O curioso e perigoso efeito das mudanças climáticas sobre as tartarugas

junho 7, 2019
As mudanças climáticas estão causando estragos no mundo todo mas, acima de tudo, afetam uma grande parte dos nossos animais.

O aquecimento global está afetando negativamente as populações silvestres de tartarugas, da mesma forma que acontece com milhares de espécies de animais. No entanto, o efeito das mudanças climáticas sobre as tartarugas é curioso e pouco conhecido para muitas pessoas.

Quais é o efeito das mudanças climáticas sobre as tartarugas?

Para entender por que as mudanças climáticas sobre as tartarugas e outros répteis são de especial importância, é necessário mencionar a sua incubação: em muitas espécies de répteis, a temperatura na qual os ovos são incubados determina o sexo dos filhotes.

Embora isso pareça incrível, é algo verdadeiro. Então, como é possível que as tartarugas tenham filhotes de diferentes sexos? Geralmente, nem todos os ovos ficam a uma mesma temperatura, de tal forma que há variedade na postura dos mesmos.

No entanto, isso está sendo alterado com as mudanças climáticas, porque os ovos estão sendo incubados em temperaturas cada vez mais altas. Geralmente, em temperaturas mais altas, mais fêmeas nascem, embora isso dependa de cada espécie. Esse fenômeno é conhecido como feminização, e os cientistas alertam sobre o seu perigo.

Quais são os efeitos das mudanças climáticas sobre as tartarugas?

Um estudo adverte sobre o efeito das mudanças climáticas sobre as tartarugas

Um estudo fez um alerta sobre isso, pois observou que, em uma população ao norte da Grande Barreira de Corais, localizada na Austrália, há uma feminização esmagadora da população: as mudanças climáticas sobre as tartarugas desta área da Oceania fizeram com que 99% delas sejam fêmeas.

A endocrinologista Camryn Allen adverte que os aumentos de temperatura previstos para o final do século, de quase três graus, levariam muitas populações de tartarugas marinhas a uma feminização total, causando assim a extinção destes animais.

Os dados são avassaladores, e afetam a tartaruga-verde: em regiões mais quentes, nasce um macho a cada 116 fêmeas, em comparação com um macho para cada duas fêmeas em áreas mais frias. Entre os animais adultos, nas áreas mais quentes, 87% deles são fêmeas, o que mostra que o efeito está se tornando cada vez mais pronunciado.

Estudos semelhantes foram conduzidos com tartarugas-de-couro no Caribe, ou até mesmo com a ameaçada tartaruga-cabeçuda. As estimativas são claras, e em poucos anos poderíamos ter grandes porcentagens de apenas um sexo em muitas populações, o que inviabilizaria a conservação dessas espécies.

Ameaças às tartarugas marinhas

Ameaças às tartarugas marinhas

As tartarugas marinhas certamente são afetadas pelas mudanças climáticas de formas diferentes do que os outros animais. Juntamente com a pesca excessiva e a poluição marinha, isso faz delas um dos grupos de animais mais ameaçados.

Como seria um mundo sem tartarugas? Devemos nos lembrar de que todas as espécies são importantes na natureza, e muitas sementes ou animais nocivos ao homem são controlados por esses animais. Possivelmente, as pragas de águas-vivas não seriam tão pronunciadas na costa espanhola se o país tivesse uma boa população de tartarugas marinhas.

Somando esses problemas à feminização, a realidade parece bastante sombria para as nossas amigas cascudas. Será que conseguiremos salvar as tartarugas marinhas da extinção ou veremos a última geração de fêmeas de tartaruga marinha perecer?

Jensen, M. P., Allen, C. D., Eguchi, T., Bell, I. P., LaCasella, E. L., Hilton, W. A., … & Dutton, P. H. (2018). Environmental warming and feminization of one of the largest sea turtle populations in the world. Current Biology28(1), 154-159.