O que é o axolote? Saiba tudo sobre este animal peculiar

maio 6, 2019
O axolote é um tipo de salamandra, mas diferentemente desse animal, não se desenvolve normalmente da fase de larva - com guelras - à fase adulta, e permanece aquático por toda a vida.

O axolote pode ser encontrado em uma variedade de cores que incluem o preto, cinza, dourado, albino, branco com olhos pretos e outras. São relativamente fáceis de cuidar, mas vivem toda a sua vida na água. Por isso, é preciso dar a eles um tanque que esteja sempre na temperatura adequada.

Os axolotes são oriundos do lago Xochimilco, no México, onde correm perigo de extinção. Isso porque sobraram muitos poucos canais que levam ao lago. Felizmente, essa espécie se reproduz facilmente em cativeiro, e são comuns pesquisas sobre sua capacidade única para regenerar membros inteiros.

Comportamento do axolote

O axolote é um animal relativamente resistente. São mansos na natureza, mas devem ser considerados animais de estimação de exibição, já que não podem interagir com seus donos fora do tanque. São anfíbios delicados, de corpo macio e pele permeável. Por isso, não devem ser pegos com a mão a não ser que seja absolutamente necessário. Não são animais muito sociáveis e não se beneficiam de ter um companheiro.

Dando abrigo ao axolote

Um axolote pode ser bem maior do que uma salamandra. Por isso, recomenda-se um tanque (aquário) de pelo menos 70 a 90 litros. O tanque não precisa estar cheio de água. A água só precisa ser mais profunda do que a longitude total do animal.

Axolote em seu habitat

O tanque deve ficar em um quarto fresco, longe de luz solar intensa, e a temperatura da água deve ficar entre 14ºC e 20ºC. Não é preciso uma iluminação especial para os axolotes, diferentemente dos répteis. Na verdade, ele vai gostar de ter um lugar para fugir da luz, como um vaso colocado de lado ou um castelo de aquário.

Se for usado cascalho no fundo do tanque, deve ser cascalho grosso. O cascalho fino pode ser ingerido durante a alimentação e causar uma obstrução. Alguns donos optam por simplesmente deixar o fundo do aquário vazio, ainda que outros acreditem que isso pode estressar um pouco o axolote. Isso porque, sem cascalho, eles não conseguem nenhum ponto de apoio.

Use um filtro adequado

A maioria dos donos acha que um aquário filtrado é mais fácil de cuidar do que um sem filtro. Isso porque a água sem filtrar deve ser trocada com frequência. No entanto, se você escolher ter um filtro no tanque, a taxa de filtração deve ser bem lenta, e devem ser evitados os filtros potentes que criam correntes fortes. Além disso, certifique-se de que a entrada do filtro não esteja em posição de sugar as brânquias do seu axolote.

Se o aquário tiver filtro, a limpeza segura vai consistir em usar um sifão para aspirar o fundo do tanque. Cerca de 20% da água deve ser trocada semanalmente. Se não utilizar filtro, você terá que trocar 20% da água todos os dias ou quase todos os dias. Nunca faça uma mudança completa da água, já que isso fará com que a química da água mude de maneira drástica para o seu axolote.

Axolote de cor escura

A água da torneira deve ter o cloro – colocado durante o processo de tratamento – eliminado, utilizando soluções disponíveis no mercado. Nunca coloque água destilada e certifique-se de que o pH da água se mantenha entre 6,5 e 7,5 (neutro).

Comida e água

Na natureza, os axolotes alimentam-se de caracóis, vermes, crustáceos, peixes pequenos e pequenos anfíbios. Em cativeiro, podem se alimentar de uma variedade de camarões na salmoura, pequenas tiras de carne ou fígado, lombrigas da terra e outros alimentos congelados para peixes de venda comercial. Os alimentos não consumidos devem ser retirados do tanque para ajudar a mantê-lo limpo.

Problemas de saúde mais comuns do axolote

Em algumas circunstâncias, o axolote pode sofrer metamorfose em uma área terrestre, ainda que isso possa ser estressante para o animal e não seja visto com frequência. As condições sob as quais isso aconteceria normalmente não são bem conhecidas. Sabemos que a metamorfose pode acontecer mediante mudanças nas características da água, ou também quando o axolote tem certas proporções do hormônio tireoide.

A forma terrestre do axolote requer cuidados completamente diferentes. Não se recomenda tentar induzir a metamorfose, já que isso pode fazer uma pressão indevida no animal, encurtando significativamente sua vida.

Os axolotes frequentemente comem cascalho ou parte de seus dejetos e ficam propensos à obstrução gastrointestinal quando ingerem corpos estranhos. As obstruções intestinais são uma causa comum de morte, e o cascalho e outros objetos no tanque devem ser utilizados cuidadosamente.

http://www.axolotl.org/