Por que não se deve ter animais selvagens como animais de estimação?

Manter animais selvagens como animais de estimação é ilegal. Eles podem representar um risco para o ser humano e, da nossa parte, podemos causar-lhes danos irreparáveis.
Por que não se deve ter animais selvagens como animais de estimação?

Última atualização: 11 Junho, 2021

Manter animais selvagens como animais de estimação é cruel e também ilegal. Muitas espécies são bonitas e suas características chamam a atenção das pessoas. Portanto, hoje em dia existem milhares de espécies entre aves, mamíferos, peixes e répteis que vivem distantes de seu habitat natural, com o único propósito de satisfazer os caprichos dos humanos.

O ponto mais complexo de ter esse tipo de animal como bichinho de estimação é que o tutor nunca poderá oferecer o que o animal teria à sua disposição em liberdade. Devido à nossa natureza, nunca poderemos ensiná-los a caçar, e muito menos dar a eles os alimentos de que precisam para o seu adequado desenvolvimento. Em outras palavras, estaríamos matando-os aos poucos em vida.

Quais são os animais selvagens?

Os animais selvagens são aqueles que em nenhuma circunstância podem ser domesticados. Eles vivem em seu habitat natural e retirá-los desse local pode expor esses animais à morte, assim como seus tutores. Embora algumas espécies possam entrar em contato com os humanos, seu comportamento é natural, portanto, em uma situação ameaçadora, são capazes de agir com base em seu instinto.

Entre os animais selvagens que foram introduzidos em muitas casas, encontramos cobras, papagaios, iguanas, tartarugas e lontras. Até tigres e diferentes espécies de primatas já foram mantidos em cativeiro, com resultados quase sempre desastrosos – a menos que sejam mantidos em uma reserva natural.

 

As cobras são capazes de ouvir?

Razões pelas quais não se deve ter animais selvagens como animais de estimação

A seguir, vamos explicar passo a passo por que os animais selvagens não podem ser mantidos como animais de estimação. Confira!

Eles não esquecem sua natureza agressiva

Como já mencionamos, os animais selvagens nunca esquecem seu instinto e natureza. Se uma pessoa ‘adota’ ou compra um animal selvagem quando bebê, pode pensar que nos anos seguintes ele jamais será agressivo, já que não teve contato com os pais em seu habitat natural.

No entanto, em uma situação ameaçadora, o animal vai reagir instintivamente e pode se comportar de forma agressiva. De fato, houve muitos casos documentados de ataques de primatas a membros de suas ‘famílias’ humanas. Lembre-se de que, embora o ambiente desempenhe um papel fundamental no desenvolvimento, o código genético não é esquecido.

O exemplo mais famoso disso foi o caso de Charla Nash, que ficou gravemente ferida pelo furioso ataque do chimpanzé de sua amiga. O animal tinha apenas 3 dias de vida quando foi comprado de um criadouro de chimpanzés e, após morar com sua família por 14 anos, perdeu o controle em eventos confusos, causando o brutal acontecimento.

Eles podem transmitir doenças

Os animais selvagens vivem em condições naturais, por assim dizer, expostos a inúmeras bactérias e doenças desconhecidas pelos seres humanos. De fato, o tráfico de espécies ameaçadas de extinção passou a ser considerado crime em 1973. Essa lei foi criada porque ficou comprovado que esses animais podem transmitir certas doenças e causar graves consequências.

De fato, conforme relatado neste informe da Organização Mundial da Saúde (OMS), vários eventos pandêmicos foram causados pelo contato próximo entre animais selvagens e humanos.

Financia o contrabando de espécies em risco

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, o tráfico ilegal de animais selvagens representa um perigo real para a diversidade e os ecossistemas. Além disso, o documento revela que na Ásia há mais tigres em cativeiro do que em seu habitat natural, algo totalmente inaceitável em uma sociedade que luta pela preservação dos seres vivos.

O maior risco de captura de animais silvestres são as condições precárias em que os caçadores ilegais caçam. No caso dos primatas, muitos bebês são arrancados de suas mães, que morrem defendendo seus filhotes. A compra de animais selvagens ajuda a manter essas práticas.

