8 mamíferos ameaçados de extinção

A poluição, o desmatamento e a caça furtiva estão causando a extinção de muitos animais, neste caso mamíferos que continuam lutando para sobreviver. Conheça alguns deles junto com a gente!
8 mamíferos ameaçados de extinção

Última atualização: 16 Julho, 2021

Existem várias razões pelas quais o número de animais extintos aumenta dia após dia. Entre as diferentes espécies animais, 36% dos mamíferos estão ameaçados de extinção devido ao tráfico de espécies, à caça furtiva ou à fragmentação de seus ecossistemas. O restante dos táxons biológicos não segue em um ritmo muito melhor.

Estamos no período mais preocupante da história em termos de perda de diversidade. Vários cientistas chamaram esse estágio de extinção em massa do Holoceno, uma vez que a perda de espécies é de 100 a 1000 vezes mais rápida do que o esperado. Aqui estão alguns dos mamíferos ameaçados de extinção atualmente.

1. Rinoceronte-negro (Diceros bicornis)

Esse animal é originário das savanas africanas e historicamente ameaçado por caçadores ilegais, que visam obter seus chifres. Apesar de ser uma espécie protegida, em 2020 restavam 3142 exemplares em todo o mundo e seu estado de conservação de acordo com a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN por sua sigla em inglês) é “criticamente em perigo (CR) “.

O rinoceronte-negro se caracteriza por seu grande tamanho e sua cor cinza-escuro particular. Sua dieta é baseada em arbustos e pequenas árvores, que os espécimes adultos podem alcançar sem esforço. Essa espécie difere do rinoceronte-branco pela cor e pela boca, pois a do rinoceronte-negro tem o formato de um bico preênsil, ideal para seu tipo de alimentação.

 

O rinoceronte-negro: um dos mamíferos ameaçados de extinção

2. Tigre-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae)

Outro dos mamíferos ameaçados de extinção é o tigre-de-sumantra, um grande felino que desde 2008 está classificado como “criticamente em perigo”. A causa do declínio de sua população é a caça furtiva para o comércio de suas peles e a fragmentação de seu habitat natural, situação que obriga esse felino a se confinar em áreas reduzidas.

A população atual de tigres-de-sumatra é estimada entre 450 e 500 indivíduos, todos conservados em algumas reservas naturais em cativeiro ou em pequenas áreas em liberdade.

Fisicamente, observa-se que seu pelo é mais escuro que o das demais espécies de tigre. Ele também tem linhas mais próximas e é considerado o menor dos tigres, pois seu comprimento não ultrapassa 2,5 metros. Entre suas habilidades estão a caça e sua facilidade para nadar em pequenos rios e lagoas da ilha de Sumatra, na Indonésia, seu habitat natural.

 

Tigre-de-sumatra: um dos mamíferos ameaçados de extinção

3. Pangolim (Manis spp.)

Os pangolins são um gênero de mamíferos em que atualmente 2 de suas 4 espécies estão criticamente ameaçadas de extinção. Esse pequeno animal é associado ao tatu por sua capacidade de se enrolar para se proteger de predadores na África e na Ásia, habitats aos quais sua população foi reduzida.

O pangolim é um mamífero insetívoro que não representa perigo para o ser humano. No entanto, é o animal mais traficado em todo o mundo porque sua carne é muito valorizada no mercado asiático e suas escamas são utilizadas na medicina tradicional para o alívio de doenças, como a artrite ou a asma.

 

O pangolim está em perigo crítico.

4. Gorila-do-oriente (Gorilla beringei beringei)

Os gorilas são mais um grupo de mamíferos ameaçados, nesse caso pelo desmatamento, pela caça ilegal e por doenças humanas. O gorila-ocidental-das-terras-baixas e o gorila-do-oriente são 2 das 4 subespécies de gorila mais ameaçadas. Em 2018, havia 600 exemplares dessa espécie e, de acordo com a IUCN, seu estado de conservação é “em perigo (EN)”.

Os gorilas-do-oriente vivem protegidos em diferentes reservas na África central e sua organização social é apenas um de seus aspectos mais curiosos. Foi observado que um único macho pode viver com várias fêmeas, embora geralmente haja mais machos em uma mesma comunidade.

