4 vantagens da alimentação mista para o seu animal de estimação

Pouco conhecida, a dieta mista é uma alternativa muito útil para garantir os nutrientes ideais para seus animais de estimação. Aprenda mais sobre ela aqui.

Última atualização: 20 Julho, 2021

Com o passar do tempo, a forma de alimentar os animais de estimação muda. Por exemplo, a comida humana antes era considerada a melhor opção para garantir uma nutrição ideal. Posteriormente, a comida para cães passou a ocupar o primeiro lugar, devido à sua capacidade de manter as propriedades nutricionais dos animais de estimação. No entanto, poucos tutores conhecem os benefícios da alimentação mista.

Essa mistura permite que caninos e felinos recebam vários benefícios para seu corpo e, por sua vez, os deixa mais livres durante a alimentação. A textura dos elementos que compõem a alimentação ou dieta mista oferece ao animal uma forma diferenciada de se alimentar, mas sem se descuidar de sua condição física ou de suas necessidades nutricionais básicas.

O que é a alimentação mista?

A dieta mista se baseia na mistura de 2 elementos que garantem uma alimentação equilibrada aos animais de estimação. A primeira é a já mencionada ração, que oferece uma alta concentração calórica e nutricional, além de gerar um impacto positivo na saúde bucal do gato ou do cão.

A segunda é a ração úmida para cães, que oferece o único aspecto que a ração comum não tem: alto teor de água. Por outro lado, costuma ser uma alternativa muito mais apetitosa para animais de estimação, já que suas apresentações são em sabores e aromas diversos. No entanto, seu defeito é não fornecer calorias no mesmo nível da ração.

Para neutralizar os aspectos negativos de cada opção, recomenda-se uma quantidade balanceada entre ração comum e ração úmida. Dessa forma, as necessidades nutricionais diárias dos animais de estimação são atendidas e oferecemos a ele um alimento muito mais saboroso. Porém, é importante não exceder as quantidades e calorias que o animal necessita para evitar a obesidade.

 

Benefícios da alimentação mista

Como mencionado acima, a ração seca oferece vários benefícios para cães e gatos, mas também para os tutores, por ser mais barata. Além disso, é um alimento que leva muito mais tempo para perder a validade do que outras variedades mais “orgânicas”.

De qualquer forma, algumas rações comerciais reduzem os custos com compostos que não são ideais para a dieta do animal, como indicam alguns estudos. Portanto, é necessário complementá-los com alimentos úmidos. Aqui estão alguns benefícios de uma dieta mista.

1. Reduza a ingestão de carboidratos

A dieta mista é altamente recomendada para animais de estimação com diabetes, pois a ração úmida oferece menor concentração de carboidratos. Conforme indicado pela fonte citada anteriormente, algumas rações para gatos possuem 40% de carboidratos em sua composição, quando sua real necessidade é de 1 a 2%. A dieta mista fornecerá ao felino menos carboidratos e mais proteína.

No caso dos gatos, as partículas da ração seca permitem que eles comam pequenas quantidades e fiquem saciados mais rápido, o que pode prevenir a obesidade. De qualquer forma, a interação desse alimento com a saúde do felino continua a ser estudada. Portanto, a dieta mista ajudará a “neutralizar” qualquer desequilíbrio que qualquer uma das modalidades alimentares por si só possa apresentar.

2. Dentes fortes e saudáveis

A limpeza dos dentes do cão ou gato não é apenas uma tarefa de higiene e consultas constantes no veterinário. Também é importante controlar a alimentação, pois permite melhorar ou piorar a saúde bucal do animal. O tártaro e a placa bacteriana serão ligeiramente reduzidos com a implementação de uma dieta mista, pois a ação de mastigar a ração melhora a capacidade de eliminar a placa bacteriana.

Alguns petiscos e guloseimas são feitos para mordiscar. Isso também evita a formação de placas.

3. Favorece a ingestão de alimentos

Como a ração úmida oferece diferentes sabores e texturas, sua mistura com a ração seca permite umedecer e facilitar o consumo do animal. Cada porção será mais apetitosa e, no caso de cães idosos, a dieta mista facilita a mastigação e ingestão de alimentos.

4. Aumenta a hidratação dos animais de estimação

Como mencionado, a comida úmida para cães e gatos traz consigo um alto nível de água. O próprio nome indica isso porque, para ser vendida como tal, a ração úmida deve ter um nível de umidade de 60% ou mais.

Portanto, é uma alternativa perfeita para garantir a hidratação contínua nos animais de estimação. Esse fato é benéfico para a saúde do trato urinário, pois aumenta a diluição da urina e reduz o risco de cristais ou cálculos no trato urinário do gato ou do cão. Também é útil evitar a desidratação e outras condições associadas.

 

Um alimento seco e um alimento úmido no fundo branco.

O segredo: uma dieta balanceada

Como você pôde ver, a dieta mista oferece várias vantagens para seus animais de estimação. A hidratação, a saúde bucal e o sistema urinário do seu cão ou gato se beneficiarão com a mistura correta de ração seca e úmida.

Porém, é importante escolher ambos os produtos da mesma marca e não abusar das quantidades de cada um, para não prejudicar o peso do canino ou felino. Se você tiver alguma dúvida sobre a manutenção da dieta de seu animal de estimação, consulte um veterinário.

Pode interessar a você...
Diferenças na alimentação de cães e gatos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Diferenças na alimentação de cães e gatos

A seguir, convidamos você a conhecer as principais diferenças na alimentação de cães e gatos para oferecer uma nutrição ideal aos seus animais de e...



  • Cardenas Groenow, N. I., & Cedeño Poma, C. L. (2020). Influencia de la alimentación basada en 3 dietas en la salud gingival-periodontal en perros (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil-Facultad de Medicina Veterinaria y Zootecnia). Recogido el 23 de junio de 2021 de: http://repositorio.ug.edu.ec/bitstream/redug/49133/1/C%c3%a1rdenas%20Nelly%2c%20Cede%c3%b1o%20Cinthyadocx.pdf
  • Lawler, D. F., Larson, B. T., Ballam, J. M., Smith, G. K., Biery, D. N., Evans, R. H., … & Kealy, R. D. (2008). Diet restriction and ageing in the dog: major observations over two decades. British Journal of Nutrition, 99(4), 793-805.
  • Kim, S. P., Ellmerer, M., Van Citters, G. W., & Bergman, R. N. (2003). Primacy of hepatic insulin resistance in the development of the metabolic syndrome induced by an isocaloric moderate-fat diet in the dog. Diabetes, 52(10), 2453-2460.
  • Arendt, M., Cairns, K. M., Ballard, J. W. O., Savolainen, P., & Axelsson, E. (2016). Diet adaptation in dog reflects spread of prehistoric agriculture. Heredity, 117(5), 301-306.
  • Arendt, M., Fall, T., Lindblad‐Toh, K., & Axelsson, E. (2014). Amylase activity is associated with AMY 2B copy numbers in dog: Implications for dog domestication, diet and diabetes. Animal genetics, 45(5), 716-722.