O peixe-palhaço e a anêmona

· maio 27, 2019
Todos os espécimes de peixe-palhaço nascem com o sexo masculino, e o macho maior pode se transformar em fêmea exercendo o papel de líder.

O peixe-palhaço é um peixe marinho cujo nome científico é Amphiprion ocellaris. Também é chamado de anemonefish porque faz sua casa em anêmonas do mar, com quem tem um relacionamento muito próximo e particular.

Este curioso espécime marinho é bem conhecido pelo famoso filme de animação Procurando Nemo, cujo protagonista pertence a esta espécie. A seguir, veremos algumas características para conhecer melhor este peixe surpreendente, um dos favoritos dos apaixonados por aquários.

Características físicas e distribuição do peixe-palhaço

Sem dúvida, a característica mais conhecida do peixe-palhaço é sua incrível cor laranja brilhante. Na realidade, esse tom varia de amarelo a laranja amarronzado. Ele também tem listras brancas ao redor do corpo – geralmente três – cercadas por listras pretas muito finas. As barbatanas têm a borda preta.

O peixe palhaço costuma ter um comprimento que varia entre 9 e 11 centímetros. A fêmea dominante é a maior. Uma propriedade muito curiosa desses peixes é que todos os espécimes nascem machos. O macho maior tem a capacidade de se tornar uma fêmea para assumir o papel dominante do grupo; esse processo é irreversível.

Como todos os pomacentrídeos, a maioria das espécies de peixe-palhaço conhecidas vive em recifes nas águas rasas do Oceano Índico, no Mar Vermelho e no Pacífico ocidental. Este tipo de peixe não é encontrado no Mediterrâneo, no Caribe ou no Atlântico.

As anêmonas são a casa do peixe-palhaço

As anêmonas são predadores marinhos que têm tentáculos muito coloridos e venenosos. Um dos aspectos mais característicos do peixe-palhaço é que ele vive, se refugia, se reproduz e até se alimenta das anêmonas. A relação entre o peixe-palhaço e as anêmonas é realmente muito particular e simbiótica: eles são um binômio indissolúvel.

As anêmonas são a casa do peixe-palhaço

Antes de se instalar para viver nas anêmonas, o peixe-palhaço faz uma dança sofisticada. Ele gentilmente esfrega os tentáculos da anêmona em diferentes partes do seu corpo para que eles se acostumem com a sua presença.

Uma vez instalado, este peixe curioso fornece às anêmonas alguns nutrientes através de sua matéria fecal, e as mantém protegidas contra os peixes-borboleta, que tendem a se alimentar de seus tentáculos.

As anêmonas se alimentam precisamente de peixes. No entanto, a camada mucosa que cobre a pele do peixe-palhaço oferece uma proteção que os torna imunes a sua picada letalA relação de confiança e ajuda entre essas duas espécies é tão poderosa que o peixe-palhaço deposita seus ovos uma vez por mês na base dos tentáculos das anêmonas.

Uma relação com benefícios mútuos

Embora a relação entre os peixes-palhaço e as anêmonas não seja um relacionamento de dependência, a vida fica muito mais fácil quando eles estão juntos.

É verdade que eles podem viver sem a companhia do outro: o peixe-palhaço não morreria sem as anêmonas e as anêmonas não morreriam sem o peixe. No entanto, o relacionamento deles traz grandes benefícios mútuos. Essa relação entre as duas espécies é chamada de mutualismo.

Uma relação com benefícios mútuos

Essas duas espécies fornecem proteção mútua no mundo marinho. O peixe protege a anêmona de outros possíveis predadores e a impede de sofrer infecções, limpando-a de possíveis parasitas. Em troca, as anêmonas oferecem não apenas uma casa, mas também proteção contra os predadores.

Devido ao seu corpo colorido, o peixe-palhaço é uma das presas favoritas de muitos predadores. As anêmonas são a sua melhor chance de sobreviver em um mundo marinho que, sem elas, pode ser muito hostil. As anêmonas são, sem dúvida, as melhores aliadas do peixe-palhaço.

Oxigenação e fotossíntese

O peixe-palhaço também dá à anêmona outro benefício fundamental. Os tentáculos das anêmonas são oxigenados graças ao nado dos peixes-palhaços ao redor delas.

De fato, os recifes de corais estão cheios de oxigênio ao longo do dia, mas durante a noite esses níveis podem cair consideravelmente porque a fotossíntese é interrompida. Dessa forma, o peixe ventila os tentáculos da anêmona com suas barbatanas, o que a ajuda a respirar.

O peixe-palhaço e a anêmona são exemplos de como duas espécies diferentes podem não apenas viver juntas em um espaço fechado, mas também oferecer uma espécie de apoio mútuo à vida um do outro.