 

O gorila-do-oriente

5. Hipopótamo-pigmeu (Choeropsis liberiensis)

Essa espécie de hipopótamo é endêmica da África, especificamente da Libéria, da Nigéria e da Costa do Marfim, onde abundam os marismas. É um mamífero semiaquático que, ao contrário do hipopótamo-comum, prefere viver sozinho ou aos pares. Ambos vão para as matas próximas à noite para se alimentar, pois durante o dia permanecem na água para regular sua temperatura.

A destruição de seu habitat fez com que atualmente restassem menos de 3000 indivíduos. Por esse motivo, a IUCN classifica esse espécie no grupo “em perigo”.

 

Hipopótamo-pigmeu: um dos mamíferos ameaçados de extinção

Mamíferos em extinção na Espanha

Assim como qualquer outro país, a Espanha não está a salvo da possível extinção de várias espécies animais. No caso dos mamíferos, a poluição e a caça são apenas duas das causas que ameaçam suas vidas. Consequentemente, os movimentos ambientais e de animais têm lutado para que a legislação seja mais severa em relação aos crimes que ameaçam a conservação biológica.

6. Urso-pardo (Ursus arctos)

O urso-pardo tem seu habitat na Espanha, especificamente nos Pirineus, e na Cordilheira Cantábrica. Embora algumas investigações e esforços estatais tenham conseguido aumentar seu número, atualmente nos Pirineus existem cerca de 50 exemplares. No entanto, os programas de recuperação fizeram com que a espécie passasse da lista de “em perigo” para “pouco preocupante”.

Em fevereiro de 2016, a população mundial de ursos-pardos era de 110 000.

 

Um urso-pardo olhando para a câmera.

7. Lobo-ibérico (Canis lupus signatus)

A conservação do lobo-ibérico é uma luta constante na Espanha. Há várias décadas, esse canídeo estava presente em toda a Península Ibérica, mas hoje existem apenas 2000 exemplares ao norte e ao sul do rio Douro. Consequentemente, é listado como uma espécie “vulnerável (VU)”. Infelizmente, os espécimes ainda são caçados em algumas áreas.

A principal ameaça ao lobo ibérico são os esforços para legalizar a sua caça a sul do rio Douro, além dos envenenamentos e da redução do seu habitat natural.

 

Lobo-ibérico: um dos mamíferos ameaçados de extinção na Espanha

8. Lince-ibérico (Linx pardinus)

O lince-ibérico, uma espécie única no mundo, é outro dos mamíferos ameaçados de extinção devido à destruição do seu habitat, aos atropelamentos por carros, à falta de alimentos e à caça. É classificado como uma espécie “em perigo” e circula livremente nos territórios de Serra Morena, Doñana e nos Montes de Toledo, embora com uma precariedade de alimentos relacionada à população de coelhos.

 

O lince-ibérico é uma espécie endêmica da Espanha.

Como você pôde notar, muitos mamíferos estão enfrentando uma possível extinção. A maior parte dos desencadeadores desses declínios são de responsabilidade dos seres humanos, por isso cabe à nossa espécie lutar para reparar os danos causados a esses animais, que em seu habitat natural não representam perigo algum.

Pode interessar a você...
7 aves domésticas em risco de extinção
Meus Animais
Leia em Meus Animais
7 aves domésticas em risco de extinção

A alta demanda por aves domésticas e as práticas ilegítimas usadas para obtê-las deixaram muitas espécies em risco de extinção.



  • WorldWildLife. Pangolín. Recogido el 20 de junio de 2021 de: https://www.worldwildlife.org/descubre-wwf/historias/pangolin
  • Lomolino, M. V., & Channell, R. (1995). Splendid isolation: patterns of geographic range collapse in endangered mammals. Journal of Mammalogy, 76(2), 335-347.
  • Comizzoli, P., Songsasen, N., & Wildt, D. E. (2010). Protecting and extending fertility for females of wild and endangered mammals. Oncofertility, 87-100.
  • Grimwood, I. (1968). Endangered mammals in Peru. Oryx, 9(6), 411-421.
  • Azab, W., Dayaram, A., Greenwood, A. D., & Osterrieder, N. (2018). How host specific are herpesviruses? Lessons from herpesviruses infecting wild and endangered mammals. Annual review of virology, 5, 53-68.