Os gatos podem se curar com o próprio ronronar

· junho 17, 2017

Os gatos se comunicam entre si e com os humanos mediante os miados, gorjeios, murmúrios e outros sons. Mas também através do ronronado. Diversas pesquisas associam muitos benefícios obtidos por esses sons.

Em que situações os gatos ronronam

Em que circunstâncias podemos ver um gato ronronando? Entre outros casos, quando estão sob estresse e com medo. Por exemplo, quando veem um veterinário ou quando estão se recuperando de uma lesão. Além disso, as fêmeas utilizam o ronronado quando estão cuidando dos seus filhotes. E também quando os humanos interagem com os gatos, principalmente quando acariciamos ou alimentamos os gatinhos.

O tipo de som associado ao ronronar é produzido por gatos e por outros felinos. Por isso, eles utilizam os músculos laríngeos e o diafragma tanto para inalar quanto para exalar. 

Outros tipos de felino emitem sons muito similares ao ronronar do gato doméstico.

A similaridade do ronronado com os sons humanos

O ronronar é uma função comunicativaA funções que os felinos emitem através de um ronronado são semelhantes aos sons que produzidos por alguns humanos. No caso do alívio de algumas dores, queixumes, problemas com a tosse ou com a respiração, etc.

Existem muitas lendas que afirmam que os gatos podem se curar, caso tenham algum osso do corpo quebrado e forem deixados em um local tranquilo. Mas isso pode ter relação com o ronronar?

Achamos que os felinos podem armazenar uma grande quantidade de energia, entre outras coisas, já que passam muitos dias sem fazer nada, dada a dificuldade de agarrar uma presa para se alimentar.

Por todas essas razões, um ronronado e esses sons peculiares dos gatinhos são muito benéficos para a sua saúde, uma vez que aumentam a sua densidade óssea e aceleram os processos de cura. Inclusive, ajuda-os a pegar no sono

Provas realizadas

Diversos estudos realizados com gatos demonstraram a eficácia da técnica do ronronar. Os especialistas afirmam, com base nos estudos, que os felinos se curam antes de seus problemas, por exemplo, respiratórios, quando ronronam.

Uma explicação para essa hipótese concreta sobre as dificuldades para respirar é que o ronronar permite que os gatos respirem pela boca, algo que será mais difícil se estiverem com o focinho machucado.

Como o ronronar é produzido?

Esse som é produzido devido ao fluxo sanguíneo da veia cava, que ocorre ao circular por um estreitamento involuntário que o gato produz no trânsito entre o fígado e o diafragma.

Em alguns estados neurovegetativos, o sangue forma ondas ao circular pela garganta, provocando vibrações que se expandem pelo corpo e pelas cavidades cranianas, do seio até a traqueia. Com isso, é produzido um campo vibratório que tem a capacidade de relaxar todo o seu corpo e condicionar a sua atitude.

O gato vibra, sobretudo, para se sentir mais confortável. É um grande especialista em desfazer as energias negativas, sendo capaz de perceber e de identificar os estados emocionais do seu dono humano. Por isso, dizem que livra os humanos das suas energias negativas.

O exemplo de uma gata

A gatinha “Puchhi” havia sido agredida por um cão muito maior que ela, e apresentava uma grave peritonite, uma fissura na sua extremidade traseira, além de pancadas e machucados em todo o seu corpo.

Após a sua primeira intervenção cirúrgica de urgência, não havia muitas esperanças para ela. Quando chegou em casa, a gatinha ficou prostrada, fria e sem fome alguma, chegando quase ao ponto de morrer. No entanto, em sua casa, havia uma gata que se aproximou de “Puchi”, ficou ao seu lado, pele com pele, e ficou ronronando durante horas sem parar.

A recuperação de “Puchi” foi sendo produzida dia a dia. Os donos da sua casa colocaram um pequeno alto-falante com os sons gravados do ronronar do gato. E puderam comprovar como a gatinha se arrastava pelo tapete para chegar até o alto-falante, estirando-se completamente por cima, para absorver o campo vibratório com o seu corpo e ir melhorando cada vez mais.

Como pudemos ver, a natureza nos surpreende cada vez mais, e nos mostra diversas vias alternativas de cura, muito mais saudáveis e confiáveis.