O tamanduá-mirim, tudo sobre essa espécie

· março 31, 2019
Na diversidade da fauna da América do Sul habita o tamanduá-mirim, principalmente em savanas áridas e em zonas de selva. Ele se destaca por sua língua alongada, que utiliza para alcançar os lugares mais remotos e extrair sua comida.

O tamanduá-mirim é uma espécie típica da América do Sul, que vive principalmente em regiões de florestas e savanas áridas.

Apesar do que sugere seu nome em outros idiomas, este belo animal não está relacionado aos ursos, mas aos tamanduás.

A seguir, convidamos você a conhecer as principais características do tamanduá-mirim, seu habitat, alimentação e reprodução.

Características físicas e taxonomia do tamanduá-mirim

O tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla) é uma espécie de tamanduá pertencente à família Myrmecophagidae. Essa espécie nativa da América do Sul também é conhecida como tamanduá da Amazônia.

Morfologicamente, trata-se de um pequeno tamanduá, cujo corpo atinge entre 50 e 90 centímetros. Sua cauda pode representar entre 30% e 40% do seu comprimento corporal total, e mede entre 40 e 60 centímetros.

Quase todo o corpo desse animal é coberto por pelos lisos, grossos e bem rentes ao corpo. O pelo é notavelmente mais abundante e longo nas costas, enquanto a cabeça e as patas mostram pelos mais macios e curtos. Por outro lado, a ponta e a parte inferior da cauda são carecas.

Em relação à coloração do pelo, uma incrível diversidade é observada entre espécimes de diferentes localizações geográficas.

No Brasil e na Venezuela, predominam os espécimes com cores sólidas, que podem variar entre preto, marrom e bege.

No entanto, os espécimes da Argentina e do Paraguai geralmente apresentam várias manchas. Em seu corpo, observamos manchas largas perto das costas e várias marcas que se estendem da base do pescoço até a cauda. Normalmente, esses pontos são pretos e podem mostrar diferentes padrões de distribuição.

Tamanduás-mirins em árvore

Nas patas anteriores vemos quatro unhas afiadas, enquanto as posteriores mostram cinco pontas. Curiosamente, suas unhas são tão afiadas que o tamanduá-mirim precisa andar apoiando o peso sobre a parte de trás de suas extremidades (pés). Desta forma, evita se furar e machucar as próprias patas.

Uma das características mais marcantes do tamanduá-mirim é seu focinho alongado, cilíndrico e curvo, com o diâmetro interno aproximado de um lápis. Dentro, está a língua protrusa, que é comum a todos os tamanduás.

Habitat e alimentação do tamanduá-mirim

O tamanduá-mirim é um tamanduá nativo da América do Sul e é considerado uma espécie endêmica na Argentina. Na América do Sul, vive principalmente em florestas tropicais, florestas úmidas, savanas e montanhas.

Em geral, preferem viver perto de leitos de água doce, como rios ou riachos, com predominância de vegetação de videiras.

Estas plantas são uma excelente fonte de alimento para os tamanduás-mirins. Mas também existem espécies adaptadas às savanas e florestas secas.

No que diz respeito à sua alimentação, o tamanduá-mirim é um animal mirmecófago, que se alimenta principalmente de formigas e cupins.

Por esse motivo, também é conhecido como tamanduá sul-americano. Sua alimentação é cuidadosa e seletiva, já que na Amazônia existem muitas espécies de formigas venenosas.

Além disso, o tamanduá-mirim realmente ama mel e costuma consumir abelhas eventualmente. Ele também pode complementar sua nutrição com frutas regionais.

Tamanduá-mirim na floresta

Técnica de caça e língua dos tamanduás-mirins

A técnica de ‘caça’ do tamanduá-mirim é muito parecida com a de todos os tamanduás. Com suas garras poderosas, fazem buracos na casca das árvores. Em seguida, eles introduzem sua língua fina e pegajosa para “capturar” a presa dentro da madeira.

A língua é outra característica muito marcante dos tamanduás e, consequentemente, do tamanduá-mirim. Toda a sua superfície é coberta por uma substância pegajosa que age como uma espécie de cola, o que faz com que os insetos grudem em sua língua e não possam escapar.

Reprodução e hábitos do tamanduá-mirim

Os tamanduás-mirins são animais solitários que mantêm principalmente hábitos noturnos, embora também possam ser ativos durante parte do dia. Em geral, machos e fêmeas se encontram apenas durante os períodos de acasalamento.

A fase reprodutiva do tamanduá-mirim ocorre principalmente no verão, porque as fêmeas são poliestro estacional. Após o acasalamento, a gestação dura de 120 a 150 dias e a fêmea dá à luz a um único filhote durante a primavera.

A mãe cuida do seu filhote, sempre o carrega nas costas e o alimenta até que esteja pronto para viver sozinho. Sua expectativa de vida é geralmente de 8 a 10 anos.