O que é reprodução assexuada?

· dezembro 26, 2018
É aquela em que há apenas um genitor e, portanto, não precisa de gametas ou órgãos sexuais, como acontece na reprodução sexuada. Muitos espécimes que praticam essa modalidade dividem uma parte de seu corpo para perpetuar a espécie.

Para perpetuar as espécies, existem várias maneiras de acasalar. Embora a mais conhecida seja a sexuada, há também a reprodução assexuada, na qual um macho e uma fêmea não são necessários. Então, hoje falaremos sobre a reprodução assexuada.

O que saber sobre reprodução assexuada

Este método de reprodução requer apenas um ser vivo já desenvolvido e uma célula ou grupo de células. 

Então, com estes dois ‘ingredientes’ é formada uma nova cópia, completa e idêntica à anterior. Portanto, a reprodução assexuada é realizada com um único genitor, e não são necessários órgãos sexuais ou gametas, como acontece na sexuada.

Nem o esperma nem os ovos são necessários como na sexuada, portanto essa é a principal diferença entre as duas técnicas.

Além disso, há diferentes tipos que permitem a continuidade das espécies na reprodução assexuada, esses são:

  1. Fragmentação ou divisão

Um indivíduo é dividido em duas ou mais partes e pode reconstruir a que ele “perdeu” completamente, sem problemas. 

Isso pode acontecer por causa de um acidente ou espontaneamente, quando o animal considerar apropriado.

Entre as espécies que praticam a fragmentação, podemos indicar a estrelas-do-mar e as ophiuroideas com mais de seis braços.

estrela-do-mar

  1. Bipartição

Como o nome indica, neste caso, obviamente, a divisão é feita em duas partes. Este tipo de reprodução é realizado por bactérias, fungos, protozoários, arqueas e, também, algas unicelulares.

O processo consiste em duplicar o DNA, dividindo o citoplasma e dando origem a duas células filhas idênticas. 

A taxa de reprodução nesses casos é exponencial. Por exemplo, no caso da bactéria Escherichia coli, ela é dividida ao meio a cada 20 minutos.

  1. Esporulação

É a forma que os esporos e os endósporos usam para se reproduzir, e é mais comum quando estão em um habitat adverso, como, por exemplo, com poucos nutrientes.

Os fungos do pão e a bactéria Bacillus subtilis também empregam esse tipo de reprodução assexuada. Além disso, ela não aparece apenas nos animais, mas também em certas plantas.

  1. Poliembrionia

É uma modalidade que ocorre quando o zigoto se divide em mais de um embrião surge ou quando um único embrião é fragmentado em vários. 

Ocorre em insetos da ordem Hymenoptera – que inclui abelhas, vespas, besouros e formigas – mas para que isso aconteça primeiro deve ter havido reprodução sexuada entre o macho e a fêmea.

formigas

  1. Partenogênese

Este tipo de reprodução assexuada baseia-se no desenvolvimento de células sexuais femininas que não foram fertilizadas.

Isso significa que um óvulo estéril é segmentado para criar novos indivíduos e nem sempre precisa da presença de gametas masculinos. 

Por exemplo, alguns insetos, crustáceos, répteis, anfíbios e peixes se reproduzem dessa maneira.

O ‘bebê’, neste caso, não possui cromossomos masculinos e a mãe é responsável pela determinação do sexo, de acordo com as necessidades específicas da população.

  1. Gemulação

A divisão celular pode ser feita por gemas, uma dilatação formada por mitoses. Essas dilatações são formadas dentro do organismo mãe, e que então se separa dele para crescer e se desenvolver como um novo organismo.

Exemplos de reprodução assexuada

Além dos indicados acima, há casos especiais de reprodução assexuada na natureza, que merecem destaque, porque são realmente muito curiosos!

  1. Caranguejo marmoreado

Esse crustáceo (foto que abre este artigo) vive nos rios do sul dos Estados Unidos e se reproduz através de uma técnica conhecida como apomixia, na qual um organismo cria um embrião sem fertilização.

  1. Lagarto rabo-de-chicote

Uma das curiosidades dessa espécie de réptil é que todos os seus indivíduos são fêmeas. Para se reproduzir, realizam uma “pseudocopulação” entre duas fêmeas.

As duas põem ovos, perpetuando a espécie, mas também podem cruzar com um lagarto macho.

Lagarto rabo-de-chicote

  1. Anemôna

Este animal, que parece uma plantapode se reproduzir tanto sexualmente quanto assexuadamente, dependendo das características do ambiente. 

No caso em que não há uma fêmea e um macho disponíveis, eles se dividem por gemulação ou laceração pedal (uma parte é separada e transformada em uma nova anêmona).

Anêmona