Oito doenças comuns em cães

· junho 23, 2018
Conhecer os primeiros sintomas das doenças é fundamental para manter a saúde dos cães, inclusive, para garantir sua sobrevivência. Isso porque existem casos que são fatais.

A prevenção e a informação são as melhores ferramentas que temos a nossa disposição para cuidar de nossos bichos de estimação. Se conhecermos os sintomas e os levarmos rapidamente ao veterinário, existem maiores possibilidades de melhora e cura. No artigo a seguir, vamos falar sobre quais doenças são as mais comuns em cães. 

Doenças comuns em cães

É fundamental que você preste atenção nas mudanças de hábitos do seu bichinho, já que muitas vezes são os sinais que indicam que algo não anda bem.

Nem sempre os sintomas são visíveis, como o vômito ou a diarreia. Às vezes, trata-se de um cansaço ou falta de energia pouco comuns ou variações no apetite. Algumas das doenças comuns em cães são:

1. Otite

Essa infecção no ouvido é mais comum naquelas raças com orelhas grandes e caídas, como o cocker spaniel ou o bloodhound, embora possa surgir em todos os cães que tenham tido contato com a água ou a umidade.

cocker spaniel

Se o seu bicho de estimação coça muito as orelhas e mexe a cabeça para os lados, ou se você se aproxima e sente um mau cheiro nos ouvidos e eles secretam algum líquido amarelado, é provável que ele esteja sofrendo de otite.

2. Cinomose canina

Uma doença que, felizmente, dispõe de uma vacina para preveni-la. No entanto, é extremamente contagiosa e chega a ser mortal em animais não imunizados ou que tenham poucas semanas de vida.

A cinomose, às vezes, não pode ser diagnosticada. Por isso, é conhecida como “a doença dos mil sintomas”: tosse, espirros, secreções, febre, diarreia e tiques nervosos são apenas alguns deles.

3. Sarna

Trata-se de uma doença de pele que também pode aparecer em gatos e até em pessoas. A sarna é causada por um dos parasitas microscópicos chamados ácaros, que perfuram a derme e a infectam.

Cachorro com sarna

Existem dois tipos de sarna mais comuns em cães:

  • Sarcóptica. É contagiosa, passando de um animal infectado para outro através do contato.
  • Demodécica. Relacionada com problemas imunológicos ou genéticos.

4. Parasitas internos

O grupo mais comum de “vermes” que afeta os cães são as tênias: com formato plano, alojam-se no intestino e alimentam-se da comida ingerida pelo animal. O contágio se dá pelas fezes contaminadas ou pela comida crua ou malcozida.

Cachorro se coçando

É fundamental desparasitar o seu bicho de estimação através do tratamento indicado pelo veterinário: não só os filhotes devem passar por esse processo, já que os parasitas também podem afetar os adultos. Às vezes, eles podem ser detectados nas fezes do animal.

5. Artrose

Essa é uma das doenças comuns em cães idosos e de certas raças, como o pastor alemão ou o doberman. A artrose é a inflamação e degeneração das articulações, principalmente do quadril e do cotovelo. 

O risco de sofrer esse problema aumenta se o animal for obeso ou se faz exercício físico demais.  

6. Parvovírus

Essa doença afeta principalmente o sistema digestório do animal, embora também provoque a diminuição da quantidade de glóbulos vermelhos no sangue e impeça o correto funcionamento do coração e dos intestinos.

cão doente

Os sintomas do parvovírus canino incluem vômitos, falta de apetite, fezes acompanhadas de sangue, cansaço, diarreia, apatia (falta de energia) e desidratação. A boa notícia é que pode ser prevenida com a aplicação de uma vacina no animal.

7. Gastrite

É mais comum do que acreditamos e, na maioria dos casos, nem nos damos conta de que nosso bicho de estimação está sofrendo dessa doença. A gastrite é uma inflamação ou irritação da mucosa gástrica e é causada por uma má alimentação: ração inadequada, rações em excesso ou rapidez na hora de ingerir o alimento.

Os principais sintomas são os vômitos e a distensão abdominal (barriga inchada), mas a gastrite canina também pode incluir perda de apetite ou de peso, falta de energia e produção excessiva de saliva.

8. Leishmaniose

Essa doença é transmitida por um mosquito e é comum em certas áreas da Espanha e Europa. Os sintomas da leishmaniose são muito variados e a melhor maneira de evitar o contágio é eliminando o agente causador.

Não deixe recipientes com água ao ar livre (assim o inseto não pode depositar seus ovos), borrife repelentes em aerossol nas portas e janelas – para que não entrem na sua casa – e compre uma coleira repelente de mosquitos para seu cão.