Órix-de-cimitarra

abril 9, 2019
Essa é a única espécie de antílope com chifres curvos. Descubra o órix-de-cimitarra no artigo a seguir...

Hoje vamos falar de um animal diferente: o órix-de-cimitarra. Neste artigo, vamos contar tudo sobre ele, bem como as razões pelas quais ele foi declarado extinto em seu estado selvagem.

Quem é o órix-de-cimitarra?

O gênero Oryx engloba os antílopes chamados órices. São conhecidas quatro espécies diferentes, mas uma delas se destaca por sua beleza: o órix-de-cimitarra (Oryx dammah).

Estamos falando de animais robustos, com registros de peso entre 140 e 200 quilos. Eles também se destacam por suas patas curtas que terminam em um amplo casco.

O corpo desses animais tem uma pelagem na qual predomina a coloração branca. No entanto, as patas e a área do pescoço e do tórax adquirem uma cor avermelhada.

Como você pode ter imaginado, o mais impactante em relação a esses animais são seus chifres.

Chifres impressionantes

Tanto os machos quanto as fêmeas têm impressionantes chifres em forma anelada. Podem medir até um metro e, à medida que vão crescendo, vão se curvando para trás.

Antílope com chifres curvos

Esse formato curioso lhes rendeu o nome com o qual esses animais são conhecidos, pois lembra os sabres e espadas curvos usados ​​por alguns povos do Oriente.

Quando há disputas por territórios ou hierarquia, eles usam seus poderosos chifres para se defender e atacar nas lutas. Os que estão lutando entre si batem com seus chifres em paralelo, de modo que raramente se machucam.

Habitat e alimentação do órix-de-cimitarra

Antes do seu desaparecimento, esses antílopes habitavam regiões áridas e de pastos semidesertos do norte da África, e chegaram a entrar no deserto do Saara durante alguns períodos. Acredita-se que na antiguidade o povo egípcio tenha domesticado o órix-de-cimitarra para consumir sua carne.

Sua alimentação é baseada em pastos de grama e diferentes espécies de arbustos. Do mesmo modo que outros animais do deserto, eles são adaptados para sobreviver a longos períodos sem beber água, podendo extrair somente o que encontram em frutas e suculentas.

Órix branco

Por que eles desapareceram na natureza?

A primeira das causas de seu desaparecimento tem a ver com a caça excessiva que esses animais sofreram. Seus chifres extraordinários fizeram com que eles se tornassem vítimas de caçadores nas últimas décadas.

Por outro lado, a perda e degradação do seu habitat contribuiu da mesma forma para o seu desaparecimento. A ocupação do seu território por parte dos humanos, assim como a pecuária e a concorrência com animais domésticos pelos recursos, têm diminuído a população do órix-de-cimitarra.

Em 1985, foi possível contabilizar e registrar apenas cerca de 500 exemplares da espécie. Desde o ano 2000, não há provas firmes da sua presença na natureza. Isso fez com que os dois órix-de-cimitarra fossem considerados oficialmente extintos da natureza pela IUCN.

Para evitar que a espécie se perca totalmente, alguns países como a Tunísia e o Senegal realizaram um programa de reprodução em cativeiro. Gradualmente, alguns casais foram libertados em reservas naturais para tentar recuperar este animal maravilhoso.

  • Zhang, H., Ren, Y., Chen, L., & Sha, W. (2012). The complete mitochondrial genome of scimitar-horned oryx (Oryx dammah). Mitochondrial DNA23(5), 361-362.
  • Gilbert, T., & Woodfine, T. (2008). The reintroduction of scimitar-horned oryx Oryx dammah to Dghoumes National Park, Tunisia. Winchester: Marwell Preservation Trust.