Papagaio gigante é descoberto na Nova Zelândia

outubro 24, 2019
O papagaio gigante encontrado na Nova Zelândia revela um pouco mais sobre a história dos papagaios e seus ancestrais.

Um papagaio gigante não é uma descoberta que se faz todos os dias. Por isso, o aspecto inesperado da descoberta e sua força hercúlea deram a essa nova espécie de ave extinta o nome de Heracles inexpectatus. Falaremos mais sobre ela a seguir.

A inesperada descoberta de um papagaio gigante

Os restos deste animal foram encontrados no centro de Otago, uma área da Nova Zelândia conhecida pela presença de uma infinidade de fósseis do período Mioceno, época à qual pertence essa ave de cerca de 19 milhões de anos, segundo os pesquisadores que o descobriram.

Ossos fósseis de pássaro

Não é a primeira vez que são encontrados fósseis de espécies de animais extintos “gigantes” semelhantes aos atuais, como é o caso dos lêmures gigantes de Madagascar. Sua extinção provavelmente teve muito a ver com a presença do ser humano na ilha de Madagascar.

Especificamente, essa espécie de papagaio gigante lembra uma espécie de psitacídeo que ainda vive em nossos dias: falamos do estranho kakapo (Strigops habroptilus).

Esta curiosa ave está em perigo crítico de extinção, pesa cerca de três quilos e, assim como Hércules, carecia da capacidade de voar devido ao seu peso. Por isso, é boa em se camuflar.

O papagaio Hércules podia exceder um metro de altura, enquanto seu peso chegava facilmente a sete quilos, o que o torna um papagaio enorme em comparação com os atuais psitacídeos.

Uma ave espetacular

A história deste papagaio gigante lembra a de outras aves extintas de grande tamanho que não podiam voar, como é o caso do estranho pássaro elefante, uma ave extinta de Madagascar.

Não precisamos ir longe, pois a Nova Zelândia não é nova em termos de pássaros gigantes. Um exemplo é o moa, uma ave grande semelhante aos avestruzes.

Papagaio gigante

Muitas dessas aves gigantes sofreram uma extinção rápida nas mãos do ser humano, já que não podiam voar e eram fáceis de caçar pelas populações de caçadores-coletores.

No entanto, isso parece improvável no caso desse papagaio gigante, cujo registro fóssil está longe da presença de seres humanos na Nova Zelândia.

O animal provavelmente viveu em uma Nova Zelândia de clima subtropical cercado por louros e palmeiras, e tinha um bico poderoso que lhe permitia comer praticamente qualquer alimento encontrado no solo.

Infelizmente, é difícil conhecer mais características dessa grande ave, como acontece com outras espécies analisadas por registro fóssil. No entanto, esse é um fato sem precedentes, pois temos poucas informações sobre os ancestrais dos psitacídeos.

Hércules pertenceria a um grupo de pássaros semelhantes aos papagaios neozelandeses atuais, como o kakapo e o kea. Eles são muito diferentes dos demais psitacídeos, como as araras, papagaios ou cacatuas, que têm cores muito mais chamativas e pouco aptas para a camuflagem.

https://doi.org/10.1098/rsbl.2019.0467