Saúva-cabeça-de-vidro: habitat e características

As saúvas-cabeça-de-vidro vivem em colônias e se dividem em castas. Cada uma delas tem uma função especial no desenvolvimento do formigueiro, também conhecido como "superorganismo", devido ao grau de cooperação entre seus membros.
Saúva-cabeça-de-vidro: habitat e características

Última atualização: 29 Maio, 2021

Quando as saúvas-cabeça-de-vidro se unem, elas deixam de ser uma entidade individual e se tornam uma colônia, conhecida como ‘superorganismo’. Essa agregação consiste em uma grande família sincronizada em suas pequenas mentes, com o objetivo de trabalhar em uma meta comum. Quando essas agregações se manifestam, todos os outros animais saem do caminho.

As colônias de saúvas-cabeça-de-vidro são uma força poderosa que forrageia e se move como um único animal. Elas estão tão conectadas que se comportam como um ser autônomo, um superorganismo que se especializa para realizar tarefas específicas. O trabalho conjunto transformou as formigas grandes em vencedoras da natureza.

Características físicas das saúvas-cabeça-de-vidro

 

Saúvas-cabeça-de-vidro carregando folhas para o formigueiro

As saúvas-cabeça-de-vidro têm a aparência física de qualquer himenóptero terrestre, exceto pelo seu bumbum grande, que tem um tom mais escuro do que outras formigas normais. A maior saúva-cabeça-de-vidro é a rainha, que pode medir 2,5 centímetros de comprimento, enquanto as operárias são menores, medindo 1,5 a 2 centímetros.

Além da rainha, o resto das integrantes da colônia são excelentes escavadoras. É assim que elas conseguem construir um grande formigueiro, com uma profundidade de 5 metros no solo, estendendo-se até 100 metros quadrados de diâmetro. A entrada dessa minicidade pode ter cerca de 9 centímetros de largura. Por fim, esses ninhos duram cerca de 50 anos.

O que comem as saúvas-cabeça-de-vidro ?

As saúvas-cabeça-de-vidro se alimentam de fungos que elas próprias cultivam, que por sua vez vêm de um tecido das folhas que essas formigas mastigam. Com relação a esse alimento, podem ser citadas os seguintes aspectos gerais:

  • As saúvas-cabeça-de-vidro cultivam esses cogumelos em jardins subterrâneos, que podem atingir 36 centímetros de largura e 1 metro de profundidade.
  • O fungo cultivado é o único alimento para a rainha e suas larvas.
  • Esses fungos têm uma aparência esponjosa . Eles contêm células chamadas ‘gongilídios‘.
  • O fungo permanece em seu estado puro, sem a necessidade dos cuidados da formiga.
  • As operárias das saúvas-cabeça-de-vidro se alimentam da seiva das folhas quando cortadas em pequenos pedaços.

Habitat e comportamento

As colônias que as saúvas-cabeça-de-vidro constroem são minicidades subterrâneas. É nelas que ocorre toda a ação e o cuidado dos espécimes jovens. As operárias geralmente saem para a superfície à noite – e raramente durante o dia. Elas sobem até o topo das árvores e, com suas mandíbulas, cortam as folhas de forma curva.

As folhas cortadas são proporcionais aos seus corpos. Dessa forma, elas as colocam nas costas para carregá-las até a colônia. Além da atividade no próprio formigueiro, esse trabalho contribui para a decomposição de 20% das folhas das árvores. Além disso, a rainha leva consigo um segmento dos fungos feitos com essas folhas para seu voo nupcial.

Castas da saúva-cabeça-de-vidro

As saúvas-cabeça-de-vidro se dividem em 2 castas: as primeiras são as formigas aladas e férteis, que são as rainhas e os machos. As segundas são operárias ou reprodutoras, responsáveis por dar forma ao ninho subterrâneo e transportar as folhas cortadas.

Quando a rainha diploide (com um conjunto completo de genes) acasala com um macho haploide (metade dos genes) no famoso voo nupcial, ela pode originar uma nova colônia com suas próprias saúvas-cabeça-de-vidro operárias. É importante notar que o voo nupcial começa na estação chuvosa, geralmente quando para de chover.

Tática das saúvas-cabeça-de-vidro

As saúvas-cabeça-de-vidro mostraram sua lealdade ao trabalho em equipe e à comunicação sincronizada. É por isso que esses pequenos himenópteros são famosos por desenvolver uma estratégia de troca de funções.

Esse comportamento é uma forma muito especial de trabalhar, que começa com a tarefa de cultivar fungos por parte das formigas jovens. Quando elas amadurecem e ganham experiência, saem à superfície e começam a cortar as folhas.

Inimigos das saúvas-cabeça-de-vidro

Essas formigas construtoras e fortes têm inimigos que devem ser evitados e, nesse caso em particular, o perigo se resume a dois cenários. Primeiro, quando a rainha sai em seu voo nupcial, ela se torna o alimento preferido de morcegos e aves.

Além disso, os formigueiros dessa espécie precisam enfrentar perigos naturais, como enchentes e a ação humana, principalmente quando esses insetos são capturados para o preparo de pratos gastronômicos. Contudo, essas pequenas e inteligentes guerreiras conseguem construir novas colônias, expandindo assim o reinado das saúvas-cabeça-de-vidro.

 

Uma saúva-cabeça-de-vidro cortando folha.

Como você viu, as formigas representam o mais alto grau de cooperação, englobadas em agregações biológicas de tipo eussocial. Cada formiga não é uma entidade individual, mas uma parte de um superorganismo biológico que se move de forma conjunta com um único propósito: sobreviver ao longo do tempo e expandir a espécie.

Pode interessar a você...
6 curiosidades das formigas-rainhas
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
6 curiosidades das formigas-rainhas

As formigas-rainhas são parte fundamental de suas colônias, pois são as únicas capazes de se reproduzir. Elss podem voar e viver mais.