O galgo italiano: pequeno e carinhoso

· fevereiro 18, 2018

O galgo italiano é a menor de todas as raças lebréis. No entanto, apesar de seus míseros cinco quilos de peso, não desmerece o resto das raças e, igualmente, pode atingir uma velocidade incrível para seu tamanho. Revelaremos a você tudo sobre esta graciosa e maravilhosa raça de cães galgo:

História do galgo italiano

Da mesma forma que muitas das raças de lebréis e podengos, o galgo italiano (também chamado de ‘pequeno galgo italiano’) tem uma origem ancestral. Acredita-se que eles descendem dos cães que viviam com os antigos egípcios.

No caso do galgo italiano, foram encontrados restos de seus esqueletos em escavações da Grécia que os situam convivendo com os humanos já no ano 3.000 a.C. Não se sabe como chegaram até a península itálica, mas acredita-se que foi pouco depois dessa época, o que faz dessa raça uma das mais antigas já conhecidas.

Durante o Renascimento, ele era utilizado como caçador de coelhos e de outros animais de tamanho pequeno. Foram cães muito bem valorizados; de fato, podem ser vistos muitos cães desta raça em retratos de nobres.

Atualmente, o galgo italiano é um cão de companhia e já não é mais utilizado para a caça, ao contrário de muitas outras raças de galgosSua personalidade carinhosa e seu pequeno tamanho fazem dele um cão muito caseiro.

Galgo italiano

Características físicas

Esta raça de galgo se parece muito fisicamente com seus parentes lebréis, mas é de um tamanho mais reduzido.

Os exemplares adultos costumam medir entre 32 e 38 cm em cruz e pesam apenas quatro ou cinco quilos. Vale destacar que não se encontram grandes diferenças de tamanho e peso entre machos e fêmeas.

Além disso, morfologicamente, ele é longilíneo, mas ao mesmo tempo proporcional; as patas são longas e finas, mas o corpo costuma ter a mesma proporção longa e alta. Isto é, tem um aspecto quadrado e harmonioso, que lhes outorga uma aparência elegante, frágil e ágil.

A cabeça também é alongada e fina, com um focinho que se afina até chegar ao nariz de cor escura, maior que a de outros cães de tamanho pequeno. As orelhas são triangulares, largas e grandes: ficam bem altas sobre a cabeça, dobradas sobre si mesmas e se estendem para a nuca.

Ao contrário do que ocorre com outras raças de galgo, o lombo deste exemplar, procedente da Itália, é reto e não arqueado. Mesmo assim, sua cauda é fina e longa, mais larga na base.

Porém, o pelo do galgo italiano é ralo e fino; é unicamente de um tom suave e não se procuram as cores tigradas. Pode ser de cor branca, canela, cinza ou amarelo; e podem ter manchas brancas no peito e nos pés.

Comportamento

O galgo italiano é um cão extremamente afetuoso que deseja estar sempre ao lado da sua família humana, pedindo atenção. São cães extremamente inteligentes, sempre dispostos a aprender coisas novas.

No entanto, trata-se de uma raça de cão sensível que se estressa facilmente. Adoram viver dentro de uma casa tranquila, com humanos previsíveis que não os submetam a muitas emoções diferentes. São, portanto, cães que serão mais felizes vivendo com pessoas idosas e tranquilas, do que em uma casa com crianças.

Por outro lado, esta raça é tímida, mas afetuosa ao mesmo tempo; da mesma maneira, é ágil, mas não cheia de energia. Com três passeios de qualidade por dia, ele terá satisfeitas as suas necessidades de exercício, de modo que não precisará fazer mais exercício do que nesses percursos, nem praticar brincadeiras estressantes.

Também pode ser reservado ou desconfiado com estranhos. Isto se une ao fato de que, devido a seu pequeno tamanho, são cães tímidos e que apresentam medo ante situações desconhecidas.

Cuidados veterinários

Galgo italiano usando roupa roxa

O galgo italiano é uma raça relativamente saudável, que não costuma sofrer de doenças hereditárias. Então, ele somente precisará dos cuidados de saúde que o seu veterinário irá recomendar, também, não se deve descuidar do calendário de vacinação e de desparasitação.

Por serem cães de tamanho pequeno, e de ossos finos e frágeis, devemos ter cuidado porque eles costumam ficar colados ao seu dono e podemos pisar neles e machucá-los. São cães delicados psicológica e fisicamente.

Como são muito magros e sensíveis, se adaptam mal às temperaturas baixas, portanto, costuma ser recomendável mantê-los aquecidos nos dias frios. Também, devemos proporcionar um lugar quente e cômodo onde possam passar os dias de inverno e, assim, reduzir o risco de contrair doenças em virtude do frio.

Por último, já que é um cão cujo trabalho consistia em perseguir pequenos animais, não se recomendam as brincadeiras de ir atrás de objetos, já que isso pode lhes causar estresse. Em troca, ele dará com muita satisfação todo o carinho para sua família humana.