Os morcegos de Madagascar correm perigo

· maio 21, 2019
As necessidades econômicas e alimentares de algumas populações, que anteriormente respeitavam certas tradições, levaram os morcegos de Madagascar a entrarem em perigo.

Muitos animais, como os morcegos de Madagascar, vivem em cavernas. Seu habitat é altamente respeitado nesta ilha, o que levou à sua conservação até hoje.

As cavernas de Madagascar, um local sagrado

Em Madagascar, grande parte da biodiversidade das cavernas foi preservada. A natureza sagrada dessas formações geológicas na ilha africana permitiu que várias espécies de fauna fossem protegidas.

Culturas diferentes compreendem cavernas como entradas para o submundo ou locais de sepultamento. Além disso, até as entendem como objeto de normas sociais, evitando incomodar os espíritos que vivem nelas.

No caso dos morcegos de Madagascar, uma equipe de cientistas da Finlândia explorou várias cavernas cheias de espécimes. Enquanto  isso, o cientistas também entrevistaram vários grupos étnicos, como tanalana e vezo. Desse modo, foi compreendido que essas culturas entendem as cavernas como um mundo sobrenatural.

Os morcegos também são considerados animais com um certo ar sagrado, e algumas culturas acreditam que eles protegem os espíritos de seus ancestrais.

Caverna com morcegos

Uma cultura em mudança põe em perigo os morcegos de Madagascar

No entanto, mudanças na cultura de Madagascar podem colocar em risco essas espécies. Tradições que mantêm as pessoas fora das cavernas, inclusive tratando como tabu o consumo de morcegos de Madagascar, estão em perigo de extinção.

De cada cinco entrevistados, pelo menos um deles não estava colocando esses valores tradicionais em prática. Ou seja, isto significa que muitas pessoas recorrem à caça de morcegos, a tal ponto que em 2007 milhares foram mortos para alimentar estes grupos em períodos de seca.

Um terço dos entrevistados reconheceu que em suas comunidades eles comiam morcegos, algo tradicionalmente proibido e ilegal. Além disso, o comércio de morcegos de Madagascar também é relativamente comum; eles são vendidos como alimento ou até como animais de estimação para turistas, algo que pode se tornar muito perigoso.

Outra atividade que causa impacto nas populações de morcegos é a coleta de guano, um fertilizante de alto valor. No entanto, os pesquisadores reconhecem que essa fonte de renda poderia ajudar a proteger os morcegos se feita de forma sustentável, pois isso faria as populações locais verem o morcego vivo como um benefício.

Os morcegos de Madagascar estão em perigo

Os últimos morcegos de Madagascar

Quando falamos de morcegos de Madagascar, falamos de até 40 espécies desses mamíferos, sendo a maioria animais que só podem ser encontrados em Madagascar. No entanto, a equipe de pesquisa adverte que muitas espécies estão ameaçadas devido à extinção dos valores culturais malgaxes.

Algumas espécies de morcegos em Madagascar ainda têm ventosas em suas extremidades, algo que as torna especialmente curiosas. Infelizmente, o desmatamento também afeta esses incríveis animais, assim como outras espécies de Madagascar, como os lêmures.

O cultivo tradicional em Madagascar consiste em queimar grandes áreas de floresta para enriquecer o solo e depois plantar nele. Este tipo de agricultura acabou, juntamente com a exploração madeireira, com mais de 80% das florestas originais da ilha. Acredita-se até que essas práticas, juntamente com a caça, tenham sido as responsáveis ​​pela extinção dos lêmures gigantes de Madagascar.

Cardiff, S. G. (2006). Bat cave selection and conservation in Ankarana, northern Madagascar. Master’s thesis, Columbia University, New York.