Nanismo na natureza: quais são suas causas?

· abril 13, 2019
A sobrevivência dos animais na natureza está diretamente relacionada ao seu tamanho; no entanto, muitas espécies evoluíram para ter dimensões muito menores.

Nós sabemos quais são as causas do nanismo ou acondroplasia em humanos, mas o que provoca o nanismo na natureza? Isso pode ocorrer de diferentes maneiras e envolver diversos fatores.

O nanismo e a sobrevivência das espécies

As condições climáticas, a quantidade de recursos disponíveis e a presença de espécies rivais são fatores determinantes para o tamanho e as características dos animais.

Um exemplo claro desse fenômeno é a chamada regra de Bergmann, uma regra ecológica bem conhecida, segundo a qual as espécies maiores são encontradas em regiões mais frias e as menores em regiões mais quentes. Isso ocorre porque a morfologia da espécie está ligada à quantidade de calor perdido.

Essa regra pode ser observada especialmente nas mudanças anatômicas ocorridas na era Cenozoica, quando após um aumento extremo das temperaturas, as espécies diminuíram de tamanho. Algumas delas perderam até 20% de altura.

O que é e o que causa o nanismo na natureza

O nanismo na natureza pode ser decorrente de uma série de fatores hormonais e genéticos. A acondroplasia é causada por um distúrbio genético autossômico dominante, de modo que qualquer gênero pode transmiti-lo à prole.

Nanismo na natureza

O chamado “nanismo insular” relaciona a diminuição no tamanho de uma espécie à perda de recursos em seu ecossistema. Isso geralmente ocorre em ilhas ou habitats isolados, como desertos, onde os recursos são escassos e ser pequeno pode ser uma vantagem.

No caso dos herbívoros, esta ferramenta evolutiva permite que eles tenham menos competidores e consumam menos alimentos. Os predadores, por outro lado, também reduzem seu tamanho para capturar suas presas mais facilmente.

Acondroplasia e animais de estimação

Hoje, animais de estimação anões deixaram de ser um problema para se tornar uma tendência. Em cães, a existência de pugs, chihuahuas e yorkies, entre outros, prova que nós, seres humanos temos nos interessado em criar animais cada vez menores, que podem se adaptar às condições de vida urbanas de seus proprietários.

Porcos anões

Cabras e porcos não escaparam dessa tendência. Suas variedades anãs inundam a internet e têm uma série de admiradores que veem neles a possibilidade de ter um animal de fazenda na cidade.

No entanto, este nanismo costuma ser o resultado de práticas de reprodução antiéticas que podem incluir a desnutrição da mãe grávida, endogamia e manipulação genética.