Como prevenir os parasitas em porquinhos-da-índia?

março 3, 2020
A presença de parasitas em porquinhos-da-índia é um fenômeno comum. Por isso, você deve estar bem informado para detectar e tratar as doenças provenientes dos mesmos.

Esses bichinhos encantadores são bons animais de estimação para uma criança porque são dóceis, limpos e fáceis de segurar. Ainda assim, é necessário estar atento aos sinais que eles mostram quando sofrem de qualquer um dos parasitas típicos em porquinhos-da-índia.

Há uma série de doenças comuns em porquinhos-da-Índia. Como em tudo, estar devidamente informado é a chave para combater pequenas e grandes dificuldades.

Neste artigo, você verá quais são os parasitas encontrados com mais frequência em porquinhos-da-índia. Dessa forma, você estará melhor preparado para identificar os sintomas.

Como um porquinho-da-índia saudável age

Seu porquinho-da-índia deve ter uma pelagem brilhante, olhos claros e brilhantes. Os dentes do seu animal de estimação devem ser amarelos, e a boca e o nariz não terão secreções.

Quando tem boa saúde, um porquinho-da-índia tem um bom apetite, e a área perianal se mantém limpa e seca.

Um porquinho-da-índia feliz será ativo e brincalhão: apatia, claudicação ou pelagem emaranhada podem ser sinais de que você deve levar o animal ao veterinário.

Cuidados mínimos para detectar e prevenir parasitas em porquinhos-da-índia

Observação constante

É uma boa ideia habituar-se a verificar o seu porquinho-da-índia pelo menos uma vez por dia. Afinal, isso permitirá que você detecte todos os problemas e aplique o tratamento oportuno.

Qualquer perda de peso, ou perda de apetite, pode ser um sinal de que seu porquinho-da-índia está entediado, infeliz e, na pior das hipóteses, doente.

Você também deve verificar qualquer viscosidade na área perianal, o que pode indicar diarreia ou infecção. Qualquer alteração nessa região é um sinal claro de que você precisa buscar um veterinário.

Quarentena

Se você comprou um segundo porquinho-da-índia, é uma boa idéia colocá-lo em quarentena em uma gaiola separada por algumas semanas. A quarentena, antes de colocar seu novo animal de estimação com os outros, vai lhe dar tempo para observá-lo. Assim, será possível detectar sinais de parasitas externos e impedir que se espalhem para os outros animais.

Par de porquinhos-da-índia

Cama e alimento

Os porquinhos-da-índia podem espalhar parasitas entre eles e também podem contraí-los através do contato com alimentos e com a cama.

Antes de colocar comida ou uma cama na gaiola, tenha o hábito de congelar esses itens por um dia. As temperaturas extremamente frias matarão quaisquer parasitas potenciais que possam estar à espreita nesses itens.

Parasitas comuns em porquinhos-da-índia

É bem possível que seu porquinho-da-índia contraia parasitas externos. Podem ser pulgas, piolhos e micose, especialmente se houver outros animais em sua casa, como cães e gatos.

Os sintomas desses parasitas incluem coceira constante, caspa excessiva e falhas de perda de pelo. O desconforto do animal pode fazer com que ele corra em círculos.

Se não forem tratados, os parasitas externos podem causar automutilação, enfraquecimento e infecção por arranhões na pele. Os animais podem morrer se não receberem o tratamento adequado e se a infecção progredir até afetar toda a pele do corpo.

Ácaros

As infestações de ácaros estão entre os casos mais graves de parasitas externos em porquinhos-da-índia. Os ácaros causam escabiose, uma doença infecciosa que provoca coceira grave e alopecia. Esses parasitas fazem tocas na pele e formam crostas, especialmente perto das orelhas.

Se a perda de pelo for acompanhada por áreas de vermelhidão ou dor na pele, este pode ser um sinal de que seu porquinho-da-índia está com ácaros.

Quase todos os casos de sarna em porquinhos-da-índia são causados por Trixacarus caviae. Eles são tão pequenos que só podem ser vistos em um exame microscópico de raspagem da pele do porquinho-da-índia.

Pragas em porquinhos-da-índia

Os ácaros podem ser importantes epidemiologicamente pois agem como transmissores de micro-organismos patogênicos, especialmente quando encontrados em grandes quantidades.

Piolhos

Os piolhos são pequenos insetos brancos e planos que vivem nos pelos dos porquinhos-da-índia. Os piolhos e seus ovos podem ser vistos a olho nu nas áreas calvas atrás das orelhas do porquinho-da-índia. A espécie mais comumente relatada em porquinhos-da-índia é a Gliricola porcelli.

Sua presença pode passar despercebida, já que geralmente surgem em pouca quantidade. Os piolhos adultos e seus ovos se aderem aos folículos do pelo.

Infestações graves são raras, mas essas circunstâncias podem provocar coceira grave, alopecia e lesões traumáticas, especialmente atrás das orelhas.

Micose ou infecção fúngica

A micose é uma infecção da pele e das unhas que é transmitida pelo contato entre animais doentes ou por infestação através de ambientes contaminados.

O agente causal mais relatado para porquinhos-da-índia é o Trichophyton mentagrophytes. A infecção quebra o pelo a uma curta distância do folículo. Assim, surgem regiões cinzentas e sensíveis na pele, com restos de pelos que deixam uma má aparência no animal.

Tratamento contra os parasitas em porquinhos-da-índia

Se você suspeitar de uma infestação, desinfete a gaiola e os equipamentos e fale com o seu veterinário para obter conselhos sobre o tratamento. O tratamento deve durar algumas semanas.

Injeção em um porquinho-da-índia

Seu veterinário pode dizer se o seu porquinho-da-índia tem ácaros ou piolhos. É importante desinfetar o habitat dos porquinhos-da-índia.

Primeiro, você deve remover e descartar a cama. Depois, borrife uma solução de cloro diluído em água numa concentração de 10% em toda a gaiola. Você deve continuar a limpar sua gaiola da mesma forma semanalmente.

  • Gorman G. Texia; Zúñiga C. Rosario; Romero M. Sergio. (1986). Hallazgos de ectoparásitos en cobayos (Cavia Porcellus). Avances en Medicina Veterinaria, 1:1
  • Huamán Alcantará, M., Killerby Campos, M., & Chauca Francia, L. (2019). Manual de Bioseguridad y Sanidad en Cuyes.
  • Fuentealba, C., & Hanna, P. (1996). Mange induced by Trixacarus caviae in a guinea pig. The Canadian Veterinary Journal, 37(12), 749.
  • Viguié, C. Paugam, A (2009). Dermatofitos transmitidos por animales. Acta Bioquim Clin Latinoam, 43:263-270.