Possíveis lesões na cauda em cães

As diferenças anatômicas na cauda dos cães fazem com que algumas raças fiquem mais suscetíveis a apresentarem problemas diversos. Por menor que seja a lesão, a manifestação de dor pode ser muito intensa.
Possíveis lesões na cauda em cães

Última atualização: 19 Novembro, 2021

A maioria dos cães se caracteriza por ter muita energia e adorar jogos e brincadeiras. Infelizmente, quando realizam essas atividades, ficam expostos a acidentes. As lesões na cauda dos cães representam uma das situações mais frequentes e dolorosas que um animal dessa espécie pode sofrer.

Todos sabemos que o humor dos cães pode ser identificado apenas pela observação de sua postura corporal e alguns movimentos que realizam. Sua cauda é parte essencial desse tipo de comunicação e, quando ocorre alguma anomalia, essa e outras funções podem ser prejudicadas. Convidamos você a continuar lendo e aprender mais sobre esse tipo de lesão.

Lesões na cauda dos cães

A cauda dos cães é composta por músculos, nervos e até 20 ossos presos ao ânus. É considerada uma extensão da coluna vertebral e, como tal, realiza tarefas muito importantes. Dada sua localização e seu movimento constante, o nível de exposição a traumas e lesões pode ser muito elevado nessa estrutura.

Além de ser um indicador do humor, a cauda do cão também atua como uma excelente ferramenta que proporciona equilíbrio ao caminhar, correr, pular e nadar. As lesões nessa estrutura irão depender (entre muitos fatores) da raça e da forma anatômica que caracteriza cada espécime. Vejamos alguns exemplos.

Síndrome da cauda fria ou partida

Como o próprio nome indica, os cães afetados por essa síndrome são aqueles expostos a condições climáticas extremas. Nesses casos, baixas temperaturas e umidade alteram a composição estrutural dos tecidos. No entanto, não são as únicas situações que podem desencadear esse tipo de lesão na cauda em cães.

Os canídeos submetidos a exercícios intensos sem treinamento prévio ou sem pausas apropriadas são propensos a apresentar cauda fria. A superlotação, os banhos e o nado em águas frias também podem promover o aparecimento dessa condição. Raças caçadoras e esportivas como pointer, setter, beagle, golden retriever e labrador retriever são as mais afetadas.

Sintomas e tratamento da cola fria

O diagnóstico desse tipo de lesão na cauda em cães é frequentemente confundido com uma fratura, mas na realidade o quadro se parece mais com uma entorse (devido aos danos musculares que causa). O sintoma mais óbvio dessa patologia é a cauda flácida, rígida na base e imóvel na seção restante.

A cauda do seu animal vai parecer como se estivesse realmente fraturada, mas a realidade é diferente. Além disso, a manifestação de dor tende a ser constante e muito intensa. Evite fazer movimentos bruscos que podem aumentar o desconforto e considere levar seu amigo peludo à clínica veterinária para uma avaliação detalhada.

Para o tratamento, o ideal é realizar os três pontos seguintes:

  1. Repouso estrito.
  2. Administração de analgésicos e anti-inflamatórios.
  3. Aplicação de compressas quentes na base da cauda.

Sangramento da cauda

Esses tipos de lesões na cauda dos cães podem começar como um pequeno ferimento e acabar sendo um grande problema. Infecções secundárias e desconfortos têm a capacidade de diminuir severamente o ânimo, o apetite e a qualidade de vida do animal em geral.

Cães de raças grandes (que possuem caudas grossas e longas) costumam ter dificuldade para realizar os movimentos normais dessa estrutura. Por isso, não seria estranho se, ao caminhar, eles batam a cauda em alguns objetos, causando feridas e úlceras hemorrágicas.

Todas as feridas passam por um processo de cicatrização no qual quase sempre há prurido (coceira). Para evitar que seu animal de estimação piore o estado da ferida ao tentar se lamber, o uso de colares elizabetanos terá um excelente resultado.

