Náuseas em gatos: causas e tratamentos

fevereiro 24, 2020
As náuseas são um sintoma comum em diversas patologias que afetam os gatos, além de uma defesa natural do corpo.

As náuseas em gatos e o vômito posterior são controlados por um reflexo coordenado muito complexo, que acaba causando o esvaziamento do estômago. Esse reflexo é regulado por um conjunto de neurônios localizados ao longo do tronco encefálico, estrutura do sistema nervoso central que une o cérebro com a medula espinhal.

Esses neurônios podem ser ativados por um conjunto de estímulos, tanto externos quanto internos. Ao serem ativados, eles enviam um sinal ao estômago, que, então, começa a se mover de forma espasmódica, o que provoca a vontade de vomitar e as náuseas.

Diferença entre vômito e regurgitação

Os felinos são regurgitadores especialistas e, dessa forma, devemos diferenciar quando eles expulsam o conteúdo não digerido e quando expulsam conteúdo digerido.

O vômito se caracteriza por conter alimento parcialmente digerido que estava no interior do estômago. Além disso, ele costuma ser expulso por razões alheias ao gato.

Por outro lado, a regurgitação é a capacidade de expulsar substâncias não-digeridas que estão no final da boca, no esôfago ou no estômago. Os gatos regurgitam, principalmente, para expulsar as bolas de pelos que se formam no seu tubo digestivo devido aos seus constantes hábitos de higiene.

Vômito de gato

Nesse caso, é de vital importância que o gato sempre tenha acesso à erva gateira, já que ela facilita a passagem das bolas de pelo.

Causas das náuseas em gatos

As náuseas em gatos são, no fim das contas, um mal-estar estomacal que incita o vômito. Situações que provoquem um dano real ou potencial ao estômago e às glândulas anexas podem causar náuseas.

Gravidez

Assim como acontece com outros mamíferos, a gravidez pode provocar náuseas nas gatas. Elas, por sua vez, são causadas por múltiplas razões, como, por exemplo, as próprias mudanças hormonais, o fato de evitar a ingestão de alimentos prejudiciais para os fetos, o cansaço, etc.

Viagens de carro

O enjoo que viajar de carro causa em alguns animais de estimação se deve ao órgão encarregado do equilíbrio e da propriocepção, o aparelho vestibular. Ele começa a mandar uma infinidade de sinais ao cérebro, que não consegue entender em que lugar do espaço-tempo ele se encontra e, assim, desencadeia enjoos e vômitos.

Gato viajando de carro

Gastrite aguda e as náuseas em gatos

A gastrite aguda pode ter como consequência a aparição de náuseas. Nessa doença, o estômago se encontra irritado e até mesmo danificado. Portanto, ele vai evitar ingerir parte do alimento que recebe e tentará expulsá-lo.

Pancreatite e outras patologias relacionadas com o pâncreas

O pâncreas tem uma função exócrina devido à qual expulsa enzimas que participam da digestão dos alimentos. Quando esse órgão não funciona corretamente, ele não separa essas substâncias. Portanto, a digestão não é finalizada e o bolo alimentar é expulso.

Consumo acidental de substâncias tóxicas

A ingestão de substâncias tóxicas, como, por exemplo, plantas do lar, veneno ou produtos de limpeza, provoca, sem dúvida, muitas náuseas no animal, que acabará vomitando.

Cheiros fortes

Alguns cheiros, como o dos cítricos, do acetato, de produtos de higiene dental, entre outros, causam náuseas nos gatos mais sensíveis a eles.

Tratamentos das náuseas em gatos

Para tratar as náuseas em gatos, deve-se saber, em primeiro lugar, o que as está causando e, se possível, eliminar o agente causador.

Geralmente, para o tratamento sintomático das náuseas, são usados antieméticos, fármacos que reduzem os movimentos peristálticos do tubo digestivo.

Nos casos em que o estômago se encontra danificado, e este fato é o agente causador das náuseas, é recomendável fazer uma mudança na dieta e, até mesmo, submeter o gato a 24 horas de jejum.

Isso porque o esvaziamento intestinal favorece a recuperação da flora intestinal, a diminuição das substâncias digestivas e, portanto, o relaxamento do tubo digestivo.

Antes de submeter o gato a qualquer tipo de tratamento, você deve consultar o veterinário, pois ele pode oferecer o melhor diagnóstico.

  • El patrocinio de ZOETIS, C. (2014) Aproximación al manejo del vómito en gatos.
  • García Mitacek, M. C., Stornelli, M. C., Tittarelli, C. M., Núñez Favre, R. D. L. Á., Williams, S. I., Sota, R. L. D. L., & Stornelli, M. A. (2012). Interrupción de la gestación en la gata doméstica: actualización bibliográfica. Analecta Veterinaria, 32.
  • Margarita, R. I. A. (2001). Manual de gastroenterología de perros y gatos.