entre seis e oito vezes mais do que esse pequeno primata africano. Ele tem a pelagem marrom com tons esverdeados que lembram o macaco verde, principalmente na área das costas e cabeça.

Como a maioria desses macacos, eles têm um rosto reconhecível sem pelos que lhes permite mostrar uma rica expressão facial e que faz com que cada animal possa se distinguir.

No caso do Miopithecus do norte ou de Gabão, a pele do rosto é de cor de carne. Enquanto isso, a pele do Miopithecus do sul ou de Angola é negra, assim como suas orelhas.

Características do miopithecus

Depois de uma gestação de cerca de cinco meses, nasce um filhote que passa a ingerir alimentos sólidos em apenas seis semanas. O nascimento de um único filhote é normal em primatas, e responde a um cuidado muito pronunciado pelas mães em comparação com outros táxons.

Aos três meses, os jovens têm um grande grau de independência. Eles podem viver entre 20 e 30 anos, principalmente em cativeiro.

Comportamento do miopithecus

O miopithecus vive em grandes grupos de até 100 indivíduos e, embora geralmente durmam em árvores nesses grandes grupos, durante o dia se dividem em pequenos grupos para encontrar comida, o que evita que os conflitos pelos alimentos tenham grandes consequências.

Os grupos são compostos por muitos machos e fêmeas com seus filhotes. São animais que não possuem comportamento territorial e têm um grande repertório vocal, embora menos rico que a comunicação animal de outros macacos.

O miopithecus é um primata onívoro, que se alimenta de frutos e sementes, bem como plantas aquáticas ou ovos, além de insetos e outros invertebrados. Ele já foi visto comendo pequenos roedores e pássaros, embora ocasionalmente.

Embora enormemente ligado às árvores, parece que o miopithecus de Angola tem um comportamento mais terrestre do que o seu parente do Gabão, possivelmente devido à diferença de recursos que os seus nichos têm.

Comportamento do miopithecus

Habitat

O miopithecus é um primata intimamente ligado às árvores, um animal diurno que só é encontrado em florestas e selvas mais densas. Curiosamente, é um dos poucos primatas que não tem problemas em se molhar, e foi até mesmo visto nadando em busca de comida.

Portanto, esse primata geralmente vive em áreas próximas a corpos de água. No caso do miopithecus do Gabão ou do miopithecus do norte, este animal vive nas zonas costeiras dos Camarões, da Guiné Equatorial, do Gabão e da República Democrática do Congo.

O miopithecus do sul, no entanto, vive no miombo. Este é um tipo de savana arborizada encontrada principalmente no cone sul da África, e que é uma área mais seca do que o habitat do miopithecus do norte. Em particular, o miopithecus de Angola pode ser encontrado ao sul do rio Congo, na república do mesmo nome e em Angola.

Embora nenhuma das espécies de miopithecus esteja ameaçada, isso pouco as protegeu do tráfico ilegal. Devido ao seu tamanho pequeno, costuma ser capturado para ser vendido na Europa como animal de estimação.

Os primatas africanos do centro da África são especialmente perigosos, pois estão em uma área onde existem zoonoses significativas e perigosas para a espécie humana, e que não são controladas nos animais que chegam à Europa ilegalmente.