O que fazer se o seu cão for atacado?

· julho 17, 2018
Gritar, causar vários ruídos e usar a mangueira são alguns dos truques que podem funcionar. Intervir diretamente pode ser perigoso.

Tomamos todas as providências de segurança mas, apesar disso, nosso cão pode ser atacado por outros. Às vezes, o incidente acontece na nossa frente e nós permanecemos parados, incapazes de fazer qualquer coisa. A verdade é que muitos proprietários não sabem como agir nessa situação.

Se esperarmos para pensar sobre o que faremos no momento do ataque, será muito difícil reagir adequadamente. Por tudo isso, abaixo, daremos algumas dicas que ajudarão você a se preparar para proteger seu cachorro nessa situação.

O objetivo é manter o cão agressor longe

A primeira coisa que devemos fazer é realmente entender qual é o nosso papel na situação. Basicamente, não é necessário defender o nosso cão e ter uma atitude de resposta violenta. Por outro lado, também não devemos ficar parados enquanto o cão é atacado.

Na realidade, nosso objetivo será sempre afastar o animal atacante de maneira segura. Isso nos levará a afastá-lo completamente de nosso cão. Se chegarmos no meio, a briga continuará e poderemos ser atacados.

Uma vez que entendemos isso, podemos passar do pensamento para a ação. O passo seguinte será ver quais elementos temos para fazer a remoção do agressor. Este é, talvez, o trabalho mais complicado.

Violência gera mais violência também no mundo animal

Há muitos proprietários que acreditam que bater no agressor animal é a melhor saída. Na prática, se um cão é atacado, ele mostrará uma maior propensão a continuar mordendo em autodefesa. Esta é uma ação praticamente instintiva: o cão não pensará na desvantagem numérica, mas em preservar sua vida.

briga de cães

Como vemos, atacar ou infligir dor ao atacante nunca será totalmente viável e deve ser considerado como um último recurso. Atirar pedras ou bater só piorará o episódio e poderá fazer com que o cão nos morda. O correto é usar um impedimento.

Nesse sentido, o que faremos deverá procurar diminuir os níveis de raiva do animal, assustá-lo ou atrair sua atenção. Tente não se aproximar e lembre-se de que, se o cão tiver alguma doença, como a raiva, isso poderá colocar nossa vida em risco.

Algumas ações dissuasivas se o seu cão é atacado

Se, por exemplo, o ataque acontecer no quintal de nossa casa, é melhor usar a mangueira. Simplesmente ligue a torneira e lance um jato forte de água no rosto do agressor. Isso vai acalmar seus níveis de estresse e afastá-lo.

Mas se você não tiver água à mão, poderá usar o ruído como um impedimento. Se tivermos o carro por perto, podemos usar a buzina, assim como tocar algum instrumento que gere um som estrondoso. O importante é que o cão fique com medo e decida se afastar.

Finalmente, se não temos nada à mão, podemos gritar e fazer sons desconfortáveis ​​com nossas bocas. É crucial ficar longe enquanto gera o ruído.

Depois do ataque: o que devemos fazer?

Depois que o atacante partiu, o próximo passo é oferecer atendimento médico ao nosso cão. O correto será tentar ver a extensão das feridas externas do nosso amigo. Para fazer isso, devemos verificar todas as áreas do seu corpo, com cuidado ao tocar.

Cachorro com pata enfaixada

Não é recomendado banhar o animal com sabão após o ataque. No caso de feridas, devemos tentar manter uma certa higiene na área, com água, e imediatamente entrar em contato com o veterinário. Mesmo que não haja sinais de ferimentos externos, teremos que ir ao pronto-socorro para um exame especializado.

Se pudéssemos identificar o animal atacante e segui-lo, determinaríamos se ele está perdido ou se tem um dono. Em geral, existem mecanismos para estudar os cães atacantes e examinar se eles têm alguma doença. O mais útil desses exames seria a possibilidade de excluir a raiva.

Recomendações finais para recuperação

  • Seguir o tratamento médico: é nossa responsabilidade realizar todos os exames rigorosamente. Nós também temos que fornecer os medicamentos prescritos pelo veterinário. Mesmo quando não há feridas externas, os cães podem sofrer sérios sintomas clínicos que não são visíveis a olho nu.
  • Controlar o clima da casa: a recuperação do nosso animal de estimação dependerá de sentir o mínimo de estresse possível. Portanto, devemos garantir o conforto e a temperatura certa. Nesses casos, a temperatura não deverá ser nem muito quente nem muito fria.
  • Cuidado com as consequências: quando um cão é atacado, ele geralmente sofre de sequelas físicas e traumas emocionais. Portanto, após esses eventos, devemos manter uma observação minuciosa do comportamento de nosso animal de estimação.