Riscos da ingestão de água da piscina

· janeiro 1, 2019

O cloro, o produto químico comumente usado na água da piscina, pode causar problemas de estômago, boca, pulmão ou olhos. Saiba mais sobre o perigo de beber água clorada.

No verão, há poucas experiências tão agradáveis ​​quanto aproveitar um bom dia na piscina.

Não só nós, mas também nossos animais de estimação, muitas vezes, apreciam a oportunidade de se refrescar quando o calor aumenta.

No entanto, em um dia de banho, é importante estar sempre atento aos riscos de ingestão de água nas piscinas. Assim como as pessoas, cães e gatos têm uma propensão a engolir água.

O que é o cloro e quais são seus riscos à saúde?

Se a água da piscina fosse totalmente pura e potável, seu consumo não representaria nenhum risco para a nossa saúde.

Entretanto, o problema se origina quando esta água contém substâncias químicas (principalmente cloro) que, quando ingeridas, podem danificar nosso organismo.

Portanto, para entender os riscos de engolir a água da piscina, devemos entender o que é o cloro e quais são seus efeitos sobre o corpo.

De início, podemos dizer que o cloro é um elemento químico cujos subprodutos têm muitos usos em nossa sociedade.

Diferentes produtos de limpeza

Atualmente, o cloro é vendido em diferentes versões ou formatos, como comprimidos, gás ou líquido. Geralmente, este produto é utilizado para prevenir a proliferação de bactérias, fungos, vírus e parasitas.

Assim, como piscinas públicas são frequentemente usadas por várias pessoas, o cloro age como um poderoso antisséptico.

Além disso, ainda é comum ver produtos de limpeza à base de cloro usados ​​como água sanitária e desinfetante. Nas roupas e nas superfícies da casa, o cloro está presente na rotina de higiene.

Cachorro tomando banho de piscina com bola

Embora se trate de um produto comum e cotidiano, o cloro pode ser muito perigoso se usado incorretamente.

Quando esta substância é usada como antisséptico em piscinas, é essencial diluí-la em água. 

Dessa forma, o consumo de cloro puro pode ser considerado um veneno para o organismo de humanos e vários animais.

Perigos e riscos de engolir água na piscina

Primeiro, devemos mencionar que beber água da piscina pode intoxicar o corpo de crianças, adultos e animais de estimação.

Entre os sintomas mais comuns de envenenamento por cloro, encontramos:

  • Náusea e vômito
  • Episódios contínuos de diarreia
  • Dor de estômago
  • Úlceras na língua e boca

Quando uma piscina tem altos níveis de cloro, apenas o contato com a água causa reações de hipersensibilidade no corpo.

O excesso desses produtos químicos pode causar irritação nos olhos e nas membranas mucosas. Além disso, os danos aos dentes e inflamações da pele resultantes da exposição ao cloro são relativamente comuns.

Se a epiderme é afetada pelo cloro, o organismo fica mais exposto a inúmeros patógenos e alérgenos.

Portanto, pessoas e animais com pele rachada ou com feridas são mais vulneráveis ​​ao desenvolvimento de infecções secundárias.

Cachorro em boia tomando banho de piscina

No caso de um animal ter ingerido muita água na piscina, ele pode experimentar longos períodos de tosse e dificuldade para respirar normalmente.

Também deve ser lembrado que, em casos mais graves, a ingestão excessiva de líquidos pode levar ao edema pulmonar.

Cryptosporidium: o cloro não mata ou inibe

Embora o cloro tenha uma poderosa ação antisséptica, a verdade é que ele não é capaz de eliminar todos os microrganismos e patógenos da água.

Isso vale sobretudo para ambientes públicos que são frequentados por um grande número de pessoas diariamente.

Entre os microrganismos que o cloro não consegue inibir, encontramos o cryptosporidium. Esse parasita é capaz de causar episódios de diarreia, vômitos e cólicas estomacais por mais de 21 dias.

E sua principal forma de contágio é o contato direto com as fezes contaminadas, seja através de água, comida ou outros indivíduos.

Na Espanha, somente no ano de 2015, mais de 500 casos de contaminação foram registrados. A situação é alarmante, uma vez que as autoridades de saúde confirmaram que as contaminações devidas ao consumo de água contaminada duplicaram.

Tudo isto reafirma a necessidade de evitar os riscos de engolir água na piscina e espaços públicos recreativos.

Além disso, é importante adotar medidas preventivas, como lavar as mãos, beber apenas água potável e consultar regularmente o veterinário.