Picada de aranha em cães: o que fazer?

Normalmente, uma picada de aranha não é muito grave para um cão. No entanto, pode ser perigoso se a espécie for venenosa. Nesse contexto, a rapidez do tutor influenciará o prognóstico.
Picada de aranha em cães: o que fazer?

Última atualização: 31 Julho, 2021

Não importa o quanto você tente proteger os animais de estimação, nem sempre é possível que eles estejam a salvo de qualquer problema. Por exemplo, ao permitir que o cão passeie pelas áreas externas da casa, ele pode ficar exposto a muitos tipos de insetos e aracnídeos. Portanto, em caso de picada de aranha em cães, é melhor saber como agir.

A menos que você more em uma área onde aranhas venenosas são comuns, quase nenhuma picada de aracnídeo causará problemas sérios para o seu cão, a menos que ele tenha reações de hipersensibilidade não relacionadas ao veneno em si. No entanto, como tutores, nunca é demais saber o máximo de informações possível sobre o assunto em questão.

Como identificar uma picada de aranha em cães?

É bem provável que, ao se deparar com uma picada de aranha em cães, o tutor do animal não perceba o que a causou. Isso porque, além da pequena lesão típica na pele que desaparece após alguns dias, nada indica que a lesão tenha sido causada por um aracnídeo. Essa lesão será um pequeno vergão avermelhado, no qual às vezes se pode identificar um pequeno ponto.

No entanto, em alguns casos, a situação pode se agravar. Principalmente, a gravidade aumenta quando qualquer uma dessas três circunstâncias ocorre:

  • O prurido leva o cão a se coçar excessivamente até se machucar.
  • A picada causa uma reação alérgica.
  • A picada é causada por uma aranha perigosa para cães.

 

Sintomas de uma picada de aranha em cães

Conforme indicado, se a picada vier de uma aranha não venenosa para os cães, a única coisa que se poderá ver é a inflamação típica ou uma marca vermelha. No entanto, se a aranha causadora for venenosa, os sintomas serão muito perceptíveis e graves. Por exemplo, as toxinas podem causar febre no animal, bem como rigidez no corpo, vômitos, suor e fraqueza geral.

Além disso, dependendo da aranha, a picada pode causar ao animal fortes dores nas articulações e no abdômen, problemas de coordenação, salivação excessiva, diarreia, convulsões ou asfixia. No pior dos casos, quando se trata da picada da aranha viúva-negra, o cão pode entrar em estado de choque e morrer.

A quantidade e a potência das toxinas do veneno determinam a resposta fisiológica do animal picado.

O que fazer no caso de uma picada de aranha em cães?

No caso de uma picada sem sintomas, nenhuma intervenção será necessária. Pelo contrário, se você observar um aspecto suspeito após a detecção da picada, se ela infeccionar ou se o cão começar a apresentar algum dos sintomas acima mencionados, é importante levá-lo imediatamente ao centro veterinário.

Lá, o profissional poderá analisar a lesão e estabelecer o tratamento adequado. É claro que quanto mais informações o veterinário tiver sobre a causa da picada, mais fácil será o diagnóstico. Portanto, se você tiver a oportunidade de fotografar o aracnídeo sem se colocar em risco, será muito útil para identificá-lo e saber a extensão do problema.

Remédios caseiros contra picadas de aranha em cães

Como indicam os especialistas, o tratamento precoce é mais bem-sucedido quando as picadas são graves. Estas devem ser analisadas e tratadas por um profissional veterinário, pois do contrário, e dependendo do tipo de aranha e das reações, a vida do animal pode correr sério risco.

Por sua vez, conforme indicado, no caso de picadas leves que não apresentem sintomas além do inchaço, pode-se usar água e sabão neutro para limpá-la bem e depois secá-la com gaze estéril. Depois de lavar e secar a área, você pode envolver um pouco de gelo em um pano de algodão limpo e aplicar sobre a picada para aliviar a inflamação e a coceira.

