O que são anfíbios?

· outubro 24, 2018
As espécies que vivem tanto no meio aquático quanto no terrestre têm uma característica comum que se destaca no reino animal: a metamorfose. 

Os anfíbios foram os primeiros animais que, ao longo do processo evolutivo, saíram da água e começaram a viver na terra seca. 

Eles também passam por uma metamorfose: uma transformação que ocorre quando se deixa o estado de girino e passa-se para a fase adulta. Mudam tanto o modo de se alimentar como de respirar.

No entanto, eles nunca abandonaram completamente o ambiente aquático.

Você conhece bem as características dos anfíbios? E quais animais fazem parte dessa classe? Nós lhes contaremos tudo neste artigo.

Definição de anfíbios

Os anfíbios, por definição, são animais que se desenvolvem tanto na água quanto na terra. São animais cujo habitat precisa de lugares mistos, como lagos, lagoas, margens de rios ou zonas úmidas.

Os anfíbios precisam viver tanto na água quanto na terra: suprem suas necessidades vitais nesses dois ambientes. Por exemplo, eles se reproduzem e crescem debaixo d’água, mas se alimentam na terra.

Além disso, os anfíbios sofrem uma mudança física drástica à medida que crescem e se desenvolvem, o que chamamos de metamorfoseApós a eclosão, os ovos entram em um estado larval, que também chamamos de “girinos”.

Enquanto estão nesse estado, desenvolvem seu corpo adulto, no qual suas pernas e seu corpo crescem e, até mesmo, mudam sua maneira de respirar e de se alimentar.

Embora sejam girinos, os anfíbios se alimentam de vegetais, mas, quando chegam à fase adulta, tornam-se carnívoros. 

Ou seja, eles começam a se alimentar de insetos, vermes, aranhas e outros pequenos animais.

A respiração deles também muda radicalmente. Enquanto são larvas, têm guelras e só conseguem respirar debaixo d’água, mas desenvolvem pulmões e, quando adultos, só conseguem respirar fora da água.

Coisas que os anfíbios têm em comum

Quase todos os anfíbios desenvolvem quatro patas, com suas articulações correspondentes, quando se tornam espécimes adultos.

Há apenas uma exceção: a família das cecílias (cobras-cegas) ou ápodes, que mantêm um aspecto de verme pelo resto de suas vidas e, em muitos casos, vivem no subsolo.

Eles também têm em comum o fato de poderem se reproduzir por ovos.

Cada espécie cuida dos ovos de uma maneira diferente, embora a maioria os coloque debaixo d’água. Para evitar que se dispersem, eles secretam uma substância gelatinosa, que mantém os ovos unidos.

O sapo-parteiro, por exemplo, carrega seus ovos nas costas por algum tempo.

Salamandra

Todos os anfíbios têm uma pele que tem a mesma estrutura essencial, embora tenha aspectos muito diferentes, dependendo da espécie.

Em geral, a pele dos anfíbios não tem pelos e nem escamas. É bastante úmida, sendo permeável ​​à água, e nela há uma infinidade de glândulas que os ajudam a desempenhar funções vitais.

Estes animais podem ser de muitas cores diferentes. Em muitos casos, elas servem como camuflagem, pois eles precisam se misturar ao ambiente. Mas, em outras situações, as cores são brilhantes e atraentes para alertar os predadores.

Algumas espécies de anfíbios têm glândulas que secretam veneno para se proteger.

Outra coisa comum a todos os anfíbios é a maneira como regulam a temperatura do corpo: dependendo da temperatura ambiente.

Eles não são capazes, portanto, de regular sua temperatura por si mesmos, e é por isso que eles geralmente precisam tomar sol para se aquecer.

Anfíbios podem ser encontrados em quase todas as partes do planeta, desde que haja um ambiente úmido. 

No entanto, eles não existem em territórios muito frios, como os polos, algumas ilhas do Atlântico e no deserto.

Exemplos de anfíbios

Existem três grandes famílias de anfíbios: os caudados, conhecidos como salamandras ou tritões; os anuros, que chamamos de sapos e rãs; e as cecílias, também conhecidas como “cobras-cegas”.

As salamandras não perdem o rabo em sua metamorfose e os adultos se parecem muito com as larvas. 

Elas vivem no hemisfério norte, com a única exceção do norte da América do Sul. Algumas podem regenerar um de seus membros se o perderem ou se ele cair.

Os sapos estão presentes em quase todo o mundo, exceto nos desertos e nos polos.

Além disso, suas características físicas mais destacadas são a mandíbula grande e larga. Eles também podem ter dentes muito pequenos ou não tê-los.

Perdem a cauda durante a metamorfose, e as patas traseiras são maiores e mais fortes do que as da frente. 

Para poder saltar com precisão, eles têm uma espinha pequena e rígida, o que lhes permite dar saltos melhores e mais altos.

A cecília, ou cobra-cega, não é uma cobra, mas um anfíbio

As cecílias nunca desenvolvem pernas e não perdem a cauda durante seu desenvolvimento. Elas vivem apenas em regiões tropicais da América, África e Índia.

Muitas delas passam sua vida no subsolo. Outras, por outro lado, passam quase toda a sua vida em um ambiente aquático. Apesar de parecerem cobras, são classificadas como anfíbios.

Enfim, os anfíbios são animais adaptados tanto à vida na água quanto na terra, porém, precisam dos dois ambientes para sobreviver.

Algumas características comuns nos permitem classificá-los como membros de uma família muito grande, embora também existam grandes diferenças entre eles.