Peixe-papagaio-azul, informações e características

março 6, 2019
O peixe-papagaio-azul é um animal aquático colorido que habita os corais em uma relação simbiótica com seu ecossistema; os corais fornecem proteção e o peixe-papagaio consome o excesso de algas.

O peixe-papagaio-azul (Scarus coeruleus) é uma espécie marinha incluída na ordem perciforme da família ScaridaeEle é conhecido por sua impressionante cor azul, que cobre todo o seu corpo.

Os peixes papagaios são parentes do bodião e encontrados em abundância nos recifes tropicais dos oceanos ao redor do mundo. Existem cerca de 90 espécies agrupadas em 10 gêneros e um deles é o peixe-papagaio-azul.

Características do peixe-papagaio-azul

O peixe-papagaio-azul é um peixe azul quase completamente brilhante, típico das espécies de peixe-papagaio do gênero Scarus.

Eles também são conhecidos como kwabs azuis. Quando eles são jovens, apresentam uma mancha amarela em suas cabeças que, à medida em que crescem, desaparece para dar lugar a uma cor roxa profunda. Esta espécie tem uma expectativa de vida de cerca de 20 anos.

Os espécimes adultos medem entre 30 e 100 centímetros de comprimento, com um peso aproximado de 30 quilos.

Os machos são maiores que as fêmeas, na maioria dos casos, que também tendem a desenvolver saliências na cabeça.

O nome papagaio refere-se ao seu bico em forma de mandíbula. Estes dentes são usados ​​para raspar algas de rochas e corais. Eles também têm dentes faríngeos, que ficam no interior da garganta.

O peixe-papagaio usa esses dentes para esmagar as rochas e os corais que ingere e, portanto, suas fezes adquirem a aparência de uma areia branca.

Essa areia é a que encontramos nas praias tropicais. Por esta razão, o peixe papagaio contribui para a formação de sedimentos que compõem as pequenas ilhas e praias arenosas do Caribe. Cada peixe-papagaio pode produzir até 450 gramas de areia por ano.

boca do peixe papagaio azul

Distribuição e habitat do peixe-papagaio-azul

Eles estão distribuídos em grande parte do Atlântico ocidental, de Maryland (Estados Unidos), Bermudas e Bahamas até o Rio de Janeiro (Brasil), incluindo as Índias Ocidentais, embora estejam ausentes no norte do Golfo do México.

O peixe-papagaio-azul vive em recifes de corais a profundidades entre 3 e 40 metros. Os espécimes juvenis estão localizados em leitos de algas marinhas e manguezais.

Alimentação e reprodução do peixe-papagaio-azul

Sua dieta consiste essencialmente de algas, que extraem dos pedaços de coral. Para isso, eles mordem o coral com os dentes que possuem na garganta, para tirar os pólipos das algas.

O peixe-papagaio passa 90% de seus dias se alimentando do crescimento excessivo de algas nos corais. Eles também consomem pequenos invertebrados bentônicos na areia.

O peixe-papagaio nasce com sexo definido, embora em alguns casos possa mudar de sexo. Aqueles que nascem machos sempre serão machos não dominantes.

Por outro lado, as fêmeas maduras podem se transformar em machos, porque nascem com os órgãos sexuais de ambos os sexos.

Esta mudança de sexo dentro desta espécie garante que sempre haverá pelo menos um macho para acasalar com todas as fêmeas.

Os machos na época de reprodução mudam um pouco de cor: tornam-se mais brilhantes e atraentes para atrair as fêmeas. Além disso, os machos se juntam a grandes grupos de fêmeas para fertilizar os ovos.

peixe papagaio azul no mar

Os peixes papagaios são desovadores pelágicos, o que significa que eles estão agrupados em uma área do oceano onde as correntes transportam os ovos fertilizados para que flutuem em mar aberto.

Quando os ovos se abrem, as larvas flutuam na zona epipelágica ou na área do oceano aberto perto da superfície. Quando as larvas se tornam juvenis (12 a 15 centímetros), elas descem para o ecossistema do recife.

Conservação do peixe-papagaio-azul

O peixe-papagaio-azul se encontra atualmente sob risco de extinção. Isto se deve a vários fatores: sobrepesca, alterações climáticas ou a acidificação dos oceanos pela poluição.

Eles estão atualmente classificados na categoria de menor preocupação da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

O peixe-papagaio e os recifes de coral têm uma relação simbiótica há séculos. Nenhum dos dois pode viver sem o outro.

Os recifes fornecem abrigo e alimento para os peixes, e estes, por sua vez, controlam a proliferação excessiva de algas nos corais.

Ao consumi-los com os dentes, eles quebram pedras e excretam areia fina, o que contribui para a formação das praias das ilhas de coral oceânicas.

Atualmente, em certas áreas de sua distribuição, necessitam urgentemente de estratégias de conservação em relação às atividades humanas.

Isso para preservar esses maravilhosos peixes e os ecossistemas marinhos que eles ajudam a manter.

  • Moyle, P. y Cech, J. (2000). Fishes: An Introduction to Ichthyology. Nueva Jersey: Upper Saddle River.
  • Smith, C.L. (1997). National Audubon Society field guide to tropical marine fishes of the Caribbean, the Gulf of Mexico, Florida, the Bahamas, and Bermuda. New York: Alfred A. Knopf, Inc.