Picada de formiga em cães

Um número considerável de espécies de formigas conta com um ferrão venenoso. Com isso, elas podem picar pessoas ou seus animais de estimação.
Picada de formiga em cães

Última atualização: 27 julho, 2022

As formigas (família Formicidae) são parentes próximas de outros insetos famosos por seu ferrão venenoso: abelhas e vespas. Junto com elas, eles formam a ordem dos himenópteros. Como tal, não é surpreendente que algumas espécies de formicídeos sejam venenosas, embora a picada de formiga em cães geralmente não seja clinicamente significativa.

Devido à divergência evolutiva de outros himenópteros, a grande maioria das formigas é inofensiva. Por esse motivo, em quase todos os casos, a picada de uma formiga venenosa não tem importância médica em cães, gatos, humanos ou outros animais. No entanto, existem algumas espécies com as quais é necessário ter mais cuidado.

Neste espaço, vamos falar sobre o veneno das formigas, os sintomas mais comuns e como agir no caso de mordidas em cães. Nós convidamos você a continuar lendo para saber mais.

O veneno nas formigas

As formigas são uma família de insetos incrivelmente diversa e grande, visto que respondem por até 25% da biomassa animal da Terra. Elas se especializaram em estratégias de vida muito diferentes. Como consequência, o veneno desses animais e a maneira como o usam também variam enormemente entre os táxons.

Em algumas formigas, as toxinas são usadas para subjugar as presas. Em outras, para defender a colônia de predadores ou competidores. Além disso, podem funcionar como herbicidas ou antimicrobianos e intervir na comunicação da colônia.

Estima-se que cerca de 71% das formigas são capazes de picar, pois algumas espécies perderam essa capacidade. Nem todas elas injetam seu veneno através de um ferrão e algumas são capazes de expeli-lo sob pressão para borrifar em suas vítimas.

Apesar disso, as formigas produzem quantidades muito pequenas de veneno, de 1 a 300 microgramas por indivíduo. Portanto, a simples picada de uma formiga não costuma representar nenhum perigo. No entanto, quando dezenas ou centenas de trabalhadoras mordem a mesma vítima, os efeitos podem ser mais prejudiciais.

Contudo, a maioria das picadas de formiga não é clinicamente significativa, a menos que ocorra uma reação alérgica ou choque anafilático. Alguns tipos de formigas cujo ferrão é mais prejudicial são os seguintes:

  • Solenopsis (formigas-lava-pés): esse gênero inclui mais de 280 espécies espalhadas por todo o mundo. Elas são muito pequenas, mas contam com ferrões capazes de causar picadas. Sua força não se encontra no espécime em si, mas na solidez da colônia.
  • Pachycondyla: gênero de formigas que agrupa mais de 300 espécies. Geralmente, são espécies grandes, com colônias pequenas e muito agressivas.
  • Myrmecia: 90 grandes espécies, todas endêmicas da Austrália. Estão consideradas entre as mais perigosas, pois o risco de choque anafilático após uma picada sua é muito maior do que em outras espécies. Alguns humanos morreram por causa de sua mordida.
  • Paraponera: esse gênero inclui apenas 2 espécies e a mais famosa é a Paraponera clavata. A picada dessa formiga é considerada a mais dolorosa do mundo e excede em muito a de qualquer outro himenóptero.
As formigas do gênero Myrmecia têm uma picada que pode ser muito perigosa.

Sintomas da picada de formiga em cães

Os cães são naturalmente curiosos, o que pode levar a riscos desnecessários ao interagir com outros animais. Quanto às formigas, elas podem picá-los quando eles estiverem cavando seus formigueiros, farejando-as, pisando nelas, tentando comê-las ou praticando atos semelhantes.

Portanto, os cães são mais vulneráveis a picadas de formiga nas patas, que ficam mais expostas e em contato com o solo, no focinho e em outras partes do rosto. Nessas áreas, o veneno pode ser mais perigoso.

Na maioria dos casos, a picada de formiga produz sintomas leves em cães, embora isso dependa do número de mordidas e da sensibilidade do animal ao veneno. Alguns dos sintomas mais comuns são os seguintes:

  • Irritação da área.
  • Inflamação leve.
  • Vermelhidão entre os dedos ou em outras áreas que receberem as toxinas.
  • Claudicação repentina, aversão a apoiar a pata ou sacudi-la.
  • Tentativas de morder ou lamber o local da picada.

Normalmente, nenhum sintoma mais significativo se desenvolve e os efeitos do veneno passam sem maiores complicações. No entanto, sempre existem certos riscos associados às toxinas, especialmente se ocorrerem reações alérgicas ou um número muito alto de inoculações em um curto período de tempo.

Casos mais graves

A reação anafilática é sempre uma possibilidade, embora remota, quando se trata de toxinas. O choque anafilático é caracterizado por uma liberação prévia de histamina e outros compostos que, entre outras coisas, causam inflamação do tecido e constrição das vias aéreas. Nesses infelizes casos, o cão pode desenvolver os seguintes sintomas:

  • Vômito ou diarreia.
  • Urticária e inflamação.
  • Fraqueza.
  • Dificuldade respiratória. O animal pode respirar de maneira entrecortada e mais rápido do que o normal, mais de 30 respirações por minuto.
  • Gengivas pálidas ou roxas (cianose).
  • Dor intensa.
  • Colapso e possível morte.

As reações excessivas são especialmente problemáticas quando ocorrem no focinho do animal. Nessas condições, a inflamação pode dificultar a respiração ou, em casos extremos, obstruir as vias respiratórias.

Como tratar uma picada de formiga em cães

Se houver suspeita de que o animal foi mordido por um desses himenópteros, a primeira coisa a fazer é retirá-lo de perto do formigueiro. Em seguida, a superfície corporal deve ser examinada em busca de formigas, marcas e sintomas de picadas.

Reações leves a uma picada de formiga nem sempre precisam de tratamento veterinário. Não causam desconforto grave e também diminuem naturalmente em um curto período de tempo.

Nessas ocasiões, pode-se fazer uma aplicação de compressa fria por 5 a 10 minutos na área afetada, para aliviar a sensação incômoda. Para esse propósito, também pode ser usada uma pomada de bicarbonato de sódio e água. O animal deve ser impedido de lamber a área para não infeccionar. O conhecido cone ou colar elizabetano é uma ferramenta muito útil nesses casos.

A observação atenta do cão deve ser mantida até que se tenha completa certeza de que os sintomas não estão piorando. Se for detectada uma piora progressiva do estado do animal, é melhor entrar em contato com um veterinário rapidamente.

Esse profissional é o mais qualificado para determinar se o cão está sofrendo uma reação alérgica. Da mesma forma, é o mais indicado para escolher o tipo de tratamento mais recomendado. Se necessário, o veterinário pode administrar anti-histamínicos, anti-inflamatórios, antibióticos ou outros medicamentos de emergência.

 

Um cachorro no veterinário.

As toxinas das formigas costumam ser relativamente benignas, mas, como sempre, pode haver exceções. É importante ressaltar que, em qualquer situação que possa ameaçar a saúde do animal de estimação, é imprescindível consultar o veterinário antes de qualquer outra alternativa.

Pode interessar a você...
Como tratar picadas em cães?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Como tratar picadas em cães?

O calor e o bom tempo atraem insetos, os quais chamam a atenção dos cães. Pensando nisso, hoje vamos falar sobre como tratar picadas em cães.