Órix-da-arábia: reprodução e conservação

maio 3, 2019
O órix da arábia é um bovídeo famoso por sua pele branca com listras pretas no rosto e nas pernas; este mamífero tem sido muito importante na história da península arábica.

O órix da arábia é um bovídeo que, como o nome sugere, habita a península arábica. É a espécie mais ameaçada em toda a família dos artiodátilos. Neste artigo, falaremos mais sobre isso.

Características do órix da arábia

Este animal 100% adaptado à vida no deserto destaca-se por sua pele predominantemente branca; exceto pelas patas, máscara facial, ponta do rabo e chifres – presentes em ambos os sexos e longos e curvos – que são negros.

O órix da arábia mede aproximadamente um metro de altura e pesa cerca de 70 quilos.

Reprodução e comportamento do órix da arábia

Durante o dia, o órix da arábia geralmente descansa do calor para iniciar sua jornada à noite. Tem a capacidade de detectar chuva e avançar em direção a ela. Sua gama de habitats pode chegar a 3000 quilômetros quadrados.

Quando o órix não está vagando em busca de alimento, cava buracos rasos em solo macio ou sob arbustos pequenos.

Alimentam-se de frutas, tubérculos, raízes, ervas, bulbos e botões. Eles são ruminantes e podem ficar sem água por várias semanas, assim como os dromedários e outros animais do deserto.

Os rebanhos de órix estão misturados e são compostos por 2 a 15 animais. Esses rebanhos são pacíficos – até mesmo os machos solitários – e podem conviver sem problemas, com exceção da época de reprodução, que ocorre entre maio e dezembro.

Órix da arábia no deserto

As fêmeas têm um período de gestação de 240 dias e dão à luz um único filhote, que se alimenta de leite materno por dois meses e meio.

O mito do unicórnio

O órix é o animal nacional de Omã, Jordânia, Emirados Árabes, Catar e Bahrein. Existem vários ‘erros’ sobre o nome usado para esta espécie, uma vez que uma das palavras usadas tem uma tradução de ‘unicórnio‘.

Esta é uma das teorias sobre o mito do unicórnio. Há também outra: se você vir o Órix de lado, os dois chifres parecem um. Se ele perder um, por qualquer razão, ele não voltará a crescer. Seus chifres são de osso oco, tais como, supostamente, o desses seres alados da mitologia.

Esta última é uma das razões pelas quais o órix da arábia é caçado: acredita-se que o chifre tenha poderes medicinais, e é usado em tratamentos de todos os tipos.

Habitat e conservação do órix da arábia

O órix da arábia prefere o deserto de cascalho e areia dura, pois é resistente a intempéries e pode se proteger de seu único predador natural: o lobo. Historicamente, o órix da arábia viveu na maior parte do Oriente Médio e até o início do século 19 havia grandes rebanhos na Palestina, no Sinai, no Iraque e na Transjordânia. Hoje, aqueles que sobreviveram estão na Arábia Saudita.

Exemplares de órix da arábia

Primeiro pelo avanço do homem e depois pela caça (os príncipes árabes ricos começaram a caçá-los nos anos 30 como diversão), a população do Órix foi drasticamente reduzida. Nos anos 70, não havia espécimes selvagens.

No entanto, graças aos esforços de grupos de ambientalistas e cientistas, o órix da arábia foi reintroduzido em Omã, Israel, Emirados Árabes Unidos, Síria, Jordânia, Catar e Bahrein.

Atualmente, existem mais de 1000 exemplares em seu habitat natural, razão pela qual ele deixou a lista de animais em perigo de extinção.

Isso não significa que a ameaça tenha sido eliminada, pois o caminho é bastante árduo e lento. A reinserção foi melhor do que o esperado e a cada ano aumenta a população desse mamífero tão característico do deserto.

  • Spalton, J. A., Lawrence, M. W., & Brend, S. A. (1999). Arabian oryx reintroduction in Oman: Successes and setbacks. ORYX. https://doi.org/10.1046/j.1365-3008.1999.00062.x