Tipos de águas-vivas que habitam o Mar Mediterrâneo

· maio 9, 2019
Esses invertebrados atraem a atenção por seu corpo gelatinoso e cores variadas, embora também causem medo em alguns banhistas que vão às praias por serem tóxicos ao contato. Além disso, algumas espécies podem até mesmo causar a morte com um veneno que se torna letal em certas quantidades.

O Mar Mediterrâneo é o habitat natural de inúmeras espécies da fauna e flora europeias. Portanto, a preservação da limpeza de suas águas é fundamental para o equilíbrio de nossos ecossistemas. Atualmente, são conhecidos diferentes tipos de águas-vivas que habitam o Mar Mediterrâneo.

5 tipos de águas-vivas que habitam o Mar Mediterrâneo

1. Caravela-portuguesa (Physalia physalis)

Caravela portuguesa: uma das águas-vivas que habitam o mar mediterrâneo

Esta é uma das espécies mais temidas entre todos os tipos de medusas que habitam o Mar Mediterrâneo. Curiosamente, a caravela-portuguesa não é exatamente uma água-viva.

Na verdade, este animal marinho é uma espécie de hidrozoário pertencente à ordem dos sifonóforos. Seu corpo é composto por uma grande colônia de pequenos pólipos que desempenham diferentes funções no seu metabolismo.

As caravelas-portuguesas adultas podem medir mais de 30 centímetros de comprimento, com uma largura média de 10 centímetros. Além disso, outra característica marcante é a sua cor violeta, muito bonita no ambiente aquático.

Apesar de serem nativas de áreas tropicais e subtropicais, elas têm sido vistas com cada vez mais frequência no Mar Mediterrâneo.

Seu corpo grande e colorido é preenchido com gás, o que permite que ela flutue facilmente na água. Além disso, elas têm uma espécie de cume no topo, o que as ajuda a mover-se mais facilmente no ambiente aquático. Por isso foram comparadas às caravelas de guerra.

A caravela-portuguesa não chama a atenção apenas pela sua aparência, mas também pela sua alta periculosidade. Esses animais contêm um veneno que pode se tornar letal em certas doses.

2. Água-viva barril (Rhizostoma pulmo)

Tipos de água-viva

A água-viva barril é uma das maiores águas-vivas que vivem no Mar Mediterrâneo. Em sua idade adulta, seu corpo branco com lobos azul-violeta em seu “guarda-chuva” pode atingir 100 centímetros de largura. Além disso, destacam-se os oito tentáculos que nascem na região oral do animal.

Estas imponentes águas-vivas habitam o Mar Mediterrâneo e o Oceano Atlântico. Costumam aparecer nas costas espanholas durante o começo da primavera e migram nos primeiros dias do outono, e seu aparecimento também é muito comum no Mar da Irlanda. Além disso, é interessante o fato de que essa é a maior espécie de água-viva presente no mar britânico.

Embora não tenha um veneno letal como a caravela-portuguesa, a água-viva barril pode causar inflamações graves na pele. Para isso, o contato direto com a ‘vítima’ não é necessário. Isso porque, quando estão presentes em abundância no mar, podem provocar inflamações indiretas.

3. Água-viva ovo frito (Cotylorhiza tuberculata)

Água-viva ovo frito

A “água-viva ovo frito” está entre os tipos de águas-vivas que habitam o Mar Mediterrâneo e que são mais comuns nas áreas costeiras. Sua população é maior, especialmente nas proximidades do Mar Menor, durante o verão e o outono.

O curioso nome dessa medusa é uma referência ao formato peculiar de seu corpo. Estas águas-vivas apresentam um formato de guarda-chuva achatado e amarelado com um centro arredondado e saliente, de uma cor ligeiramente alaranjada.

Além disso, a água-viva ovo frito não é muito grande, e atinge entre 25 e 35 de diâmetro. Seus braços orais se destacam por suas inúmeras verrugas abotoadas, que podem ser brancas, azuis ou violetas.

Seus tentáculos são relativamente curtos, por isso as irritações causadas por essas águas-vivas são menos frequentes e mais leves.

4. Medusa-da-lua (Aurelia aurita)

Tipos de águas-vivas que habitam o mar mediterrâneo

As medusas da lua são as mais inofensivas entre todos os tipos de águas-vivas que habitam o Mar Mediterrâneo. Esta espécie é de tamanho médio, com um diâmetro de 20 a 25 centímetros em sua placa em forma de guarda-chuva.

Uma de suas características mais marcantes é que seus braços normalmente são mais longos que os seus tentáculos. Seu corpo é transparente e tem uma bela tonalidade azulada.

Sua população é especialmente comum nos fiordes e no Mar Menor. No entanto, é possível encontrá-las em quase todas as áreas costeiras do Mediterrâneo. 

5. Medusa luminescente (Pelagia noctiluca)

Medusa luminescente

A água-viva luminescente é transparente como a medusa da lua, mas sua cor é majoritariamente rosada ou ligeiramente avermelhada. Como o nome sugere, seu corpo brilha no escuro.

Estas medusas executam uma espécie de “dança iluminada” muito bonita para se moverem à noite. É uma estratégia natural para atrair suas presas e reagir a qualquer ameaça em seu território.

Seu guarda-chuva tem a forma de um cogumelo, do qual nascem quatro braços orais e 16 tentáculos marginais grandes, que podem ter mais de 25 centímetros de comprimento.

Neles, encontramos várias células urticárias chamadas cnidócitos, que têm a capacidade de liberar veneno. Portanto, esta é uma das medusas mais venenosas que podemos encontrar na costa espanhola.

As medusas luminescentes vivem nas regiões profundas do Oceano Atlântico e do Mar Mediterrâneo. Durante o verão, eles se aproximam das áreas costeiras com a ajuda do vento. Considerando que o contato com elas é doloroso e pode causar inflamações graves da pele, é preciso ter muito cuidado.