O rottweiler se comporta bem com as crianças?

Os rottweilers foram uma das primeiras raças de cães a trabalhar nas forças policiais e militares. Muitas vezes as pessoas se perguntam se eles são adequados para um ambiente familiar. Considerando que eles têm o potencial de ser tão enérgicos e intimidadores, será que interagem bem com as crianças?

Última atualização: 28 Janeiro, 2021

No caso de adquirir um rottweiler, como acontece com qualquer animal de estimação poderoso, é importante fazer sua lição de casa e levar um animal seguro para sua casa.

Historicamente, esses animais foram criados como cães de serviço (cães policiais e de trabalho) pois são animais inteligentes e leais. Essas qualidades fazem do rottweiler um ótimo cão de família.

É importante destacar, no entanto, a necessidade de um treinamento adequado. Dada a sensibilidade e a força dessa raça, o descuido no treinamento pode impedi-los de serem adequados para uma casa com crianças e outros animais.

Existe evidência objetiva sobre o perigo potencial representado pela raça rottweiler?

A mordida canina é um dos riscos mais relevantes na interação entre o homem e o cão. Atualmente, e devido a uma série de eventos com desfecho fatal nos últimos anos, elas se tornaram um assunto altamente atual. Esse tópico requer um estudo cuidadoso para que seja objetivamente analisado:

  • A incidência desse problema na população.
  • Os fatores de risco envolvidos.
  • Os passos preliminares essenciais para poder realizar um autêntico trabalho de prevenção que reduza esses acidentes.

Na opinião de especialistas, a nível global, há uma subnotificação da ocorrência de ataques caninos. Aparentemente, foi detectado um viés que deve ser principalmente relatado: incidentes em que estão envolvidos cães de raças consideradas mais perigosas.

Principais razões para a subnotificação de incidentes de mordidas

De acordo com publicações especializadas, entre as possíveis causas do relato incompleto de incidentes estão:

  • Falta de notificação médica.
  • O não encaminhamento dos relatórios de observação pelo veterinário.
  • As notificações só serem feitas em caso de mordida por algumas raças de cães.
  • As notificações só serem feitas se o animal não tiver sido vacinado contra a raiva.
  • A vítima se recusar a ser tratada.
  • Privação de fatores culturais e psicológicos.

Um cão pertencente a qualquer raça pode apresentar comportamento agressivo e, portanto, morder uma pessoa

Existe realmente uma associação entre a raça rottweiler e a incidência de mordidas?

A raça do cão agressor é um dos aspectos mais polêmicos que a legislação tem tratado de forma específica. Raças de cães com reputação de comportamento agressivo, como o pastor alemão, parecem estar frequentemente envolvidas em casos de mordidas. No entanto, esses dados devem ser considerados com cautela. Por exemplo, para muitas pessoas, o pastor alemão pode ser qualquer cão grande de cor escura.

Outras raças citadas são: chow chow, bull terrier, rottweiler e alguns cruzamentos. Além disso, pit bulls, rottweilers, pastores alemães, huskies, malamute-do-alaska, akitas e híbridos de lobo estão associados à maioria dos ataques fatais.

É lógico que essas raças são responsáveis ​​pela maioria dos ataques fatais devido ao seu grande tamanho e peso. Além disso, as raças mais envolvidas são os cães de caça, que geralmente causam grandes danos com suas mordidas.

Atualmente, embora se reconheça que a raça é um fator predisponente para o surgimento de um problema de agressividade em relação aos seres humanos, também se reconhece que existem outros fatores que influenciam na ocorrência do problema.

As raças mais adequadas para viver com crianças

Existem várias opiniões nos estudos sobre a história anterior de comportamento agressivo de um cão. Assim como há autores que confirmam que cães envolvidos em ataques já atacaram anteriormente, há outros que relatam uma incidência maior de ataques pela primeira vez. Existe um consenso de que aproximadamente metade dos cães envolvidos em ataques fatais tenha um histórico anterior de agressão.

Tendo em vista que esses percentuais são tão elevados, sugere-se que cães com história prévia de agressão não são os mais indicados para viver em uma família com filhos.

Embora raras, as mordidas de cães representam uma causa de mortalidade. Essa realidade não deve ser negligenciada devido ao impacto social que acarretam e porque afetam principalmente crianças.

O número de mortes por mordidas de cães permanece constante ao longo dos anos, sendo responsável por 15 a 18 mortes por ano nos Estados Unidos.

Pode interessar a você...
Mis AnimalesLeerlo en Mis Animales
Existem cães perigosos?

Dizem os especialistas que cães perigosos, por si só, não existem. Os perigosos são seus donos, quando maltratam esses animais.



  • Duffy, D. L., Hsu, Y., & Serpell, J. A. (2008). Breed differences in canine aggression. Applied Animal Behaviour Science, 114(3-4), 441-460. https://topdogtips.com/wp-content/uploads/2017/05/Breed-Differences-in-Canine-Aggression.pdf
  • Beauchamp, R. G. (2011). Rottweilers for Dummies. John Wiley & Sons.
  • Wells, D. L., & Hepper, P. G. (2012). The personality of “aggressive” and “non-aggressive” dog owners. Personality and Individual Differences, 53(6), 770-773.
  • Palacio, J., León, M., & García-Belenguer, S. (2005). Aspectos epidemiológicos de las mordeduras caninas. Gaceta Sanitaria, 19, 50-58.
  • Rosado, B., García-Belenguer, S., León, M., & Palacio, J. (2009). A comprehensive study of dog bites in Spain, 1995–2004. The Veterinary Journal, 179(3), 383-391.
  • Cornelissen, J. M., & Hopster, H. (2010). Dog bites in The Netherlands: a study of victims, injuries, circumstances and aggressors to support evaluation of breed specific legislation. The Veterinary Journal, 186(3), 292-298