O mistério dos elefantes mortos em Botswana resolvido

Muitas hipóteses foram promulgadas quando carcaças de elefantes começaram a aparecer em Botswana, mas parece que a causa já foi encontrada.
O mistério dos elefantes mortos em Botswana resolvido

Última atualização: 18 Setembro, 2021

Elefantes mortos começaram a aparecer no Delta do Okavango, em Botswana, em maio de 2020. No início eram cerca de 16 exemplares, mas em julho já ultrapassavam os 400 mortos. O nervosismo pairava entre as diferentes instituições públicas do país, porque não sabiam o que ou quem estava matando os elefantes.

Agora, meses após o início dessa catástrofe ambiental, os especialistas parecem ter encontrado o culpado por trás das mortes: uma cianobactéria.

Embora ainda haja muitas questões a serem esclarecidas, algumas medidas têm sido tomadas para impedir a morte de mais paquidermes. Aqui vamos contar tudo sobre o mistério resolvido dos elefantes mortos em Botswana!

Cianobactérias, a causa dos elefantes mortos

As cianobactérias são os microrganismos fotossintéticos mais antigos do planeta Terra. Por serem os primeiros seres a fotossintetizar e liberar oxigênio, eles tiveram um forte impacto na formação das atuais atmosfera e da biosfera.

Com uma história evolutiva extremamente longa, esses microrganismos têm estratégias para persistir apesar das mudanças no ambiente. Assim, eles sobreviveram a todas as variações geoquímicas e climáticas que a Terra sofreu durante os últimos 3,5 bilhões de anos.

Hoje, como consequência das mudanças climáticas, as cianobactérias são capazes de formar crescimentos maciços em ambientes aquáticos e terrestres. Essas flores consomem todo o oxigênio e alteram as teias alimentares, impedindo a passagem da luz.

Um dos maiores problemas relativo a esses microrganismos é que eles produzem toxinas que afetam o sistema nervoso dos animais e causam a morte. Juntos, eles representam uma séria ameaça à água potável e de irrigação, à pesca e ao uso recreativo das águas de superfície em todo o mundo.

 

Um desenho de elefantes mortos.

Como as cianobactérias chegaram às lagoas que os elefantes usavam?

As cianobactérias são encontradas em quase todos os ambientes onde há luz e oxigênio. A diferença é que sempre estão em número muito pequeno e fazem parte do próprio ecossistema.

Porém, quando as águas permanecem estagnadas, são despejados nelas produtos que aumentam a matéria orgânica e também elevam a temperatura, formando o caldo de cultivo perfeito para uma floração.

Isso é o deve ter acontecido nos lagos onde os elefantes encontrados mortos bebiam água. Como dissemos, essas cianobactérias produzem neurotoxinas que, se não tratadas rapidamente, matam o animal.

Por que as cianobactérias afetam apenas os elefantes?

Outro dos grandes mistérios que cercam a morte em massa dos elefantes é por que essa cianobactéria afetou apenas esses animais. Além dos paquidermes, muitos outros animais de diferentes espécies beberam dessas águas e nenhum cadáver deles foi registrado.

Por outro lado, os necrófagos que se alimentaram dos corpos dos elefantes também não apresentaram sintomas de intoxicação, um acontecimento estranho para dizer o mínimo.

Niall McCann, que pertence ao National Park Rescue, organização que tirou as fotografias e denunciou o caso dos elefantes, explicou em uma entrevista coletiva:

“As neurotoxinas podem afetar uma única espécie, até mesmo um único indivíduo, então é possível que essa toxina afete os elefantes devido a alguma característica fisiológica ou anatômica específica desses animais.”

Para testar a hipótese das cianobactérias, as toxinas devem ser isoladas dos corpos de elefantes mortos e contrastadas com aquelas encontradas em lagoas. De acordo com o veterinário-chefe do Departamento de Vida Selvagem de Botswana, as mortes cessaram assim que os lagos começaram a secar.

Além disso, elefantes moribundos com sintomas neurológicos receberam tratamento antagônico e apresentaram resultados muito positivos.

Embora ainda haja muitas dúvidas a serem resolvidas, essa hipótese é a que tem mais valor até o momento. Outras possíveis causas investigadas foram COVID-19, infecção por antraz, caça furtiva e envenenamento, mas todas foram descartadas.

As mudanças climáticas como precursoras das mortes

Se a morte dos elefantes como resultado de uma proliferação massiva de cianobactérias for finalmente confirmada, as mudanças climáticas seriam as precursoras de tudo o que aconteceu.

Existem centenas de investigações sobre mudanças nas populações de cianobactérias em todo o mundo que indicam que as mudanças climáticas globais e regionais, a poluição e a perda de biodiversidade afetam as florações, aumentando-as.

 

Atualmente, pode-se perceber como as devastações do aquecimento global entre outras causas antrópicas estão provocando mudanças na composição da biosfera e de todos os seres que nela vivem, inclusive o ser humano.

O surgimento de novas doenças mortais e a disseminação de outras patologias mediadas por parasitas estão na ordem do dia. Devemos mudar muito se quisermos continuar vivendo neste planeta.

Pode interessar a você...
Comportamento dos elefantes
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Comportamento dos elefantes

O comportamento dos elefantes é profundamente gregário. Eles se organizam em grupos matriarcais e têm uma comunicação muito complexa.