Eles perdem a oportunidade de crescer em seu habitat

Ao comprar um animal selvagem e criá-lo fora de seu ambiente natural, você está tirando do animal a oportunidade de crescer com seus pais e aprender comportamentos específicos da sua espécie. Por mais se que queira igualar as condições, para nós, humanos, é impossível ensiná-los a caçar, a se comportar em manada e a se desenvolver plenamente.

Eles não podem ser domesticados

A domesticação de uma espécie pode levar séculos. Cães e gatos domésticos já foram selvagens um dia e ainda podemos observar comportamentos completamente selvagens em cães e gatos que vivem na rua. Isso ocorre porque seu instinto prevalece sobre seu doutrinamento. Novamente, é importante destacar que o genoma não pode ser esquecido.

Eles podem morrer

Podem ocorrer dois fenômenos mortais com os animais selvagens. O primeiro ocorre quando a espécie é retirada de seu habitat, já que a introdução repentina de um ser vivo especializado em um nicho em um ambiente que não é o seu pode ser mortal.

No entanto, muitas pessoas – como também ocorre com cães e gatos – abandonam os animais depois de perceber que seus cuidados excedem sua capacidade de diferentes maneiras. Fazer isso com um animal selvagem é ainda pior em termos ecossistêmicos: no mínimo ele vai perecer, mas também pode se tornar uma praga, desde que haja outro espécime de sua espécie à solta.

Por isso, quando um animal é apreendido convivendo ilegalmente com humanos, ele deve passar por um processo de reabilitação. Muitas vezes as intervenções não dão frutos e o ser vivo nunca consegue retornar ao seu ambiente natural.

É ilegal

Mais uma vez, manter animais selvagens e ameaçados de extinção como animais de estimação é ilegal. Não somos nós que estamos dizendo isso, pois assim foi determinado em 1973 na Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestres Ameaçadas de Extinção (CITES).

Atualmente, existem licenças especiais para a reprodução de certas espécies exóticas. Portanto, se você gostaria de ter uma delas, deve respeitar as leis, garantindo que o animal receba suas vacinas e não represente qualquer risco para a sociedade.

Mesmo assim, os altos custos e procedimentos ou a dificuldade de comprar espécies definitivamente não permitidas levam muitas pessoas a recorrer a redes ilegais.

Como evitar que animais selvagens se tornem animais de estimação?

Para os verdadeiros amantes dos animais, ter um animal selvagem como animal de estimação não é uma possibilidade. Se você tiver ciência de alguma negligência a esse respeito, saiba que denunciar às autoridades é muito importante. Identifique as instituições em seu país que são responsáveis por receber esse tipo de denúncia e não tenha medo de revelar o culpado.

Você também pode aumentar a conscientização em seu círculo social, explicando para sua família, amigos e colegas os riscos de ter um animal selvagem como animal de estimação. Tudo começa na base, portanto, ajudar a aumentar a conscientização é sempre o primeiro passo para a mudança.

 

O jagleão é outro dos animais híbridos.

Os animais selvagens não são animais de estimação

Se você realmente ama os animais, a melhor maneira de demonstrar isso é admirando-os em seu habitat natural e em liberdade. A vida em cativeiro deixa sérias consequências para os animais selvagens. Além das consequências já descritas, muitos podem apresentar episódios de depressão e ansiedade, portanto abrigá-los em ambiente doméstico nunca é uma opção.

Pode interessar a você...
5 animais selvagens que você nunca viu
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
5 animais selvagens que você nunca viu

As espécies animais que existem são quase incontáveis. Portanto, hoje queremos falar sobre animais selvagens que você nunca viu. Ficou curioso?



  • La OMS pide más estudios y datos sobre el origen del SARS-CoV-2 y reitera que todas las hipótesis siguen abiertas. OMS. 2021.
  • ¿Qué estamos haciendo para poner fin al tráfico ilegal de vida silvestre? ONU. 2020.
  • Bertonatti, Claudio & Aprile, Gustavo. (1996). Manual sobre Rehabilitación de Fauna.