Para obter um prognóstico favorável nesses tipos de lesões, o atendimento médico precoce será a resposta. Desde a realização de técnicas de limpeza e desinfecção da área afetada até a colocação de um curativo adequado (se necessário), o veterinário será responsável por tudo isso.

Fraturas

A fratura da cauda é considerada a lesão mais comum em cães. Os principais motivos pelos quais essa situação ocorre são muito diversos:

  • Acidentes.
  • Pisadas.
  • Se a cauda ficar presa em portas ou embaixo de objetos pesados.
  • Movimentos de chicotadas da cauda contra superfícies duras.

Todas as lesões na cauda dos cães trazem consigo muito desconforto. No entanto, a fratura da cauda é considerada uma das situações físicas mais urgentes, uma vez que a dor é muito intensa. Consequentemente, as atividades fisiológicas básicas, como urinar e defecar, tornam-se tarefas difíceis para o cão afetado.

Áreas de lesão na cauda dos cães

A cauda dos cães pode se fraturar em qualquer segmento. O inchaço da área dependerá da altura em que ocorre a lesão. Normalmente, a recuperação tende a ser retardada quando a fratura se localiza próximo à base, pois o peso do resto da cauda recai nesse local.

Com menos frequência, a ponta da cauda também é candidata a fraturas. A dor produzida por essa lesão fará com que seu animal de estimação tente morder essa área. Para evitar isso, limite os movimentos de sua cabeça com o uso do colar elizabetano.

Raças mais propensas a fraturas

Todas as raças de cães correm o risco de fraturas na cauda. Apesar disso, os cães com maior probabilidade de sofrer este tipo de lesão em decorrência de suas características morfológicas são os seguintes:

  • Golgo inglês.
  • Springer spaniel.
  • Lurcher.
  • Whippet.
  • Cocker spaniel.

O que devo fazer se meu cachorro quebrar a cauda?

A primeira coisa que você precisa fazer é afastar seu animal de qualquer lugar arriscado onde ele possa continuar a se machucar. Posteriormente, e com muito cuidado, tente verificar sua cauda para observar quaisquer anormalidades físicas. Em caso de lesão exposta, tente limpar a área afetada e leve-o rapidamente a um especialista.

Para classificar as fraturas entre outras lesões na cauda dos cães, vários exames diagnósticos podem ser usados. Quer seja uma radiografia ou uma tomografia computadorizada, o objetivo será sempre o mesmo: encontrar o local da lesão e o tipo de fratura presente no animal.

Em muitas ocasiões, as fraturas da cauda não precisam de tratamentos específicos. Contudo, é aconselhável administrar analgésicos e anti-inflamatórios para diminuir o nível de estresse do paciente. A cauda tem a capacidade de se curar sozinha (naturalmente), desde que a condição não seja grave.

Amputação da cauda do cão

A amputação de cauda e das orelhas em cães para fins estéticos é um assunto de grande controvérsia na sociedade. Embora neste artigo tenhamos mencionado algumas das funções que a cauda desempenha no funcionamento e no equilíbrio do corpo do seu animal de estimação, ainda existem certos locais onde (ilegalmente) esse tipo de prática continua a ser realizado.

Quando uma das lesões na cauda do cão coloca sua vida em risco, a única pessoa com poderes para tomar a decisão de amputá-la é o veterinário. Apenas em raras ocasiões se decide por essa solução, sempre seguindo um protocolo anestésico e cirúrgico preestabelecido.

Um cão com cauda danificada por excesso de seborréia.

Agora que você já conferiu todo o artigo, agora tem as ferramentas necessárias para agir apropriadamente ao notar um sinal anormal na cauda do seu animal. Embora a maioria dos quadros tenha um prognóstico favorável, depende de você que a recuperação seja rápida.

Pode interessar a você...
Cauda equina em cães: causas e tratamentos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Cauda equina em cães: causas e tratamentos

Cauda equina em cães é uma doença degenerativa da articulação lombossacra. Causa muita dor e problemas de mobilidade. Saiba mais aqui!