Quais são as espécies de aranhas mais perigosas para os cães?

Apesar de existirem mais de 30 000 espécies de aranhas, felizmente a grande maioria que encontramos no dia a dia não é perigosa. Um exemplo são as aranhas saltadoras (Salticidae), pois nem mesmo conseguem perfurar a camada epidérmica com suas quelíceras. No entanto, existem outras espécies que são prejudiciais, especialmente em áreas tropicais e desérticas.

Como explicam os profissionais do VCA Hospitals, dois grupos se destacam entre as espécies de aranhas mais perigosas para os cães: as aranhas-pretas (Latrodectus spp.), um grupo que inclui a viúva-negra e as aranhas-marrons ( Loxosceles spp.). Vejamos algumas delas:

  • Loxosceles reclusa: é uma das aranhas mais perigosas que existem porque o seu veneno causa necrose nos tecidos da pele onde ocorre a picada.
  • Latrodectus mactans: é a mais comum das aranhas-pretas. A fêmea é muito maior e venenosa do que os machos e sua mordida pode ser fatal.

As características próprias do cão, a quantidade de toxina injetada, bem como o local da mordida e o tempo decorrido entre a mordida e a ação do veterinário determinarão a gravidade das consequências dessas mordidas. De qualquer modo, em caso de dúvida, o ideal é ir ao veterinário.

Uma aranha do gênero Loxosceles.

Como evitar o contato do cão com as aranhas?

Se você quer evitar que o cão tenha contato com esses aracnídeos, o ideal é não permitir que as aranhas formem suas teias. Portanto, manter a casa e todos os arredores organizados e limpos é essencial. Isso significa não esquecer aquelas áreas da casa onde acumulamos mais “lixo” , que são os lugares preferidos das aranhas: garagens e galpões.

Armazenar materiais de construção, como tábuas, na vertical e em uma superfície acima do solo em pelo menos 20 centímetros também ajudará. Em qualquer caso, é sempre melhor isolar esse espaço de armazenamento para que os cães não tenham acesso a ele.

Por outro lado, sempre que possível, convém observar o cão. Se ele vir uma aranha se movendo, pode ficar olhando para ela por curiosidade. Se nesse momento o tutor perceber a situação, deve imediatamente afastar o cão da aranha.

Outras considerações

Além do exposto anteriormente, existem outras considerações importantes sobre as picadas de aranha em cães. Destacamos as seguintes:

  • Recomenda-se que o tutor do animal de estimação sempre se informe sobre os tipos de aranhas que habitam a área em que reside.
  • Se os cães têm livre acesso a lugares onde habitualmente habitam aranhas , como garagens, galpões e espaços com entulho, é mais provável que ele receba uma picada. Esses acessos devem ser limitados.
  • Nenhum cão está isento de levar uma picada de aranha: não importa sua raça, idade ou sexo.
  • Se uma aranha for detectada no corpo do animal, ela nunca deve ser esmagada. Você tem que agitá-la, mas não diretamente com a mão.
  • Uma aranha pode picar o cão em qualquer parte do corpo, mas as áreas sem pelos são mais sensíveis à picada.
  • Se for possível capturar a aranha que picou o cachorro sem se colocar em risco, o aracnídeo deve ser levado ao veterinário para facilitar ainda mais o diagnóstico.

 

Como lidar com uma picada de aranha em cães

Na maioria das vezes, uma picada de aranha em cães é uma experiência desagradável para o cão e um pequeno susto para o tutor. No entanto, se você mora em uma região onde espécies letais estão presentes, não pense duas vezes antes de levar seu cão ao veterinário após um acidente desse tipo.

Pode interessar a você...
Alergias a picadas de abelha em cães: o que fazer?
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Alergias a picadas de abelha em cães: o que fazer?

As alergias às picadas de abelha em cães apresentam lesões que variam desde reações locais e leves até risco de vida. Saiba mais.