Saiba como tratar o vômito do gato

· abril 30, 2019
O vômito do seu gato pode ser resultado de uma dieta incorreta. No entanto, é possível que seja um sinal de doenças de menor ou maior gravidade.

Para tratar o vômito do gato, a origem da doença precisa ser detectada. As causas são diferentes, podendo ir desde a ingestão de bolas de pelo ao consumo de alimentos irritantes. Além disso, também pode ser consequência de problemas gastrointestinais, metabólicos, infecciosos ou neurológicos.

O que é o vômito?

O vômito é definido como o ato reflexo que gera a expulsão violenta do conteúdo estomacal pela boca. Geralmente é uma causa de desidratação, portanto, o tratamento não pode ser atrasado ou negligenciado.

Um vômito ocasional pode ser considerado normal. Geralmente, sua função é evitar obstruções acidentais do trato respiratório ou asfixia. No entanto, caso se torne recorrente, o gato precisará de tratamento médico. As consequências do vômito podem ser muito graves: pneumonia por aspiração, esofagite, etc.

Depois que o veterinário determinar as causas do vômito do gato, aplique o tratamento necessário. Gastrite, pancreatite, parasitas ou problemas motores exigirão diferentes formas de correção. Por outro lado, causas menos graves, como comer rápido, muito ou engolir bolas de pelo, também exigirão observação.

Em qualquer caso, é conveniente observar o gato: quantas vezes ele vomita, como ocorre, se os episódios de vômito são esporádicos ou constantes. O tempo que decorre entre comida e vômito também é importante. Se houver sangue, fezes ou objetos estranhos, esta é uma informação útil para o veterinário.

Tenha cuidado com a alimentação do seu gato

Chocolate, oleaginosas, embutidos, carnes salgadas, abacate ou açúcar irritam a mucosa gástrica felina. Além disso, se ingerir qualquer planta tóxica, o gatinho pode apresentar vômitos, diarreia e até gastrite crônica. O leite de outras espécies também não é recomendável para os gatos.

Como prevenir o vômito em gatos

Se o gatinho mantiver uma dieta regular e, de repente, fizermos uma mudança, podemos desencadear episódios de vômito. Isso também gera estresse, assim como as mudanças no ambiente dos animais de estimação, com a mesma resposta.

O gato que come muito rápido ou excessivamente também é muito propenso a vomitar. Isso porque a localização horizontal do esôfago pode favorecer a passagem de alimentos pelo interior do esfíncter esofágico e causar o impulso de expeli-lo.

Existem causas de vômito que podem ser consideradas positivas. De vez em quando, os gatos experimentam um acúmulo de pelos que eliminam através do vômito. Não fazê-lo pode desencadear obstruções do sistema digestivo.

Se o vômito do gato for acompanhado por perda de apetite, uma avaliação veterinária é necessária. Algumas doenças como parasitas, câncer ou diabetes podem estar relacionadas.

Como tratar o vômito do gato?

A primeira coisa é ir ao veterinário, que irá detectar e tratar as causas do vômito em gatos. Caso seja um acúmulo de bolas de pelo, seria ideal dar um laxante ao felino, para que as expulse junto com as fezes.

Entretanto, se a causa do vômito estiver na ingestão de alimentos inadequados para o animal de estimação, um jejum supervisionado de 24 horas pode ser a solução.

Como prevenir o vômito do gato?

A regularização e o respeito pelo horário das refeições é uma maneira de evitar o vômito em gatos. O estômago vai se acostumar com isso e se preparar para receber sua comida. Além disso, é essencial proporcionar uma alimentação de qualidade.

Causas do vômito em gatos

Lembre-se de que alguns petiscos e guloseimas para animais de estimação são carregados de substâncias químicas que prejudicam a saúde do gato. A melhor coisa é que sejam sempre versões naturais.

Quando é preciso ir ao veterinário?

A avaliação pode variar de acordo com o tipo de vômito. Se ocorrer esporadicamente, sem outros sintomas, pode ser normal. Quando é acompanhado por diminuição do apetite e aparente perda de peso, pode significar problemas nos rins, estômago, fígado, parasitas ou as famosas bolas de pelo.

Se os vômitos são persistentes e o que é expelido é um fluido claro e espumoso, pode significar uma indigestão. Além disso, pode haver também irritação no estômago e no esôfago.

Quando há vômito com sangue, a avaliação veterinária deve ser imediata. Se for com fezes, pode indicar obstrução intestinal, trauma na área ou peritonite. Neste caso, também é urgente ir ao especialista.

Caso haja sintomas de desidratação, ou quando o vômito é acompanhado por diarreia, é importante buscar a ajuda de um especialista. Gatos recém-nascidos e idosos sempre devem ser atendidos pelo veterinário em caso de vômito.

As causas e tratamentos são diferentes. Portanto, a maneira de tratar o vômito em gatos dependerá de várias condições. O essencial é não negligenciar a atenção ao animal de estimação, independentemente de os sintomas serem de menor gravidade ou não.