Os pontos quentes em cães

· maio 24, 2018

A denominação pontos quentes em cães vem do termo em inglês hot spot. Medicamente, é conhecida como dermatite úmida aguda. Tem esse nome porque as lesões podem ser sentidas quentes se colocarmos nossa mão perto delas.

É uma doença bem frequente nas consultas veterinárias. São os problemas de pele que fazem com que os cães se cocem de forma constante e que podem ocasionar pontos quentes.

Qualquer coisa que cause irritação na pele de nosso animal pode dar origem a essa doença, que faz com que o cão se coce continuamente.

Onde se posicionam os pontos quentes 

Qualquer coisa que cause irritação na pele de nosso animal pode dar origem aos pontos quentes em cães. Alergias, picadas, sarna, cortes, raspões ou secura podem provocar coceira na pele.

Essa coceira faz com que o animal se coce com força e produza feridas na pele. Inclusive infecções no ouvido ou no ânus podem fazer com que o cão se coce.

cão se coçando

Essas lesões causam muitos problemas. Ao infectar a ferida, o cão se coça e lambe rapidamente a infecção, ela então se torna um círculo úmido e sem pelos que, inclusive, pode sangrar. São lesões profundas, podem terminar em carne viva ou ficarem cobertas de uma crosta com mau cheiro.

Os sinais dos pontos quentes geralmente aparecem com mais frequência nas bochechas, no quadril, no peito e na cabeça do cão. Logicamente, em lugares onde ele consegue se coçar.

A única maneira de prevenir a aparição de pontos quentes em cães é evitar os fatores que podem irritar a pele. É recomendável revisar cuidadosamente nosso animal se observarmos que ele começa a se coçar com frequência.

Como tratar os pontos quentes em cães

A cura dessas lesões passa pela consulta do veterinário. São feridas com infecções bacterianas que, muitas vezes, requerem a aplicação de medicamentos para seu tratamento. Além disso, por conta da dor, o cão pode reagir com agressividade quando sua lesão é tocada.

dermatite

Os pontos quentes crescem com rapidez. Em poucas horas, podem aumentar seu tamanho consideravelmente. A velocidade com que agimos evitará que os pontos se estendam e piorem.

O tratamento dos pontos quentes em cães deve focar tanto na cura das lesões infectadas quanto na erradicação de sua causa. Por isso é importante saber, desde o começo, o que fez com que o cão se coçasse.

O processo começa com a raspagem dos pelos ao redor da feridas para arejar a zona inflamada e saber seu tamanho. Depois, a ferida é limpa e desinfetada com algum antisséptico.

Podem ser utilizados produtos especiais para secar a lesão. A ferida deve ser mantida arejada e deve ser tratada constantemente, para que se veja uma evolução.

O veterinário vai determinar, de acordo com a gravidade das lesões, se será necessário fornecer antibióticos, anti-inflamatórios ou analgésicos ao animal.

Depois de cuidar das lesões

Talvez não seja necessário voltar ao veterinário para rever as lesões. Tudo vai depender da gravidade das mesmas. O mais provável é que o especialista nos indique como fazer a limpeza das feridas em casa, assim como o tratamento a ser feito.

Com certeza será necessário colocar um colar elizabetano no cão para evitar que ele se lamba e coce as feridas. Manter o cão entretido com brinquedos e exercícios pode ajudar a fazer com que ele não se preocupe com o incômodo das lesões.

Os pontos quentes em cães, uma vez tratados, podem melhorar em algumas semanas. É possível, mas pouco provável, que fiquem cicatrizes.

Prevenção

Podemos tomar algumas medidas para minimizar as possibilidades de que nosso cão sofra com pontos quentes.

  • Limpar o cão com frequência: Se é uma raça de pelo comprido, devemos tentar manter o pelo curto, sobretudo em épocas de muito calor.
  • Usar produtos para eliminar pulgas e carrapatos dos espaços onde o cão fica. Também é bom banhá-lo com regularidade com xampu contra esses parasitas.
  • Se observamos que ele se coça com muita insistência e parece se incomodar, é preciso verificar sua pele com cuidado a procura de feridas ou picadas.
  • Monitorar sua alimentação para assegurar que não tenha nenhuma alergia alimentar.
  • Fazer com que nosso cão se exercite diariamente. O tédio pode causar ansiedade, e isso pode fazer com que ele se coce e se lamba, produzindo lesões na pele.
  • Levar o nosso animal de estimação ao veterinário rotineiramente para confirmar que não há doenças que não sejam facilmente detectáveis. Qualquer dor ou incômodo pode levá-lo a se coçar.