O gavião: características e comportamento

fevereiro 22, 2019
Esta pequena espécie de ave de rapina está em perigo de extinção. O uso de pesticidas no passado ou acidentes contra estruturas humanas, entre outros percalços, são os culpados por tal situação.

O nome científico desta ave, o gavião comum, é Accipiter nisus e pertence à ordem das aves falconiformes, família accipitriforme. Como esse pássaro é majestoso!

Os espécimes desta pequena ave de rapina podem ser encontrados desde a Península Ibérica até o Vietnã e o Japão, passando pelo norte da África. É muito utilizado pelos adeptos da falcoaria, embora seja considerado difícil de treinar.

Na história, algumas culturas antigas, como a grega, a egípcia e a germânica, consideravam o gavião um animal sagrado. A eles foram atribuídos certos “poderes” por suas qualidades e voo.

Enfim, já que é considerada uma ave em risco de extinção, agora veremos suas características e comportamento para identificá-la e protegê-la melhor.

O gavião: características físicas

Esta ave em seu estágio adulto apresenta grande dimorfismo, isto é, diferenças anatômicas de acordo com o sexo e, neste caso, a fêmea é maior que o macho.

Atinge até 25% a mais de tamanho, com uma envergadura entre 67-80 centímetros e cerca de 300 gramas de peso. Quanto à sua altura, o macho pode medir 28 centímetros, e a fêmea, 38.

Possui asas curtas e arredondadas na borda, e cauda um pouco mais longa. Essas duas características permitem um voo rápido e eficaz durante a caça.

Águia

Sua plumagem é cinza azulada na parte superior, enquanto a parte traseira é esbranquiçada com abundantes listras marrons. Essa dualidade de cores torna-o muito bonito.

Os olhos amarelos e dilatados no centro lhe conferem um olhar atento e penetrante, que o caracteriza.

Para quem olha, dá a impressão de que o gavião vê tudo e está ciente de qualquer coisa que se move.

O tipo de alimentação é favorecido pela forma de seu bico pequeno, dobrado na ponta para agarrar e arrastar a presa. Suas patas fortes, com grandes garras, permitem que ele segure e engula a presa.

Além disso, um som característico que o gavião emite em sua fase reprodutiva, quando ‘pia’ com piados curtos, afiados e repetitivos, é similar ao som “ki-ki-ki-ki”.

Habitat do gavião

Geralmente habita florestas úmidas e densas, como bosques de carvalhos e pinheiros, mas também áreas arborizadas perto de assentamentos humanos.

Embora essa ave predatória seja sedentária, as que vivem mais perto do Norte migram para as áreas do sul entre setembro e novembro.

Alimentação

Sua presa predileta são os pequenos pássarosaté mesmo os mais jovens, embora ele possa, eventualmente, caçar outros grandes, até meio quilo. Estorninhos, tordos, pardais e melros estão entre suas opções.

Dependendo da disponibilidade de alimentos, eles podem se alimentar de roedores, insetos e lagartos.

A caça é rápida e precisa, graças às suas características físicas, em particular à forma de suas asas e à cauda longa. Para realizar o ataque, ele ronda uma área e se eleva, então desce como uma flecha em direção ao seu alvo.

Reprodução

A fêmea coloca entre três e seis ovos entre os meses de maio e junho, e a incubação dura em média 30 dias. O ninho do gavião, construído entre galhos de árvores ou em cima de arbustos, é feito de pequenos galhos e cascas.

ninho de gavião com filhotes

O gavião macho se esmera na alimentação dos filhotes, até que eles possam voar, cerca de 30 dias após o nascimento. Os filhotes atingem a maturidade após dois ou três anos.

Os pequenos filhotes de gavião têm um bico cinzento com uma ponta preta e pernas com um tom amarelo.

Além disso, sua plumagem é branca com toques pretos, embora em poucos dias as penas da cabeça mudem de cor.

A situação atual do gavião na Espanha

O Catálogo Nacional de Espécies Ameaçadas classifica o gavião dentre os animais de “interesse especial”. Da mesma forma, no Livro Vermelho das Aves está na categoria “vulnerável”.

No século passado, o gavião foi vítima do uso de pesticidas organoclorados e organofosforados na Europa, o que extinguiu sua população. Esses fertilizantes produziam infertilidade em algumas espécies.

O gavião também pode ser vítima de acidentes contra estruturas humanas, como fios ou cabos com pontas. 

Também tende a estar em desvantagem em comparação com outras aves com as quais compete; de acordo com seu local de assentamento. Além disso, a escassez de presas pode afetá-lo.

Seus predadores naturais são as corujas e o bufo-real, além de falcões, águias, açores e martas, entre outros.

Por tudo isso, é necessário proteger e proibir o ataque a esta ave em risco de extinção.