Os cavalos são capazes de pensar?

· fevereiro 25, 2019
Muito foi falado sobre a inteligência dos animais, mas será que os cavalos têm a capacidade de pensar?

Eles são animais que se destacam não apenas por sua aparência majestosa, mas também por seu comportamento nobre e sensível. Embora existam muitas demonstrações da sua capacidade de aprender, memorizar e ter empatia, muitas pessoas se perguntam se os cavalos são capazes de pensar.

Afinal, os cavalos são capazes de pensar?

Para responder a esta pergunta, em primeiro lugar devemos definir com clareza o que chamamos de “pensar”.

Se esperamos que os equinos raciocinem e compreendam o seu entorno da mesma forma como nós fazemos, certamente chegaremos a uma resposta negativa.

Os cavalos são animais muito diferentes dos seres humanos, por isso suas formas de perceber e interpretar o mundo dificilmente poderiam ser idênticas.

No entanto, estas diferenças não significam que seres humanos e equinos não possam ter certas semelhanças nas suas formas de inteligência. Os sentidos, por exemplo, são tão importantes para os cavalos quanto para os humanos.

Na prática, estes animais têm a vantagem de ter sentidos muito mais desenvolvidos do que os nossos. Por meio de suas percepções sensoriais, captam informações básicas para compreender seu entorno, juntamente com as modificações que nele ocorrem.

Por outro lado, podemos considerar que o ato de pensar pode se manifestar ou processar de forma distinta em diferentes indivíduos.

Ou seja, um cavalo poderia ter um pensamento estruturado de uma forma distinta daquela das pessoas, sem deixar de ser inteligente.

Como consequência de tudo isso, deveríamos conceber a existência de múltiplas formas de inteligência igualmente válidas e admiráveis.

Assim, estaríamos em condições de afirmar que sim, os cavalos são capazes de pensar, embora ainda tenhamos muito a aprender sobre a sua forma de entender e se comunicar com o mundo.

Cavalo bonito e bem cuidado

A estrutura social e a aprendizagem dos cavalos

Uma observação fantástica sobre a inteligência dos cavalos é a sua capacidade de aprender por meio de uma estrutura social.

Os equinos são seres altamente sociáveis e sensíveis; quando são selvagens, costumam formar grupos grandes para se defender e se cuidar em comunidade.

No entanto, o que poucas pessoas reconhecem é que os equinos mantêm uma estrutura familiar muito bem consolidada.

Em cada manada, podemos identificar um líder que se encarrega de orientar os outros animais, priorizando o bem-estar coletivo.

Na relação homem-cavalo, estima-se que o cuidador exerça o papel que seria assumido naturalmente pelo líder.

É claro que isso é válido para os laços saudáveis, nos quais a obediência e a aprendizagem são fomentados pela confiança e o respeito mútuo.

Os potros aprendem com suas mães

Também se observa que os potros aprendem sobre seu entorno ao observar o comportamento de suas mães e outros cavalos adultos.

Por isso, é muito comum vê-los imitando as ações de sua progenitora e de outros equinos do mesmo grupo.

Esta aprendizagem é fundamental para que o potro saiba como se comportar na estrutura social da sua manada.

Além disso, conseguem construir progressivamente sua autoconfiança até se sentirem preparados para serem adultos e sobreviver por conta própria.

Três cavalos juntos

Outros dados interessantes sobre a inteligência dos cavalos

Aprendem com facilidade e têm uma excelente memória

Quem já teve a possibilidade de ver um cavalo sendo treinado conhece a sua facilidade de aprendizagem. Assim como os cães, os equinos costumam responder muito bem ao trabalho com o reforço positivo.

Ao reforçar as condutas desejadas por meio de recompensas, rapidamente conseguimos fazer com que o cavalo as memorize e execute com perfeição.

Por outro lado, os contextos de estresse elevado e os métodos negativos, como o uso de castigos, são extremamente contraproducentes.

Um cavalo assustado ou inseguro que não tem um entorno positivo para se expressar dificilmente vai desenvolver bem as suas capacidades físicas, cognitivas, sociais e emocionais.

Além disso, os equinos se destacam por ter uma grande capacidade de memorização. Por um lado, isso facilita seu treinamento e lhes permite criar vínculos muito profundos com seus cuidadores.

No entanto, esta memória poderosa também pode levar à formação de traumas e fobias naqueles animais que foram vítimas de abusos ou maus-tratos.

Cada cavalo tem uma personalidade única

Assim como acontece com as pessoas, cada cavalo é dono de uma personalidade própria e singular.

Embora possamos falar de traços básicos no comportamento dos equinos, é impossível prever o comportamento de um cavalo específico.

Sua forma de se expressar e interagir com as pessoas, com outros cavalos e com o seu ambiente depende de diversos fatores.

Ainda que a herança genética tenha uma influência, o comportamento de cada animal vai depender principalmente do ambiente, dos cuidados e da estimulação proporcionada por seus cuidadores.

Por esta razão, não existem cavalos iguais, tanto em relação à aparência quanto ao comportamento. Ao adotar um cavalo é essencial recordar que sua inteligência e sensibilidade precisam da nossa dedicação para alcançar níveis ótimos de desenvolvimento.

  • Skipper, L. (1999). Inside your horse’s mind: a study of equine intelligence and human prejudice. Allen (JA) & Co. Ltd.
  • McCall, C. A. (1990). A review of learning behavior in horses and its application in horse training. Journal of Animal Science68(1), 75-81.